Rainbow Six Siege

R6S: SemXorah mantém dívida com jogadores da primeira temporada da Pro League 2017

Três pro players do time não receberam pagamento pelo torneio
@biaacoutinhoo
Beatriz Coutinho
escreve para o Versus.
Line-up de R6S da SemXorah na primeira temporada da Pro League em 2017. Foto: © Reprodução
Line-up de R6S da SemXorah na primeira temporada da Pro League em 2017. Foto: © Reprodução

[ATUALIZAÇÃO] O Versus tentou entrar em contato novamente com Francisco Gabriel, que alegou estar em dia com seus débitos, mas não obteve respostas. Os jogadores, por sua vez, alegam que ainda não receberam as quantias referentes ao campeonato.

A organização de eSports semXorah Gaming mantém dívidas financeiras com jogadores que faziam parte de sua equipe de Rainbow Six Siege durante a primeira temporada da Pro League, realizada no início de 2017. As informações foram apuradas pelo Versus.

O jogador Felipe “Abreu” da Silva denunciou exclusivamente que ele e outros dois pro players ainda não receberam o pagamento referente à premiação e aos custos da competição.

Segundo Abreu, no contrato estabelecido entre a semXorah e a Ubisoft Brasil, consta um valor a ser recebido pelos jogadores relacionado a salários, custos de viagens, alimentação, hospedagem e direito de imagem.

O CEO da organização, Francisco Gabriel da Silva, conhecido como “minicrack”, recebeu o dinheiro e era responsável pelo repasse aos jogadores.

“O valor total que cada um teria que receber era de R$ 1,6 mil. Três jogadores nossos receberam essa quantia, o resto ele fez descaso e está até hoje arranjando desculpa”, conta Abreu.

Atrasos e desculpas

Os outros dois jogadores que não receberam a quantia prometida, Michel “CroowS” Nunes e Lorran “Prince” Ferreira, afirmam que uma reunião foi marcada entre eles, a Ubisoft e Gabriel, que concordou em efetuar o pagamento em parcelas mensais.

“Ele (Gabriel) começou fazendo tudo certo nos dois primeiros meses, e depois desapareceu”, relembra Prince, que foi capitão do time de R6S.

CroowS revela que o time ainda tenta contatar Francisco Gabriel, que ainda não forneceu uma resposta concreta sobre quando o dinheiro será entregue: “Teve um período que ele chegou a responder que não tinha mais o dinheiro, por ter usado a para investir na loja digital da marca SemXorah. Também alegou que o próprio banco havia pego uma parte do dinheiro pelo fato da conta dele estar em vermelho.”

Troca de emails com Francisco Gabriel cedida por Lorran “Prince” Ferreira. Foto: Arquivo Pessoal.
Troca de emails com Francisco Gabriel cedida por Lorran “Prince” Ferreira. Foto: Arquivo Pessoal.

Os jogadores relatam que a premiação foi entregue ao dono da Sem Xorah em julho de 2017 e, mesmo sendo estabelecido que o pagamento seria feito até novembro, o mesmo ainda não foi realizado.

Jogadores pagos

Enquanto Felipe “Abreu” da Silva, Michel “CroowS” Nunes e Lorran “Prince” de Souza sofrem para tentar receber seus valores em aberto, outros três jogadores da mesma equipe já foram pagos.

O pro player João Pedro “ibLack” Chiarelli - atual integrante da Team One - recebeu seu pagamento em 16 de julho.

“Era pra ele ter efetuado o pagamento de todo mundo na mesma data. Eu recebi certinho da organização, até estranhei quando eles falaram comigo que não receberam. Eu soube, um tempo depois de ter recebido, que o Gabriel estava enrolando pra pagar o restante. Cheguei até a entrar em contato para saber o que tinha acontecido, e ele me informou que o banco ‘comeu’ o dinheiro dele porque a conta estava no vermelho.”

De acordo com ibLack, que estava se formando em Direito na época, Gabriel até mesmo pediu ajuda ao jogador, com a intenção de fazer uma “confissão de dívida” - termo utilizado para se referir ao contrato de Confissão de Dívida, instrumento jurídico que obriga o devedor a saldar sua dívida.

“Depois disso eu não sei mais o que aconteceu. Eu tentei ajudar ele, mas aparentemente não adiantou muita coisa.”

ibLack afirmou também que, na época, acreditava que esta teria sido a primeira vez que a organização falhava financeiramente com seus integrantes, mas depois ficou sabendo que uma antiga equipe de Overwatch também não havia recebido pagamento referente a premiações.


Leia mais sobre Rainbow Six Siege:

Já o pro player Lucas “Zyon” Paranhos precisou cobrar e pressionar Gabriel para ser remunerado.

“Eu recebi minha parte. [O valor] Estava correto, mas não foi pago no prazo. Tive que cobrar durante duas semanas. Ele alegava que não tinha recebido o pagamento, porém mudou de argumento quando eu disse que havia entrado em contato com a Ubisoft. A partir daí, o argumento era que ele estava com problemas no banco.”

De acordo com Felipe, o jogador Igor “Blind” Alves também foi pago pela semXorah, mas até a publicação desta matéria, o pro player não respondeu as perguntas sobre o caso.

Recorte do Rulebook da primeira fase da Pro League de Rainbow Six Siege. Após o envio do dinheiro, a Ubisoft não se responsabiliza pelas quantias repassadas aos pro players, conforme mostra o contrato acima. Foto: Arquivo Pessoal.
Recorte do Rulebook da primeira fase da Pro League de Rainbow Six Siege. Após o envio do dinheiro, a Ubisoft não se responsabiliza pelas quantias repassadas aos pro players, conforme mostra o contrato acima. Foto: Arquivo Pessoal.

Quando contatada pelo Versus sobre o caso, a Ubisoft Brasil se posicionou por meio de sua assessoria de imprensa.

“A Ubisoft enfatiza que as premiações das competições são repassadas aos times, que são responsáveis pela distribuição aos seus jogadores. A desenvolvedora reitera que está trabalhando para que cada vez mais organizações sérias, que respeitem suas obrigações contratuais com os atletas, estejam inseridas no cenário e nas competições de Rainbow Six.”

O Versus também tentou entrar em contato com Francisco “minicrack” Gabriel, CEO da SemXorah, mas não obteve resposta.

Matheus Ricardo Baiense da Silva, que foi diretor geral da SemXorah com Francisco Gabriel, disse que não mantém contato e não sabe o paradeiro de Gabriel.

Ele afirma que desconhecia o atraso no pagamento dos jogadores e assegura que a pessoa a assinar o contrato do campeonato foi Gabriel, que ficou responsável por fazer as negociações com os jogadores.


Bia Coutinho, Helena Nogueira e Bárbara Gutierrez são do Versus. Siga-as no Twitter em @biaacoutinhoo, @helenavnogueira e @bahgutierrez

Tags Relacionadas
Rainbow Six Siege
Mais notícias
R6: A história de Kalera, primeira brasileira a receber um amuleto próprio no jogo
Rainbow Six Siege

R6: A história de Kalera, primeira brasileira a receber um amuleto próprio no jogo

Streamer conta o início de sua carreira, vida pessoal, projetos paralelos e mais
Beatriz Coutinho
R6: ArenaON anuncia torneio de abertura e liga com finais presenciais
Rainbow Six Siege

R6: ArenaON anuncia torneio de abertura e liga com finais presenciais

A oNe Academy, no Shopping D, será o palco das decisões
Matheus Oliveira
Rainbow Six recebe skins temáticas das equipes brasileiras Faze, INTZ, Liquid e MIBR
Rainbow Six Siege

Rainbow Six recebe skins temáticas das equipes brasileiras Faze, INTZ, Liquid e MIBR

Ao todo, 14 times ganharam itens dentro do game
Helena Nogueira