CS:GO

Perfil: FalleN, o pai do CS:GO brasileiro

Jairo Junior
Saiba mais sobre a trajetória do atleta multi-jogos, campeão mundial e empreendedor
Montagem: Lukas Takashi
Montagem: Lukas Takashi

O Brasil vem escrevendo uma bela trajetória no mundo do Counter-Strike: Global Offensive. O país entrou de vez no mapa do game, construiu um cenário próprio, exportou atletas que foram campeões mundiais e até sediou alguns torneios. Para que tudo isto fosse possível, um jogador precisou dar o pontapé inicial com trabalho duro e uma mente genial que motivou uma multidão. Este pro player se chama Gabriel "FalleN" Toledo.

De um jogador comum, FalleN tornou-se um ícone e ultrapassou níveis de reconhecimento nunca antes atingidos no cenário nacional. Além de atleta, ele tornou-se um professor, organizador de competições, dono de organização, de marca e loja própria e campeão mundial diversas vezes. Diante de tudo, não seria exagero dizer que ele é o pai do CS:GO brasileiro. Confira neste texto toda a história da carreira profissional do “Verdadeiro”, como é chamado pelos fãs.

Leia mais:


Gabriel Toledo nasceu em Itararé, cidade do interior de São Paulo, em 30 de maio de 1991. Ele começou a jogar jogos como Doom ainda na infância, por influência dos seus irmãos mais velhos - foi assim que ele conheceu o Counter-Strike aos 12 anos, quando o levaram na Soldier Lan House, em Itapetininga, pela primeira vez. Naquele momento, foi praticamente amor à primeira vista.

Com o passar dos anos, jogar CS tornou-se um hobbie de FalleN Angel, nick primário do jogador que posteriormente ficou apenas como FalleN. Sua rotina era ir para escola de manhã, ajudar a família na loja de computadores durante a tarde e jogar a noite.

O passatempo realmente ficou sério em meados de 2009. Nesta época, alguns dos maiores jogadores do país - entre eles Lincoln "fnx" Lau -, convidaram o jovem Gabriel para o time Firegamers.

Da equerda para direita estão: bit, FalleN, nak e ellllll, durante a ESWC 2010. Foto: HLTV/Reprodução
Da equerda para direita estão: bit, FalleN, nak e ellllll, durante a ESWC 2010. Foto: HLTV/Reprodução

Antes de chegar ao FG, FalleN passou por algumas equipes menores. A que mais chamou atenção dentre todas as line-ups foi a Crashers. Foi lá que ele de fato surgiu no cenário e virou uma das maiores revelações do Brasil. O jogador deu muito trabalho a times maiores, fez seu nome ser conhecido no cenário e mostrou que sempre poderia ir além.

Curiosamente, seu maior algoz naquele tempo foi a Made in Brazil. Foi a equipe que impediu FalleN de conquistar dois títulos importantes pela Crashers: A KODE5 Brasil 2007 e a World Cyber Games Brasil 2008. Hoje, o atleta é uma das principais peças da própria MIBR.

No entanto, os confrontos não foram os único momentos em que os caminhos da organização e do sniper se cruzaram na época do CS1.6. Quando entrou para a Firegamers, FalleN espantou os fantasmas do passado e levou seu primeiro grande título nacional justamente contra a MIBR, na final da World Cyber Games Brasil 2009. A decisão terminou em 2 a favor da FG e teve um novo gostinho de revanche, pois Raphael "cogu" Camargo e companhia tinham mandado Gabriel e seus colegas para a lower naquela mesma competição.

Depois desse feito, FalleN deslanchou de vez na cena competitiva de CS brasileira e faturou diversas outras WCGs Brasil, pan-americanas e ESWC Brasil. Ele chegou até mesmo a representar a organização norte-americana compLexity Gaming ao lado de outros brasileiros - inclusive, foi lá que seu primeiro título internacional foi conquistado: a Intel Extreme Masters norte-americana V, em Nova York, teve vitória do brasileiro em cima da Evil Geniuses por 2 a 0 e com direito a prorrogação no primeiro mapa.

Sua história no game não parou por aí e ele continuou vencendo diversos nacionais, sul-americanos e até representando o Brasil mundo afora... Principalmente pelos times coL, Mandic e PlayArt

Da direita para esquerda: ellllll, fnx, nak, FalleN e bit. Foto: WCG 2011/Reprodução
Da direita para esquerda: ellllll, fnx, nak, FalleN e bit. Foto: WCG 2011/Reprodução

Talento nato para jogos de tiro

A história da carreira de FalleN ficou concentrada principalmente no CS 1.6 e CS:GO, que foram os games que ele teve mais sucesso. Porém, estes não foram os únicos FPS’s que ele competiu.

O jogador sempre mostrou um talento nato para jogos de tiro e, em qualquer um que resolvia competir, se mostrava diferenciado.

Talvez muitos não saibam, mas o Verdadeiro também teve passagem pelo Counter-Strike: Source, sagrando-se campeão da Quest Cup e Liga Monkey. Mas outros jogos também fizeram parte de sua vida além do CS, como Assault Fire (quando foi vice-campeão da World Cyber Games Brasil) e Crossfire, game em que o pro player chegou a faturar duas Brasil Gaming League Arena - uma pela paiN e outra pela KaBuM.

O início do FalleN empreendedor

Quando o cenário de Counter-Strike 1.6 já não era tão forte no Brasil, FalleN tinha duas opções: desistir como muitos fizeram... ou então mudar a situação de alguma maneira. Ele escolheu o segundo caminho, criando assim a Games Academy - uma espécie de escola para quem quer aprender mais sobre CS.

O novo projeto do Verdadeiro começou com apenas um aluno em aula particular e logo teve que ser realocado para uma sala de aula online, com uma classe cheia de aspirantes a pro player aprendendo ao mesmo tempo. Quando a antiga GA começou a realmente dar certo, FalleN preferiu investir no cenário e começou a fazer campeonatos, a fim de movimentar o competitivo novamente.

No início, ele se mostrava saudosista e seu foco era exclusivo ao CS 1.6 - o jogador não gostava da nova versão (Counter-Strike: Global Offensive) e a rejeitava completamente. Após algumas atualizações importantes feitas pela Valve, FalleN deu uma segunda chance ao jogo, enxergou um futuro ali e começou a trabalhar com o novo game também.

A Games Academy, por sua vez, se consolidou na comunidade, promoveu torneios, transmissões e eventos. Além de trazer parcerias, a organização virou referência no ramo e revelou diversos talentos que hoje vivem do game, como é o caso do narrador Bernardo "BiDa" Moura.

Falando em talentos e revelações, uma iniciativa inesquecível para a cena foi a “Golden Chance”, que tinha como objetivo levar cinco atletas brasileiros e um treinador para morar e competir fora do país até que uma organização local os acolhesse... totalmente custeado pela GA. FalleN não se contentou apenas em atingir este sonho com seu time: ele quis que outros jogadores também tivessem acesso a esta realidade.

Foi graças a esse projeto que tantos jogadores que hoje são peças chave do cenário competitivo de CS:GO alcançaram bons resultados internacionais e chamaram a atenção de grandes times do Brasil e do mundo. Um dos principais nomes deste caso é o próprio Epitácio “TACO” de Melo, que atualmente joga ao lado de Gabriel na MIBR.

Resumindo, sem outras grandes frentes na época, o projeto da Games Academy e seus colaboradores ergueram do zero um cenário que já havia praticamente deixado de existir. Tudo isto, é claro, com o comando e as propostas de FalleN.

Ascensão meteórica no CS:GO

As iniciativas de FalleN no CS:GO tornaram-se cada vez mais frequentes. Com isto, um cenário ainda inexplorado foi tomando forma aos poucos no Brasil, atraindo público e jogadores. Competições presenciais começaram a surgir, mesmo que um pouco tímidas, e ainda sendo realizadas em lan houses, da mesma forma do 1.6.

Nesta época o Verdadeiro era capitão da KaBuM, que dominava as competições e logo se apresentou como a melhor equipe de CS do país. Foram eles os primeiros a participar de um torneio internacional - ESWC 2014 -, após anos sem uma participação brasileira. Por lá, eles finalmente sentiram a diferença de jogar contra os melhores do mundo e ficaram na última colocação juntamente de outros três times, com uma campanha de uma vitória e quatro derrotas.

O resultado foi um choque de realidade para o Brasil, mas não desanimou os atletas. FalleN e companhia tornaram cada vez mais frequentes as participações em eventos fora do país e emplacaram uma ascensão nunca antes vista.

Como dito antes, no final de 2014, a line-up disputou seu primeiro campeonato de nível mundial, ficando na última colocação. Em fevereiro de 2015, eles fizeram história pelo mundo, conquistando a primeira vaga de uma line-up brasileira em Major... mas eles não pararam por aí: trocaram de organização, defendendo a camisa da Keyd Stars para um aporte maior e, já no mês seguinte, garantiram vaga de Lendas da ESL One Katowice 2015.

A história já era quase inacreditável até então, mas o que estaria por vir era ainda mais impressionante.

Na metade de 2015, o time de FalleN foi para a Luminosity Gaming e passou a morar de vez nos Estados Unidos. Os jogadores tiveram um ano incrível de aprendizado e consolidação na cena mundial. Em 2016, com a lendária escalação de FalleN, fer, Cold, fnx, TACO e zews, o Brasil conquistou o primeiro Major da história no CS:GO, com a MLG Columbus 2016. Logo no Major seguinte, agora pela SK, a mesma line-up garantiu o bicampeonato na ESL One Cologne 2016.

Apenas em 2016, FalleN foi o primeiro brasileiro campeão de Major juntamente dos seus companheiros, foi o primeiro a levantar a taça, foi bicampeão de Major e considerado o segundo melhor jogador do planeta, atrás apenas do seu companheiro, Marcelo "coldzera" David.

Após as duas maiores conquistas de sua carreira, Gabriel Toledo não chegou a vencer mais nenhum Major - mas levantou o troféu de campeão de praticamente todos os maiores campeonatos do mundo em 2016 e 2017. Entre eles, estão grandes nomes de torneios como ESL Pro League, ESL One, ECS, IEM, BLAST Pro Series, EPICENTER, Dreamhack e mais.

Momento atual

Após conquistar tudo o que tinha direito, FalleN finalmente se deparou com seu primeiro grande declínio. Ele deixou a SK Gaming, se juntou à MIBR e tentou formar um time que juntasse brasileiros e norte-americanos. Ele fez de quase tudo para reverter a situação desfavorável da comunicação, mas não conseguiu. De fato, 2018 foi um ano para se esquecer, pois ele não conseguiu nenhum título de expressão neste período.

Em 2019, FalleN e a Made in Brazil retornaram com a mesma proposta de sucesso no passado: uma line-up completamente brasileira com a volta de TACO, zews e felps. Um dos principais objetivos era "jantar dinamarquês" e o início foi animador no IEM Katowice Major 2019, quando eles conseguiram a 3º/4º colocação. Ainda assim, eles foram eliminados pela Astralis e o jantar foi adiado.

No entanto, alguns resultados aquém do esperado desanimaram novamente a torcida. A derrota para a Windigo na WESG não agradou os fãs e a participação na BLAST Pro Series São Paulo - em casa e sem nenhuma vitória sequer - doeu ainda mais.

Quando muitos já esperavam pelo pior, a BLAST Pro Series Miami acendeu novamente uma chama na torcida verde e amarela. Por lá, eles conseguiram mostrar um estilo de jogo muito mais sólido do que era visto antes e ficaram na terceira colocação, fora da final por pouco. É válido lembrar também que neste evento eles finalmente conseguiram um jantar dinamarquês com direito a sobremesa, já que o placar foi de 16 a 2.

Com o último resultado, eles subiram três posições no ranking da HLTV e agora ocupam a sexta posição. A esperança é que FalleN e o grupo de brasileiros voltem pelo menos ao top 5 já nas próximas competições.

Empreendedorismo na veia

Além de tudo que já fez como atleta, os empreendimentos de FalleN continuaram a crescer exponencialmente. Ele incorporou a Games Academy à Gamers Club, que possui servidores, rankings e campeonatos para todo o Brasil, e agora possui uma fatia da empresa.

O pro player também investiu na sua própria organização brasileira - A YeaH Gaming - e em uma própria loja e marca de equipamentos. A FalleN Store vende produtos de diversos tipos, como mouses e teclados de marcas famosas, como a Zowie, e até vestimentas de sua autoria, como também de times como FaZe Clan, Natus Vincere e até de PUBG. Já a FalleN Gear tem produzido mouses, teclados e outros periféricos, chegando no mercado para bater de frente com as maiores do mercado.

Basicamente, a veia empreendedora no corpo do pro player e a coragem e capacidade para renovar e inovar tornaram o Brasil em um dos cenários competitivos mais fortes do CS:GO. Sendo assim, não é à toa que atletas, personalidades e muitos profissionais do meio reconhecem FalleN como o pai do CS:GO no Brasil.

1/2
Foto: FalleN Gear/Reprodução
Foto: FalleN Gear/Reprodução
Os vencedores da Golden Chance promovida pela Games Academy. Foto: Reprodução
Os vencedores da Golden Chance promovida pela Games Academy. Foto: Reprodução



Jairo "Foxer" Junior é redator do Versus. Siga-o no Twitter em @Foxer_JJ.

Tags Relacionadas
CS:GOMIBRLuminosityFalleN