League of Legends

Muito antes de Dota e LoL: a história dos MOBAs

Conheça outros games que inspiraram este gênero
@biaacoutinhoo
Escrito por
Beatriz Coutinho

Foto: Versus Esports/Junior Lima
Foto: Versus Esports/Junior Lima

Apesar de League of Legends e Dota 2 serem alguns dos maiores representantes do gênero Multiplayer Online Battle Arena, mais conhecido como MOBA, a história desse estilo de jogo começou há muito tempo atrás.

O MOBA é definido como um subgênero dos jogos tipo RTS, real-time strategy. Existe uma diferença principal entre esses dois gigantes dos gêneros de games: ao invés de controlar todas as suas tropas e exércitos, como no RTS, no MOBA o jogador é um personagem poderoso acompanhado de um exército de minions que lutam ao lado dele, que pode jogar sozinho ou em equipe.

1/2
Herzog Zwei | Foto: Reprodução
Herzog Zwei | Foto: Reprodução
Future Cop: LAPD | Foto: Reprodução
Future Cop: LAPD | Foto: Reprodução

Apesar de ter sido bastante rudimentar e não possuir um modo online, o game Herzog Zwei (1989) foi uma das grandes inspirações na criação de clássicos do RTS como Warcraft, Command and Conquer e Starcraft. No game desenvolvido pela Tecnosoft para o Mega Drive, o jogador não tinha controle total por suas tropas, mas controlava um mecha, que podia ser usado em combates e outras tarefas ao lado de suas tropas.

Outro jogo importante no histórico do gênero é o Future Cop: LAPD (1998), game de tiro em terceira pessoa para PlayStation e PC. Nele, o jogador controlava X1 Alpha, um policial do futuro que devia combater o crime na cidade de Los Angeles. Embora o principal modo do jogo se chamasse Crime War e fosse uma campanha single player, havia um modo online chamado Precint Assault.

Nele, o jogador era colocado em uma arena de batalha enquanto controlava um mecha. A partida começava na base e era necessário capturar outras pequenas bases pelo mapa, com o objetivo final de destruir a base principal do inimigo. Parece um Moba né? Não parece, é um. Principalmente se considerarmos que a versão de PC tinha um modo online. Só que na época ninguém pensou como um novo gênero, apenas como um modo multiplayer legal.

1/2
StarCraft  | Foto: Reprodução
StarCraft | Foto: Reprodução
Warcraft 3  | Foto: Reprodução
Warcraft 3 | Foto: Reprodução

Em 1998, a Blizzard lançou um dos melhores e mais importantes games do mundo: StarCraft. O clássico do RTS que até hoje atrai muitos jogadores, foi lançado com um programa que permitia que os jogadores criassem seus próprios mapas e alterassem o jogo como quisessem, o StarEdit. Utilizando essa ferramenta, o modder Aeon64, que gostava muito do Future Cop, criou um modo semelhante ao modo Precint Assault.

Assim surgiu o mapa Aeon of Strife, em que, ao invés do jogador controlar suas tropas, ele era uma unidade muito poderosa que lutava ao lado de soldados mais fracos para dominar a base do inimigo. Apesar de ter feito muito sucesso na época, o modo ainda não foi o suficiente para fazer as pessoas perceberem que um novo gênero de game estava nascendo.

Foi apenas com outro jogo da Blizzard que a ficha da comunidade caiu. Em 2002, a empresa lançou outro clássico do RTS, Warcraft 3, que também continha um editor de mapas, o World Editor. Baseando-se no mod Aeon of Strife, de StarCraft, o usuário Eul criou o modo Defense of the Ancients, ou, Dota, e adicionou nele diversas novas mecânicas que tornavam o gameplay do modo mais profundo.

Novos mapas do Dota surgiram, até que Meian e Ragnor, dois criadores de mapa, compilaram todos eles no que foi chamado de Dota Allstars. Alguns anos depois, eles passaram o comando desses modos para Guinsoo, que anos depois se tornou um dos criadores de League of Legends. E foi justamente para criar o LoL que Guinsoo passou o comando do Dota para IceFrog, que adicionou ainda mais mecânicas ao game, tornando-o uma verdadeira obra prima do competitivo - o que fez diversos campeonatos acontecerem.

1/2
Defense of the Ancients, DotA | Foto: Reprodução
Defense of the Ancients, DotA | Foto: Reprodução
Mapa Summoner's Rift de League of Legends | Foto: Reprodução
Mapa Summoner's Rift de League of Legends | Foto: Reprodução

Em 2009, a Valve viu o potencial do Dota, comprou os direitos do game e começou até mesmo a desenvolver uma sequência. Com o sucesso de Defense of the Ancients, outras empresas tentaram criar games semelhantes, como Demigos, da Gas Powered Games, que foi lançado em 2009. Infelizmente, o jogo foi rapidamente esquecido, pois no mesmo ano, o rei dos MOBAS estava nascendo.

Por volta de 2006, os amigos Brandon "Ryze" Beck e Marc "Tryndamere" Merril estavam insatisfeitos com suas vidas e o mercado de games. Por isso, decidiram fundar sua própria empresa para desenvolver jogos free to play que não tivessem formas de monetização abusivas. Para isso, recrutaram Guinsoo. Junto com outros desenvolvedores, eles criaram o Onslaught, que mais tarde passou a se chamar League of Legends e foi lançado em 27 de outubro de 2009.

Rapidamente, o jogo conquistou diversos jogadores e se tornou uma referência do gênero MOBA. Inclusive, no lançamento do LoL a palavra MOBA foi usada pela primeira vez de fato, já que era assim que a Riot Games classificada o game. A desenvolvedora organizou grandes torneios do jogo e ao londo dos anos diversos campeonatos regionais surgiram - inclusive o Campeonato Brasileiro de League of Legends, mais conhecido como CBLoL.

Ao longo dos anos, diversas empresas tentaram repetir o sucesso do LoL e games como Heroes of Newearth, Arena of Valor, Battlerite, Arena of Fate, Paragon, Smite e muitos outros surgiram. Alguns, como Smite, conseguiram obter sucesso, mas a maior parte caiu no esquecimento. A Blizzard, cujos jogos foram muito importantes para o surgimento dos MOBAS, lançou seu próprio game do gênero, Heroes of the Storm, que até fez algum sucesso, mas não foi muito longe.

Dota 2 | Foto: Reprodução
Dota 2 | Foto: Reprodução

E apesar de ser o maior representante dos MOBAS hoje, League of Legends não é assim tão hegemônico. Em 2013, a Valve lançou o Dota 2 - o que lhe rendeu até mesmo uma batalha judicial com a Blizzard. Dota 2 foi o game mais jogador do Steam em seu lançamento e até hoje é um grande rival do LoL, competindo contra ele não apenas em rivalidades de comunidades, mas também na grandiosidade de torneios, já que o The International, campeonato mundial de Dota 2, é conhecido por sempre bater recordes de premiação no mundo dos esports.

Hoje, o jogo perdeu parte de seu brilho. Em comparação com a Riot, a Valve oferece pouco suporte ao game, o que fez muitos jogadores desistirem do título. Apesar disso, o jogo ainda possui uma grande base de players e continua firme e forte representando o gênero MOBA.

Atualmente, o gênero estagnou e o mercado dos MOBAS está saturado. Esse problema não afetou jogos como LoL, Dota e Smite, só que novidades consideráveis não surgem mais, como algo que pudesse balançar a fórmula ou algo do tipo. Será que este é um sinal de que os MOBAS chegaram ao ápice ou os desenvolvedores apenas se acomodaram? O passado e o presente dos MOBAS são brilhantes, mas qual será o futuro do gênero? Conta pra gente o que você acha nos comentários.

Siga o Versus nas redes sociais para mais notícias - Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Mais notícias
LoL: Sneaky diz que planeja voltar a competir na LCS
League of Legends

LoL: Sneaky diz que planeja voltar a competir na LCS

O jogador anunciou pausa na carreira em janeiro deste ano
Matheus Oliveira
LoL: Team One e RED disputarão final do 2º split do Circuito Desafiante 2020
League of Legends

LoL: Team One e RED disputarão final do 2º split do Circuito Desafiante 2020

Grande final será em 15 de agosto, próximo sábado
Beatriz Coutinho
TIM Live renova patrocínio com paiN Gaming
Mercado

TIM Live renova patrocínio com paiN Gaming

A parceria engloba as line-ups de LoL, CS:GO e Valorant
Matheus de Lucca