Esports

Retrospectiva: 5 reviravoltas impressionantes nos esports em 2019

Aquelas partidas que fizeram nossos queixos caírem
@helena.nogueira
Helena Nogueira
é reporter no Versus.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

De todos os confrontos que aconteceram nos esports em 2019, alguns ficarão na memória para além do ano de 2019. Afinal de contas, muitas vezes em uma partida, mesmo que um time ou jogador pareça ter a vitória em mãos, sempre há a possibilidade do lado adversário fazer uma jogada incrível e sair triunfante. Para esta retrospectiva, o Versus separou cinco reviravoltas impressionantes que nos deixaram de queixo caído em 2019.

Leia mais:

MkLeo vs Tweek (Super Smash Bros. Ultimate)

A grande final de Super Smash Bros. Ultimate na EVO 2019 bateu o recorde de audiência da história do torneio, e não foi à toa: a decisão entre Leonardo “MkLeo” Perez e Gavin "Tweek" Dempsey teve momentos tão emocionantes e surpreendentes que deixou os comentaristas - e alguns dos espectadores - roucos.

A princípio, a vitória parecia estar garantida para Tweek. O placar estava 2 a 1 para o pro player da Team SoloMid, que precisava apenas vencer o 4º jogo para garantir o título da EVO.

Aplicando a dominância que teve nas duas primeiras partidas do set, o norte-americano encurralou MkLeo e conseguiu a vantagem de três stocks a um. Parecia impossível que o confronto não terminasse com a vitória de Tweek. Porém, o mexicano reencontrou forças e iniciou uma reviravolta extremamente agressiva com Joker, conquistando o impossível e, em seguida, resetando a final.

A reviravolta explosiva de MkLeo foi vital para que ele conquistasse o título no reset por 3 a 0 e entrasse para a história da EVO.

MIBR vs Renegades (CS:GO)

No CS:GO, um dos momentos que mais deixaram a torcida brasileira sem ar em 2019 aconteceu no IEM Katowice Major: o confronto entre MiBR e Renegades nas quartas de final.

Se avançasse, a line-up de Gabriel “FalleN” Toledo conquistaria uma vaga na semifinal e estaria mais próxima do título - mas, se perdesse, a equipe estaria eliminada da disputa. Os riscos eram altos e mesmo tendo vencido a primeira partida da melhor de três (md3), a vitória não parecia vir para a representante brasileira, já que a Renegades voltou agressiva do intervalo e prevaleceu com folga no primeiro half do mapa Train, garantindo vantagem de 11 a 4.

Restavam apenas quatro rounds para que o time australiano igualasse o placar da série e se aproximasse da semifinal. A MiBR, porém, não se deu por vencida e fez um comeback emocionante do lado CT. Com direito a quadrakill de Epitácio “TACO” de Mello e de Marcelo “coldzera” David, o time ascendeu no placar e conseguiu a vitória por impressionantes 16 a 12.

Flamengo vs INTZ (League of Legends)

Em 7 de setembro, uma multidão de torcedores do Flamengo lotou a Jeunesse Arena, no Rio de Janeiro, para a final do 2º split do Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL). A melhor de cinco (md5) foi em grande parte nada favorável para a então equipe de Felipe “brTT” Gonçalves, mas logo o elenco conseguiu virar as chances e levar a plateia ao delírio.

A INTZ estava com a liderança na série, e as chances do rubro negro ser campeão eram pequenas. No terceiro jogo, o time de Diogo “Shini” Rogê aplicou um verdadeiro atropelo a um Flamengo que já se mostrava abalado.

Com 2 a 1 no placar, restava apenas uma vitória para os intrépidos levantarem a taça. O elenco não contava, porém, com a reviravolta rubro-negra na quarta partida. Agressivo, o Flamengo dominou Summoner’s Rift desde o início. Pressionando os inimigos e ampliando sua margem de vantagens, a equipe brilhou com Lee "Shrimp" Byeong-hoon e Leonardo "Robo" Souza e conseguiu se impulsionar na série, alcançando a glória de se tornar campeã do CBLoL pela primeira vez.

Na’Vi vs Team Liquid (CS:GO)

Um dos maiores comebacks do ano no CS:GO teve uma jogada nada sortuda de Oleksandr "s1mple" Kostyliev como fator determinante.

O infortúnio (para o pro player) aconteceu em uma melhor de três (md3) entre a Natus Vincere (Na’Vi) e a Team Liquid na fase de grupos a ESL One Cologne 2019. O time europeu estava vencendo o confronto na Dust 2 com tranquilidade, iniciando o segundo half com 10 a 6 no placar. Do lado CT, a cavalaria se encontrou no jogo e avançou no placar, mas mesmo assim a partida estava ao alcance da Na’Vi, que precisava de apenas mais um ponto para vencer o mapa.

As chances foram revertidas por completo, contudo, quando s1mple tentou eliminar Nick “Nitr0” Cannella com uma facada no matchpoint. A jogada falhou e este descuido acabou propiciando a reviravolta da Liquid, que conseguiu duas prorrogações e venceu por 22 a 19.

OG Esports vs Team Liquid (Dota 2)

A grande final do The International (TI) 2019 de Dota 2 foi um espetáculo de alto nível competitivo. A cada partida, foi possível ouvir gritos eufóricos da torcida presente em Xangai, na China - e eles se tornaram ainda mais altos quando a OG surpreendeu e se tornou campeã.

O placar estava favorável para a OG, que vencia por 2 a 1. Mesmo assim, o quarto jogo da melhor de cinco (md5) contou com um verdadeiro atropelo por parte da Team Liquid, que, com a liderança do capitão Kuro "KuroKy" Salehi Takhasomi, passou a rotacionar bem e afugentar os inimigos.

Tudo estava favorável para que a Liquid empatasse o placar da série e forçasse um 5º confronto. Foi quando, de forma explosiva, a OG venceu uma teamfight e dediciu disparar para a base inimiga, derrubando o Ancestral pouco depois. Com o triúnfo, a equipe se tornou a primeira bicampeã consecutiva da história do TI.

Na sua opinião, qual foi a reviravolta mais surpreendente nos esports em 2019?

Siga o Versus nas redes sociais para mais notícias - Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Mais notícias
LoL, Fortnite e CS:GO: 6 pro players que foram banidos para sempre
Esports

LoL, Fortnite e CS:GO: 6 pro players que foram banidos para sempre

Fique atento ao martelinho do BAN!
Beatriz Coutinho
A falácia de que "videogame é coisa de menino"
Esports

A falácia de que "videogame é coisa de menino"

Conceito ainda permanece na cabeça de muitas pessoas no meio de jogos e esports
Helena Nogueira
Piticas é a nova patrocinadora da Pain Gaming
paiN Gaming

Piticas é a nova patrocinadora da Pain Gaming

Parceria terá duração de um ano
Beatriz Coutinho