PUBG

Tencent anuncia PUBG Mobile Club Open 2019 com premiação de US$ 2 milhões

O campeonato terá duas temporadas com direito a finais mundiais
@iugahtk
Lucas Hagui
escreve para o Versus.
Imagem: Reprodução/PUBG Mobile
Imagem: Reprodução/PUBG Mobile

A Tencent e PUBG Corp. anunciaram o torneio PUBG Mobile Club Open 2019, um torneio que contará com as dez principais regiões do mundo e US$ 2 milhões em premiação.

Leia mais:


A primeira temporada será o Split de Primavera, que começa em março e terá as Finais Globais em julho, com as melhores equipes classificadas jogando presencialmente. Já a Split de Outono começará em agosto e terminará em dezembro.

Entre as regiões selecionadas para participar da competição estão: Sudeste da Ásia, China, Europa, América do Norte, Índia, Japão, Oriente Médio, América do Sul, Coreia do Sul e Curinga (com as regiões restantes).

A competição acontecerá em quatro mapas, no modo TPP (visão em terceira pessoa) e 16 esquadrões por rodada. O registro das equipes poderá ser feito entre os dias 8 e 18 de março, com as primeiras rodadas qualificatórias no dia 22 de março.

O formulário de inscrição pode ser encontrado no site oficial de PUBG Mobile junto com o livro de regras, com as especificações de idade, patrocinadores permitidos e outras informações pertinentes.



Lucas Takashi é redator do Versus. Siga-o no Twitter em @IugahTK.

Tags Relacionadas
PUBGMobile
Mais notícias
Dicionário PUBG: O glossário completo de termos e gírias
PUBG

Dicionário PUBG: O glossário completo de termos e gírias

Você sabe o que significa "Harry Potter" no contexto desse battle royale?
Beatriz Coutinho
PUBG: Fase 3 começa em outubro com duas vagas da América Latina para o mundial
PUBG

PUBG: Fase 3 começa em outubro com duas vagas da América Latina para o mundial

Duas equipes irão para a PUBG Global Championship
Beatriz Coutinho
PUBG atingiu sua menor quantidade de jogadores diários desde 2017
PUBG

PUBG atingiu sua menor quantidade de jogadores diários desde 2017

É pouco, mas ainda assim é muito!
Lucas Hagui