Rainbow Six Siege

Rainbow Six: A jornada de Viic da torcida até os comentários no Invitational

Comentarista da Ubisoft deixou a carreira de jornalista para focar no R6
@biaacoutinhoo
Escrito por
Beatriz Coutinho

Foto: Leo Sang/Reprodução
Foto: Leo Sang/Reprodução

Todo mundo é fã de algo nessa vida. Você pode ser fã de uma atriz incrível, de um cantor muito bom, de uma autora best-seller, o que for. A santista Victória "Viic" Rodrigues de 24 anos é fã de Rainbow Six Siege. Depois de passar alguns anos jogando o game e trabalhando como jornalista na cobertura de campeonatos, ela “zerou a vida” após assistir ao Six Invitational 2019 em casa, como torcedora, e depois chegar ao Six Invitational 2020 no Canadá, como comentarista oficial da Ubisoft.

Leia mais:

Vic em competição de handebol | Foto: Instagram/Reprodução
Vic em competição de handebol | Foto: Instagram/Reprodução

Infância boa: entre games e esportes

Assim como grande parte da comunidade gamer no mundo inteiro, o amor de Viic pelos games começou ainda na infância. Apesar de ser filha única, ela sempre esteve rodeada de primos e conta que cresceu jogando muito videogame e futebol.

“Desde pequena eu gostava de jogar! Comecei no Nintendo 64 e no Mega Drive e depois tive todos os PlayStation e Xbox. O videogame me salvou muito porque como eu era filha única e meus pais sempre trabalharam, quando eu voltava da escola eu ficava no videogame."

E enquanto jogava e até mesmo competia no futebol da vida real, nos games ela achou um jogo do gênero que marcou sua infância e adolescência: Winning Eleven, jogo da Konami que hoje é conhecido como Pro Evolution Soccer e considerado o principal concorrente do FIFA.

Além do futebol real e virtual, outros games e esports marcaram a vida da comentarista: Crash Bandicoot, handebol, Mario Kart, luta e muito mais…

A comentarista é formada em jornalismo | Foto: Instagram/Reprodução
A comentarista é formada em jornalismo | Foto: Instagram/Reprodução

… até a chegada do Rainbow Six

Quem é adulto sabe que quando trabalho, faculdade e boletos batem à porta, não tem como fugir. “Eu cresci, fui fazer faculdade e trabalhar, aí o videogame fica um pouco de lado né? A gente fica sem tempo pra jogar”, contou Viic.

Apesar do pouco tempo, ela tinha um grupo de amigos com os quais gostava de jogar, até que um deles conheceu o Rainbow Six Siege e todos ficaram viciados no game da Ubisoft. Rapidamente, ela se interessou pelo cenário competitivo do jogo, que ainda estava em seu início em 2016.

A rotina de acompanhar os jogos do competitivo a fez postar alguns tuítes aqui e ali, comentando coisas sobre os jogos. Ela era uma torcedora, provavelmente assim como você que está lendo esse texto. Até o dia em que um amigo a chamou para escrever sobre R6.

Viic é formada em jornalismo e pós-graduada em marketing e mídias sociais. Ela já trabalhou em rádios, na televisão e também foi assessora de imprensa. Apesar de já ter uma rotina de trabalho, ela aceitou a proposta de escrever sobre Rainbow Six e passou a cobrir torneios e entrevistar jogadores.

“Eu comecei a escrever e entrei de fato como jornalista, então foi uma oportunidade que virou um trampo, porque percebi que gostava, era na minha área de atuação mesmo e acabei me apaixonando”.

Participação de Viic na transmissão do Minor Las Vegas em 2019 | Foto: Instagram/Reprodução
Participação de Viic na transmissão do Minor Las Vegas em 2019 | Foto: Instagram/Reprodução

Dos textos à câmera

O reconhecimento do trabalho de Viic aconteceu quando ela foi convidada para realizar a cobertura jornalística da Superliga Feminina de R6, que era um torneio amador.

“Uma semana antes do torneio as duas casters que fariam a transmissão cancelaram sua participação no campeonato. Os organizadores ficaram desesperados e estavam planejando fazer a transmissão eles mesmos, até que me perguntaram se eu queria participar comentando e eu aceitei. Era pra eu participar só durante algumas semanas, mas o campeonato foi acontecendo e eu fui ficando. No fim, recebi feedbacks legais da organização do torneio."

Apesar de ter enxergado uma boa oportunidade naquele trabalho de última hora, Viic também precisava dar conta de seu emprego, considerado tradicional, com jornalismo. “Fiquei sem tempo e acabei me afastando do competitivo, mas usei esse tempo para me preparar também. Para pensar se comentar esports era o que eu realmente queria”.

No início de 2019, ela recebeu uma nova proposta: comentar um novo campeonato feminino. Apesar da estrutura desse torneio ser bem maior que a do anterior, inicialmente ela recusou a oportunidade por receio do trabalho atrapalhar seu emprego. Mas quando o trabalho de alguém é bom, a oportunidade cai no mesmo lugar e depois de uma insistência do bem, Viic aceitou comentar a competição.

Depois disso, a profissional comentou alguns jogos da série B do Brasileirão de R6 ao lado do comentarista Otávio "Retalha" Ceschi, até ser chamada de um última hora para o torneio que mudaria sua vida.

“O closed qualifier do Major Raleigh aconteceria em alguns dias e o Retalha e o André "meligeni" Santos fariam a transmissão, mas o Retalha não pôde ir e o Meligeni precisava fazer a final do Looking for a Caster. Tecnicamente, a segunda dupla faria, Ricardo “Qep” Fugi e Guilherme "GuizaO" Kemen, mas o GuizaO não podia também e aí me chamaram. Eu nunca tinha feito um campeonato oficial, mas foi isso, fui lá e a Ubisoft viu todo o meu trabalho."

Em setembro, GuizaO anunciou que não faria mais parte do time de casters da Ubisoft e então, Viic foi chamada para conversar.

Foto do anúncio de Viic como nova comentarista de R6 da Ubisoft Brasil | Foto: Reprodução
Foto do anúncio de Viic como nova comentarista de R6 da Ubisoft Brasil | Foto: Reprodução

“Fui com zero expectativas, mas para não falar que era zero mesmo, eu sabia que teria campeonato feminino no Greenk em outubro, aí eu pensei: ‘Vão me chamar pra fazer algo assim’. Quando eu cheguei lá, o Márcio Canosa [diretor de esports da Ubisoft na América Latina] disse: ‘Então, o GuizaO está saindo e a gente quer você no lugar dele, inclusive para comentar a Pro League Japão e ir para o Invitational 2020 em fevereiro’”.

A comentarista entrou em choque e conta que até hoje lembra de como mal esboçou alguma reação diante daquela possibilidade. Ela aceitou fazer parte do time oficial de casters e conta que a comunidade foi extremamente receptiva com ela.

“A gente sabe que é um pouco mais complicado por eu ser mulher e que às vezes a galera passa do limite, mas eu não tenho do que reclamar. Quando fui contratada, a primeira coisa que me disseram é que a comunidade ficaria feliz porque os fãs mandavam mensagens para a Ubisoft pedindo para a empresa me contratar. Muito do que tenho hoje é graças à comunidade, sempre lembro da quantidade de gente que ficou feliz com meu anúncio."

Viic participou da transmissão do Six Invitational 2020, no Canadá | Foto: Leo Sang/Reprodução
Viic participou da transmissão do Six Invitational 2020, no Canadá | Foto: Leo Sang/Reprodução

Six Invitational 2020

A mudança de vida repentina deixou os pais de Viic assustados. Mas assim como ela, eles também foram conquistados pelo Rainbow Six Siege. “Meu pai assistiu ao Invitational inteiro, ficou bravo que a Ninjas in Pyjamas perdeu, eles já podem até pegar meu lugar”, contou a comentarista aos risos.

A última série que Viic comentou no Invitational foi entre os brasileiros da NiP e a TSM. No fim da partida, quando a NiP venceu os adversários por 2 a 0, ela e Qep se emocionaram e Viic aproveitou para contar ao público que ela havia assistido ao Invitational do ano anterior em casa, como uma torcedora igual a vários dos espectadores que estavam emocionados com o Brasil chegando até a final do maior torneio de R6 do mundo.

“O Invitational foi a experiência profissional mais incrível que já tive, foi algo assim indescritível, você faz parte daquilo e as pessoas param para assistir àquilo, é a nossa Copa do Mundo! Houve um momento em que a orquestra que se apresentou na final estava ensaiando e os jogadores entraram no palco, simulando como seria a entrada final… Eu comecei a chorar. Foi quando eu percebi que tudo aquilo era real."

No vídeo abaixo você confere tudo o que rolou no Six Invitational direto da perspectiva da Viic, que gravou um vlog incrível:

“Não desista”

De fã a caster, Viic conquistou novos amigos, um novo emprego e fãs. Ela tem uma mensagem para você que chegou até o fim desse texto:

“Pensei em desistir, pensei em investir em uma carreira que achava que era sólida ao invés de tentar algo incerto. A gente sabe também que não é todo mundo que tem essa condição, mas assim, se você tem e acha que consegue, não desiste! Eu assisti ao Invitational 2019 em casa sem perspectiva nenhuma e cheguei aqui... vocês podem chegar aonde eu cheguei. Eu vim do nada, não passei por um cenário competitivo anterior. Mulheres: sabemos que o caminho para nós é mais difícil, mas não podemos nos esconder. Quanto mais nos escondemos, mais damos força a quem não gosta de nós, temos que mostrar a cara para conseguir buscar nosso espaço e o mais importante é fazer isso sem passar por cima de ninguém. Tenho muito isso comigo porque já passaram a perna em mim e hoje eu estou aqui, sabe? Você não precisa passar a perna em ninguém pra ser alguém”.

Siga o Versus nas redes sociais para mais notícias - Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Tags Relacionadas
Rainbow Six Siege
Mais notícias
Rainbow Six: FaZe dispensa Mav; "O time resolveu me substituir", diz o jogador
Rainbow Six Siege

Rainbow Six: FaZe dispensa Mav; "O time resolveu me substituir", diz o jogador

Mav jogava pela FaZe desde 2018
Beatriz Coutinho
Rainbow Six: Ninjas in Pyjamas é campeã do Six Major Latam
Rainbow Six Siege

Rainbow Six: Ninjas in Pyjamas é campeã do Six Major Latam

Equipe não perdeu nenhuma série ao longo do campeonato
Beatriz Coutinho
Brasileirão Rainbow Six: Tabela, calendário, horário e mais sobre o BR6
Rainbow Six Siege

Brasileirão Rainbow Six: Tabela, calendário, horário e mais sobre o BR6

Veja todos os detalhes atualizados sobre o 1º turno do BR6 2020
Beatriz Coutinho