Esports

Sistema de crédito chinês diminui status social de quem joga games

Isso é muito Black Mirror
@thais.stagni
Thais Stagni
é reporter no Versus.
Foto: Associated Press/Reprodução
Foto: Associated Press/Reprodução

O universo da tecnologia pode ser muito bom quando o assunto é o seu jogo preferido ou aquele campeonato que você acompanha todos os finais de semana. Mas e se o jogador começasse a ser prejudicado por conta de seus gostos? Isso já acontece com o sistema de crédito chinês Sesame Credit.

Leia mais:

O sistema funciona através de um aplicativo, desenvolvido pela empresa Ant Financial e restrito apenas à China. O app usa algoritmos para dar pontuações às pessoas utilizando fatores que incluem "relacionamentos interpessoais" e hábitos de consumidor, de acordo com o The Guardian.

Pessoas com notas baixas no Sesame Credit entram para a "lista negra", e podem ser impedidas de comprar uma passagem de avião, alugar ou comprar uma propriedade ou até mesmo se hospedar em hotéis de luxo.

Um cidadão pode ter entre 350 e 950 pontos, e jogadores de games para PlayStation ou Xbox são fortemente prejudicados por esse sistema.

Segundo o diretor de tecnologia da companhia, Li Yingyun, pessoas que jogam “por 10 horas por dia (…) seria considerada uma pessoa ociosa, e alguém que compra fraldas frequentemente é possivelmente um pai, que, em comparação, é mais provável de ter um senso de responsabilidade.”

Foto: Sesame Credit/Reprodução
Foto: Sesame Credit/Reprodução

Segundo o jornal britânico The Sun, outras questões podem diminuir a pontuação dos cidadãos: pessoas que não visitam seus pais ou não praticam reciclagem também podem ser penalizadas - e até serem prejudicadas profissionalmente, como aconteceu com o executivo Xie Wen.

Wen entrou para a lista negra do sistema de crédito após ser processado por um cliente. Na época, a Suprema Corte da China o colocou na lista de pessoas "não-confiáveis". Tudo parece absurdo para você? Calma, pode piorar.

De acordo com o site MarketPlace.org, desde outubro de 2013, quase 10 milhões de pessoas já foram adicionadas na mesma lista. O aplicativo vai se tornar obrigatório para todos os chineses a partir de 2020, e atualmente está sendo testado em diversas empresas financeiras particulares da China.

Thaís Stagni é redatora do Versus. Siga-a no Twitter.

Tags Relacionadas
Esports
Mais notícias
DreamHack Rio 2020 não está nos planos da organizadora, revela calendário oficial
Esports

DreamHack Rio 2020 não está nos planos da organizadora, revela calendário oficial

O Brasil não está incluso na rota para o ano que vem
Matheus de Lucca
Pesquisa revela diferença entre visão de pro players e de jogadores amadores
Esports

Pesquisa revela diferença entre visão de pro players e de jogadores amadores

Profissionais são muito mais focados no alvo
Lucas Hagui
Sem apresentar fonte, campanha do Governo sugere que games online reduzem atividade cerebral
Esports

Sem apresentar fonte, campanha do Governo sugere que games online reduzem atividade cerebral

Vídeo faz parte de projeto do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos
Beatriz Coutinho