Esports

Amazônia, capoeira e decotes: Conheça 6 personagens brasileiros nos eSports

Muitos esteriótipos de nacionalidade a seguir
@helenavnogueira
Helena Nogueira
escreve para o Versus.
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O Brasil sempre foi associado a esteriótipos de tropicalidade nas mídias: mulheres sensuais, florestas selvagens, favelas, praias e capoeira são elementos comuns relacionados ao país.O caso não é diferente nos eSports: ao reparar em personagens nacionais jogáveis, percebemos esteriótipos de beleza e cultura que causam até uma certa polêmica.

Você conhece todos eles? Confira abaixo a seleção do Versus dos personagens brasileiros que você não deve deixar de conhecer.

Leia mais:


Blanka

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Quem pensa em brasileiros nos jogos, logo lembra do nosso querido Guerreiro da Amazônia - Blanka, de Street Fighter. O que poucos sabem é que em seus conceitos iniciais, o personagem nem sempre foi brasileiro.

Nas primeiras etapas de desenvolvimento de Street Fighter II, ele era um africano criado por leões e tinha o nome Anabebe. Seu design logo foi reformulado para um homem -monstro feroz e de cabelos longos, recebendo o nome de Hammer Blanka.

Ele eventualmente se tornou Jimmy Blanka, um garoto norte-americano sobrevivente de um acidente aéreo que foi criado por animais selvagens, tornando-se a criatura verde que conhecemos.

Recentemente, Blanka foi anunciado como personagem jogável em Street Fighter V: Arcade Edition.


Lúcio

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O nosso representante em Overwatch tem um forte sentimento de nacionalidade. Lúcio Correio dos Santos cresceu em uma favela do Rio de Janeiro e era muito próximo de sua comunidade.

Com a invasão da Vishkhar Corporation, ele roubou a tecnologia da empresa e a usou para se tornar um DJ internacional que inspira mudança social através de suas músicas.

Ele homenageia o país em uma de suas frases: "Meu coração bate pelo Brasil. Eu me sinto inspirado pelas pessoas de lá. Suas lutas. Suas vitórias. Eu quero compartilhar essa energia - a energia de suas vidas - com o resto do mundo".

O personagem, porém, é descrito como um amante de hockey, esporte pouco usual em terras brasileiras. Além disso, ele é o único personagem de Overwatch que não tem falas em sua língua nativa.


Eddy Gordo

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Uma das tradições culturais mais conhecidas do Brasil é a capoeira e, quando se trata de jogos de luta, não é de se estranhar que teríamos personagens capoeiristas. Um exemplo famoso é Eddy Gordo, lutador de capoeira da franquia Tekken - que apesar do nome não tem nada de gordo.

Eddy cresceu em uma das famílias mais ricas do Brasil, mas sua vida mudou quando ele foi preso injustamente pela morte de seu pai. Na prisão, ele conheceu o Mestre Lendário, um senhor que lutava capoeira como ele nunca viu antes. Eddy logo se tornou seu pupilo.

O capoeirista fez a sua estreia em Tekken 3 e até hoje causa discordância entre os amantes da arte marcial, que defendem que esta tem uma natureza puramente pacífica e cultural.


Christie Monteiro

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Juntando-se ao clã dos capoeiristas dos fighting games, Christie Monteiro fez sua estreia em Tekken 4 e possui uma história diretamente interligada com a de Eddy Gordo.

E a ligação entre os personagens não é pouca - Christie é neta do Mestre Lendário. Na prisão, Eddy prometeu ao sábio que passaria todos os conhecimentos da arte marcial para sua neta, e assim o fez. Após dois anos de tutelagem, ela se revelou uma lutadora formidável (apesar de suas roupas nada confortáveis para luta).


Sean Matsuda

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Pelo nome não dá para perceber, mas Sean Matsuda da Street Fighter é tão brasileiro quanto feijoada aos domingos.

A gente explica seu sobrenome: a família de Sean é japonesa, tendo crescido em um ambiente que o fez um grande aspirador das artes marciais. Durante um campeonato que participou nos Estados Unidos, Sean ficou impressionado com o talento de Ken no ringue e, desde então, insiste em ser seu pupilo - pena que o desejo dele nunca foi realizado.


Laura Matsuda

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Sim, você não leu errado - Laura e Sean têm o mesmo sobrenome, e não à toa. Ela é a irmã mais velha do lutador, com quem teve uma infância regrada a lutas marciais nada amistosas.Assim como seu caçula, Laura tem o forte desejo de promover o estilo de luta de sua família - o jiu-jitsu Matsuda.

Apesar de ser descrita como uma pessoa divertida e amigável, a brasileira é muito protetora quando se trata de seu irmão.Certa vez, ela assumiu Ken como inimigo por esgueirar por trás de Sean e caiu na porrada com o moço.

A personagem fez sua estreia em Street Fighter V e seu visual sexualizado fez um grande estrondo na mídia, principalmente entre os brasileiros.


BÔNUS: Caveira e Capitão

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Exceção à regra são Taina "Caveira" Pereira e Vicente "Capitão" Souza. Desde que foram apresentados na Operação Skull Rain, os personagens de Rainbow Six Siege impressionaram pela especificidades de suas histórias de origem.

Caveira nasceu em Rinópolis, nos arredores da cidade de São Paulo, e optou por entrar para o BOPE aos 16 anos ao invés do reformatório infantil. Também membro do BOPE, Capitão é original de Nova Iguaçu, Rio de Janeiro, e é aclamado por suas estratégias táticas. Ele foi recrutado pela Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE) assim que deixou o ensino médio.

Ambos são bons exemplos de como uma construção de personagem embasada faz diferença quando falamos de representação.


Helena Nogueira é redatora do Versus. Siga-a no Twitter.

Mais notícias
Manchester City exibe símbolo da FaZe ao entrar em campo pelo Campeonato Inglês
CS:GO

Manchester City exibe símbolo da FaZe ao entrar em campo pelo Campeonato Inglês

Organização de esports e clube de futebol anunciaram parceria em setembro
Beatriz Coutinho
Alemanha quer facilitar emissão de visto para pro players estrangeiros
Esports

Alemanha quer facilitar emissão de visto para pro players estrangeiros

Projeto de lei pode ser aprovado em breve
Matheus Oliveira
PlayStation lança plataforma de torneios com conteúdo voltado ao competitivo
Esports

PlayStation lança plataforma de torneios com conteúdo voltado ao competitivo

É possível participar de campeonatos diretamente do console
Helena Nogueira