Esports

Metas, comportamento e saúde mental: Entenda as diferenças entre um psicólogo e mind coach

Comumente confundidos, profissionais salientam diferença entre áreas
@helenavnogueira
Helena Nogueira
escreve para o Versus.
Foto: Riot Games/Reprodução
Foto: Riot Games/Reprodução

Recentemente, a paiN gaming anunciou um mind coach para cuidar da saúde mental dos atletas que disputam o Campeonato Brasileiro de League of Legends. Em clubes como INTZ e Red Canids Corinthians, psicólogos são os principais responsáveis da área. Mas afinal, o que diferencia o trabalho de um mind coach e um psicólogo nos esportes eletrônicos?

Leia mais:

Por conta das rotinas exaustivas, os profissionais de eSports - que contam com blocos de treinos, análises de partidas e pressão em épocas de torneios - precisam de um acompanhamento mental para que tenham boa performance nos campos de batalha.

Assim, organizações brasileiras e estrangeiras têm mostrado interesse tomar conta de suas equipes por meio de investimentos também no campo psicológico e mental; para assim trabalhar melhor o potencial dos jogadores.

PaiN é uma das equipes de League of Legends que trabalha com mind coach. Foto: Reprodução
PaiN é uma das equipes de League of Legends que trabalha com mind coach. Foto: Reprodução

Por mais que as duas profissões - mind coach e psicólogo - cuidem do campo cognitivo dos atletas, a diferença é clara para os profissionais da área. De acordo com um texto publicado pelo Conselho Federal de Psicologia sobre a psicologia do esporte e coaching, a prática realizada por coaches está fora da área de atuação da pesquisa psicológica, apesar de beber da fonte deste campo de ciência.

Mas e dentro do eSport, como funcionam tais profissões?

O Versus conversou com Alessandra Dutra (psicóloga da Red Canids Corinthians), Leandro Martins (ex-mind coach da KeyD e Operation Kino) e Rafael “Psi” Pereira (ex-psicólogo da CNB e Preparando Campeões) para entender suas atuações dentro do esporte eletrônico.

Psicólogo

Alessandra Dutra foi a primeira mulher a subir no palco do Campeonato Brasileiro de League of Legends. Foto: Riot Games/Reprodução
Alessandra Dutra foi a primeira mulher a subir no palco do Campeonato Brasileiro de League of Legends. Foto: Riot Games/Reprodução

Capaz de melhorar o desempenho dos pro players por meio da promoção da saúde mental, lidando com questões clínicas e comportamentais que podem ser geradas por conta da rotina do eSport, os psicólogos do esporte são essenciais para buscar uma performance melhor da equipe em diversos setores justamente por abranger diversos pontos de uma vez só.

Segundo Alessandra, que trabalha cerca de 23 anos com esportes tradicionais e que recentemente assumiu a responsabilidade de lidar com o time da Red; sua função, diferente do coaching, estuda a complexidade do ser humano e acaba auxiliando nas relações dentro de uma gaming house, por exemplo.

“Um dos maiores problemas que o game gera é o stress por conta de todo mundo morar e ficar junto. O psicólogo cuida muito dessa parte e acaba facilitando a comunicação [do time] e acelerando o processo de otimização da equipe”, afirma Dutra.

Rafael Pereira criou o programa Preparando Campeões na CNB visando a saúde mental dos pro players. Foto: Reprodução
Rafael Pereira criou o programa Preparando Campeões na CNB visando a saúde mental dos pro players. Foto: Reprodução

Rafael, formado em psicologia na Federal de Santa Catarina e criador do programa Preparando Campeões da CNB, explica que “enquanto o técnico, analista e outros podem focar sua atenção e trabalho em questões de aprendizado e prática, o psicólogo pode auxiliar entendendo como é o funcionamento do grupo e de cada um dos jogadores”, como por exemplo, ajudar o treinador a ter uma melhor ação sobre os jogadores de uma forma harmônica.

Além disso, para Alessandra, a profissão “tem um protocolo que é muito efetivo, porém, as pessoas preferem utilizar o coaching porque acham que a função está ligada a uma situação mais imediata, para alcançar metas”, sendo o principal motivo pelo qual as equipes acabam utilizando mais o serviço de coaching em comparação ao de psicólogos dentro dos campeonatos.

Mind coach

Leandro Martins e antiga equipe da KeyD Stars no estúdio da Riot Games em São Paulo. Foto: Reprodução
Leandro Martins e antiga equipe da KeyD Stars no estúdio da Riot Games em São Paulo. Foto: Reprodução

Voltado para outras prioridades, assim como a psicóloga explicou, o trabalho desenvolvido pelo mind coach é focar em soluções rápidas.

Martins atuou em 2017 como preparador mental de equipes do CBLoL e Circuito Desafiante, estando presente no Relegation junto com a Operation Kino e KeyD Stars. Para o profissional, sua função “é basicamente encontrar formas diferentes de pensar e agir diante de algum desafio ou diversidade”, com o intuito de extrair a capacidade máxima do pro player instantaneamente.

Montagem: Versus
Montagem: Versus

Além disso, para Leandro, o preparo mental dos atletas ainda oferece uma percepção mais ampla de uma situação, “permitindo-o [o jogador] tomar melhores decisões e avaliando o contexto geral, diante de qualquer situação.” Por mais que o preparo mental seja voltado ao esporte, os jogadores que passam por este treinamento se beneficiam por inteiro, transformando sua visão da vida e a forma de viver. Porém, diferente da psicologia, o coaching realiza tudo isso em uma abordagem direta e instantânea.

Além de ter trabalhado com a KeyD, Leandro também acompanhou a Operation Kino durante o segundo split de 2017. Foto: Reprodução
Além de ter trabalhado com a KeyD, Leandro também acompanhou a Operation Kino durante o segundo split de 2017. Foto: Reprodução

Dentro do esporte eletrônico, o trabalho auxilia na visão ampla de grupo e entendimento do jeito de ser do outro. “O mind coach também promove o ajuste da automotivação do grupo, como se fosse uma pessoa só criando na equipe um ‘espírito’ de campeã, independente (sic) da sua situação ou posição na tabela”, completa Martins.

Resumindo: o mind coach trabalha para obter resultados rápidos, justamente voltado para a questão das metas, enquanto o psicólogo fica responsável por outras diversas área mentais e comportamentais dos jogadores, focando em sua melhora de forma contínua.

Mas e você - se tivesse um time, contrataria um mind coach ou um psicólogo?


Siouxsie Rigueiras é power ranger rosa, redatora e social media do Versus, siga-a no Twitter.

Tags Relacionadas
Esports
Mais notícias
Manchester City exibe símbolo da FaZe ao entrar em campo pelo Campeonato Inglês
CS:GO

Manchester City exibe símbolo da FaZe ao entrar em campo pelo Campeonato Inglês

Organização de esports e clube de futebol anunciaram parceria em setembro
Beatriz Coutinho
Alemanha quer facilitar emissão de visto para pro players estrangeiros
Esports

Alemanha quer facilitar emissão de visto para pro players estrangeiros

Projeto de lei pode ser aprovado em breve
Matheus Oliveira
PlayStation lança plataforma de torneios com conteúdo voltado ao competitivo
Esports

PlayStation lança plataforma de torneios com conteúdo voltado ao competitivo

É possível participar de campeonatos diretamente do console
Helena Nogueira