Valorant

Preview: Valorant entrega tudo o que se espera de um FPS competitivo

Jogamos o novo FPS da Riot Games e damos as nossas primeiras impressões
@VersusEsports
Escrito por
Redação Versus

Foto: Riot Games/Reprodução
Foto: Riot Games/Reprodução

Jogamos Valorant por muitas horas em sua versão beta em um evento especial para a imprensa e influenciadores. O novo FPS da Riot Games certamente não vai revolucionar o gênero, mas entrega muito bem o que se espera de um jogo de tiro competitivo: precisão, confiabilidade, design de mapas, balanceamento e mecânicas. O game pega uma série de bons elementos dos maiores títulos e mistura tudo em uma obra única com muitos pontos positivos a seu favor.

Leia mais

Valorant acerta em cheio

Valorant tem tudo para ser um sucesso. Já é um jogo excelente em uma versão beta. Influenciadores e pro players que puderam jogar antes mesmo da imprensa já tinham expressado que o FPS da Riot Games é muito bom. A desenvolvedora aproveitou para polir alguns detalhes antes de entregar o game ao público e esse cuidado é perceptível. Valorant é simples, divertido e engajador.

Você joga com um entre 10 agentes - disponíveis no lançamento - que podem usar armas de um arsenal em comum, mas cada um dos personagens tem quatro habilidades próprias. Essas skills oferecem uma série de funcionalidades e trazem uma profundidade interessante ao gameplay, além de trazer variedade a cada rodada.

Há arquétipos clássicos do gênero FPS, como habilidades de cortina de fumaça, com variações como explosões tóxicas e esferas de sombras. Alguns personagens apresentam skills que impedem ou dificultam a passagem a pontos importantes, sem obstruir a visão, como um molotov, uma área de lentidão ou uma poça venenosa. Finalizando os “efeitos clássicos” de games de tiro há opções que cegam inimigos ou embaçam o mapa dos adversários. Se distanciando um pouco mais do que é padrão em FPS há teleportes, grandes saltos, habilidades de cura, ataques aéreos… há muitas ferramentas.

Com estas habilidades e suas armas, no ataque você deve plantar uma bomba e impedir que o time adversário a desarme. As partidas podem durar até 24 rodadas. Na metade destas, os times trocam de lado e de papéis. A primeira equipe a atingir 13 pontos vence.

Uma rodada é composta por até três fases. A primeira dura 45 segundos e é a fase de preparação, na qual os jogadores ficam limitados a apenas sua metade do mapa. Nesse período é possível comprar armas e habilidades, bolar uma estratégia e até instalar alguns gadgets antes da trocação começar. O agente Cypher, por exemplo, pode colocar câmeras e armadilhas que detectam a passagem de inimigos.

Depois destes 45 segundos, as paredes que separam os times são desabilitadas e então o caminho para os bombsites são liberados. Toda linha de visão, cada canto e esquina pode ser o palco para as primeiras trocações.

Vemos aqui (em azul) as "paredes" que impedem o avanço e a área inacessível do bombsite durante a preparação
Vemos aqui (em azul) as "paredes" que impedem o avanço e a área inacessível do bombsite durante a preparação

Os bombsites não oferecem muitos pontos para os atacantes usarem de cobertura, o que os força a fazer progressões meticulosas e compassadas, além exigir sincronia para ter sucesso. Os mapas, muito bem feitos por sinal, apresentam uma série de espaços nos quais os jogadores podem ficar vulneráveis, impossibilitando que apenas um jogador fique de olho em todas as linhas de visão ao mesmo tempo. É necessário bloquear ou obstruir a visão de certos ângulos ou agir como uma equipe, cada qual observando um ponto.

Mas antes de plantar a bomba, dependendo da composição de cada equipe pode ser necessário enfraquecer os adversários. O controle do mapa, isto é, quando os jogadores vão sair na trocação de tiro, é o ápice da expressão de habilidade em Valorant. Se os atacantes vencem esses duelos, conseguem ter mais segurança em garantir que a bomba não seja desarmada. Caso contrário, os atacantes vão precisar coordenar um ataque direto no bombsite, em desvantagem.

Uma screenshot que mostra todas as linhas de visão que precisam ser controladas para proteger um bombsite
Uma screenshot que mostra todas as linhas de visão que precisam ser controladas para proteger um bombsite

Toda essa ação deve acontecer em um máximo de 1 minuto e 40 segundos, tempo no qual os atacantes precisam plantar a bomba. Se eles não plantarem a bomba dentro do limite ou não eliminarem os adversários por completo, os defensores vencem o round. Assim que a bomba é plantada, os defensores têm 45 segundos para desarmá-la.

Este tipo de gameplay tem muito em comum com muitos outros games de tiro dos anos recentes, até de décadas. As similaridades a jogos do gênero não param por aqui, porque Valorant pegou muito de seus semelhantes.

Inspirado nos melhores para ser o melhor

A duração das rodadas, o tempo de preparação antes do combate, bombas que precisam ser plantadas e desarmadas, um sistema de ping, o modelo de economia, o estilo visual, as habilidades, agentes… muitas relações podem ser feitas entre Valorant e outros games FPS. Algumas são óbvias e outras… questionáveis. A primeira de todas é com Counter-Strike, mas também podemos citar Rainbow Six Siege, Apex Legends, Overwatch, Team Fortress 2, Call of Duty e até Destiny.

Pode-se ver facilmente nas paredes ou no chão a pequena quantidade de detalhes
Pode-se ver facilmente nas paredes ou no chão a pequena quantidade de detalhes

A Riot Games pegou um caldeirão de boas ideias e elementos que funcionam e juntou tudo em um único jogo. A influência de CS é enorme: dá para sentir no peso das armas e nas trocações, mas especialmente nos bombsites. O design de mapas é muito similar a CS, com bombsites apertados, choke points, linhas de visão que devem ser controladas, caixas para usar de cobertura e um design extremamente limpo.

O desejo de Valorant, assim como o de CS, é que os olhos do jogador não se atentem a elementos do cenário. No FPS da Riot esse compromisso com a “anti-poluição visual” é ainda mais acentuado, com mapas ainda mais crus. Em alguns mapas de Rainbow Six ou de CoD os defensores conseguem se esconder em quase qualquer canto, ficando com 90% do modelo do personagem fora da linha de tiro, o que quase nunca acontece em Valorant. O atacante também tem a mesma quantidade de obstáculos para se proteger.

Aqui uma longa linha de visão na qual eu estou tão exposto quanto meu oponente
Aqui uma longa linha de visão na qual eu estou tão exposto quanto meu oponente

Uma das ideias muito boas que a Riot pegou de outros FPS é o sistema de ping de Apex Legends, amado imediatamente pelos jogadores. Essa ferramenta permite uma comunicação muito melhor, especialmente em níveis mais baixos de jogo com jogadores que não usam o chat por voz ou não decoraram ainda os nomes dos lugares do mapa.

É válido apontar também o prazer de poder comprar armas em habilidades em qualquer lugar do mapa durante a fase de preparação e a possibilidade de revender qualquer item adquirido durante essa etapa. É possível até avisar seus companheiros de equipe que você precisa de uma arma específica, comprar armas para outros ou até recomendar a economia de dinheiro em uma rodada.

O menu de compra do jogo
O menu de compra do jogo

Dando a César o que é de César, a Riot fez um excelente trabalho com as trocações de tiro, garantindo que as balas atinjam o alvo quando a mira está neles - pode parecer redundante, mas quem é veterano de FPS sabe que nem sempre esse é o caso. Entre o anúncio de que os servidores vão ter 128 de tick rate e o esforço que eles tiveram em cuidar da latência, quando você atira e o disparo pareceu atingir o alvo, ele vai atingir.

Valorant é simples e prazeroso de jogar em qualquer mapa. É limpo, atrativo e fácil de entender tanto como jogador, como espectador.

Jogando… mas com os olhos

Acesso ao beta de Valorant será distribuído entre jogadores que assistirem a transmissões ao vivo, então por algum tempo muitos usuários vão poder apenas ver como o game funciona, sem colocar as mãos à obra.

Felizmente, Valorant reúne uma série de fatores que o fazem ser interessante de assistir, seja você experiente ou novato. A base é perfeitamente simples de compreender. Dois lados competindo: aquele que elimina o outro vence. O contador está no topo e é visualmente claro quem está vivo e quem já está fora.

Contanto que o modo espectador consiga ter visões aéreas o suficiente, acompanhar uma partida de Valorant será fácil e, diferente de League of Legends, que é quase impossível de entender para um novato ou iniciante, o FPS da Riot Games é claro como a luz do dia. Os mapas são livres de ruídos visuais, os agentes apresentam silhuetas distintas, além de esquemas de cores que os diferenciam. Mesmo com muitas habilidades usadas em uma mesma área, o todo ainda é legível.

A interface no topo oferece muita informação
A interface no topo oferece muita informação

Brimstone tem bolhas de fumaça marrom, Viper tem habilidades em verde escuro, enquanto Sage tem efeitos em verde claro, tons de azul. Cypher tem todos os tons de cinza à sua disposição. Omen, por sua vez, trabalha com preto e roxo. A Riot ainda tem uma enorme gama de cores para trabalhar e garantir que Valorant permaneça legível, diferente de Overwatch, que pode até ser mais bonito, mas muito mais difícil de acompanhar.

Em Valorant as habilidades não são shows visuais: no máximo, apreciaremos o quão sóbrias elas são. Podemos dizer o mesmo do mapa, o que vai tornar o game divertido de acompanhar para o espectador. Conquistar o coração da comunidade e do cenário de esports será uma tarefa relativamente fácil para Valorant.

A fumaça marrom de Brimstone
A fumaça marrom de Brimstone

Do pro player ao iniciante

Valorant tem qualidades e atrativos para todos os tipos de jogadores. Seja você um jogador casual, um purista do CS:GO ou alguém relutante quanto a games de tiro, qualquer um pode amar Valorant. Ao unir muito do melhor do que já aconteceu no gênero FPS em um único lugar, a Riot tem potencial de conquistar um público enorme.

Além disso, a presença da Riot Games com a Tencent no território asiático pode permitir que Valorant se firme em um mercado em que a Valve nunca conseguiu se estabelecer com Counter-Strike.

Um fator que ajuda nisso é o fato de que a desenvolvedora pensou em jogadores que não têm computadores potentes: eles não ficarão em desvantagem. Valorant não exige muito de PCs e suas especificações mínimas atendem processadores e placas de vídeo de entrada. Apenas a exigência de memória RAM é um pouco maior… 6 GB. Com tais especificações, Valorant já está à frente de CS:GO e Rainbow Six, ambos também acessíveis.

A precisão dos tiros, as dimensões táticas e econômicas, o balanceamento das armas e a construção dos mapas vão agradar os jogadores profissionais em todo o mundo. Com um jogo tão puro como Valorant, o que fará a diferença em jogo é a inteligência, instinto, reflexos e a mira.

Servidores com 128 de tick rate são pedidos há muito tempo pelos jogadores de CS:GO
Servidores com 128 de tick rate são pedidos há muito tempo pelos jogadores de CS:GO

Valorant pode até mesmo fazer a Valve investir pesado em servidores com 128 de tick rate, elevando o nível dos games FPS como um todo. Quanto a inovação e produção, a Riot Games é conhecida pela sua criatividade e esforço em renovar seus metagames, então podemos esperar atenção especial para o game.

Além destes pontos, Valorant também é acessível a jogadores de diversas idades graças a seu sistema de ping, uma temática distante da dinâmica de terrorista/contra-terrorista, o apelo cartunesco, futurista e que até remete a super-heróis.

Counter-Strike: Global Offensive - o competidor direto e lógico de Valorant - pode ser ameaçador para iniciantes, pois exige o conhecimento de uma série de detalhes, mapas, economia… Overwatch está em declínio, Call of Duty não parece ter a força de antes, Rainbow Six continua complicado para um novato… Valorant claramente quer oferecer um lado mais casual para seus jogadores.

O veredicto é que Valorant é muito promissor. O game não será problemático para quem não mira bem e para quem não tem os melhores reflexos. Valorant é capaz de seduzir diferentes audiências, especialmente se considerarmos a habilidade que a Riot tem de fazer jogadores investirem em games competitivos. O ambiente de games FPS dos competidores tem falhas e Valorant tem a faca e o queijo na mão para se estabelecer como o melhor entre os melhores.

Este preview foi escrito por Tyler, redator no Millennium França, que nos forneceu este conteúdo em parceria.

Siga o Versus nas redes sociais para mais notícias - Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Tags Relacionadas
Valorant
Mais notícias
Valorant: Skins Cyberpunk podem chegar ao jogo em breve
Valorant

Valorant: Skins Cyberpunk podem chegar ao jogo em breve

Arquivos do jogo indicam esta novidade
Beatriz Coutinho
Valorant pode receber modo todos-contra-todos em breve
Valorant

Valorant pode receber modo todos-contra-todos em breve

Foram encontradas referências ao free for all nos arquivos do jogo
Matheus Oliveira
Valorant: Como evitar cair duas vezes seguidas no mesmo mapa
Valorant

Valorant: Como evitar cair duas vezes seguidas no mesmo mapa

Um membro da comunidade parece ter solucionado o problema que incomoda tantos jogadores
Matheus Oliveira