League of Legends

Riot Games quer mais representatividade no CBLoL, segundo diretor de eSports

Carlos Antunes explica novidades e propostas futuras para o campeonato
@helenavnogueira
Helena Nogueira
escreve para o Versus.
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Acompanhando uma série de mudanças anunciadas para 2018, foi divulgado no sábado (24) que o Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL) abrirá as suas portas para receber o público durante as eliminatórias. O Versus conversou com Carlos Antunes, diretor de eSports da Riot Games Brasil, sobre as novidades do torneio, representatividade e mais.

Leia mais:

A abertura é um momento novo não apenas para a competição, como para o público, que até hoje acompanhou os jogos - com exceção da final - apenas pelas transmissões online.

Mas por que agora? Carlos explicou o que levou a Riot a tomar a decisão:"O nosso maior pensamento foi dividir esse momento único com o público. Nesse ano que é tão especial pra gente, em que estamos com estúdio novo e fizemos mudanças de formato, sentimos que chegou o momento certo para darmos a oportunidade da comunidade experienciar de perto no novo CBLoL."

Segundo ele, a empresa sentiu que a sensação de 'vencer ou sair' da escalada seria ideal para inaugurar a presença dos fãs, que poderão torcer cara a cara com seus times favoritos durante os três finais de semana das eliminatórias.

Implicações do novo formato

Comentando sobre o CBLoL mais competitivo dos últimos tempos, Carlos analisou o destaque de times que vieram do Circuito Desafiante, como a KaBuM.

Para o diretor, estas equipes trazem um "tempero novo" para a disputa.

"Existem diferentes ferramentas que esses times estão trazendo à competição, como a diversidade de staff, de suporte, de técnicos e analistas, que têm a sua própria análise dos outros times e uma experimentação de metas. Ao entenderem a dinâmica de CBLoL, estas pessoas estão colocando mais rapidamente essas ferramentas em prática."

Em um momento com tantas novidades, as transmissões receberam a primeira mulher repórter - Carol "Tawna" Oliveira. Quando questionado pelo Versus em relação à maior representatividade na equipe de casters e analistas, Carlos revela que a Riot está atenta ao assunto: "Temos trabalhado para garantir todas as representações de público dentro do campeonato. Isso é uma proposta nossa. Ao mesmo tempo, estamos constantemente procurando novos talentos e as pessoas que possam garantir qualidade técnica."

A sexta rodada do CBLoL acontece neste sábado (3) e domingo (4), e terá disputas entre Red Canids Corinthians e INTZ; Pain Gaming e Pro Gaming; CNB e Team One e Vivo Keyd e KaBuM.


Helena Nogueira é redatora do Versus. Siga-a no Twitter.

Tags Relacionadas
League of Legends
Mais notícias
LoL: Echo Fox dispensa toda a line-up após perder vaga na LCS
League of Legends

LoL: Echo Fox dispensa toda a line-up após perder vaga na LCS

A organização não atendeu às exigências da Riot Games após caso de racismo envolvendo sócio
Beatriz Coutinho
LoL: Team Liquid e Cloud9 garantem vaga no Mundial 2019
League of Legends

LoL: Team Liquid e Cloud9 garantem vaga no Mundial 2019

Ambas as equipes se classificaram por chegar até as finais de LCS
Matheus Oliveira
LoL: Vivo Keyd anuncia contratação de line-up feminina
League of Legends

LoL: Vivo Keyd anuncia contratação de line-up feminina

As pro players estreiam nas qualificatórias do GIRLGAMER Esports Festival
Beatriz Coutinho