Esports

Lowkey Esports deve mais de R$ 561 mil em salários e outros pagamentos atrasados, segundo site

Apuração do TheScore Esports mostrou que organização não paga jogadores e funcionários desde outubro de 2019
@helenavnogueira
Escrito por
Helena Nogueira

Foto: Lowkey Esports/Reprodução
Foto: Lowkey Esports/Reprodução

Como apontado por jogadores brasileiros na última terça-feira (7), a Lowkey Esports pode estar passando por problemas financeiros graves. Segundo apuração do TheScore Esports, a organização norte-americana deve mais de US$ 137 mil (o correspondente a aproximadamente R$ 561 mil) em salários atrasados e outros pagamentos. A redação do site teve acesso a contratos de funcionários e afirma a empresa não paga seus jogadores e funcionários desde outubro de 2019.

Leia mais:

O theScore Esports publicou um vídeo nesta sexta-feira (10) com sua apuração do caso, conduzida pelo repórter Colin McNeil, que conversou com diversos jogadores e ex-jogadores da organização e teve acesso a documentos que apontam para uma crise financeira séria na Lowkey.

De acordo com o site, nenhum dos entrevistados recebeu uma resposta exata sobre o que causou o rombo monetário que ocasionou o atraso dos salários. Uma das fontes, Myra Davies, responsável pela divisão canadense da Lowkey, afirma ter ouvido de 10 a 15 promessas da gerência da organização de que seria paga, mas não recebeu a quantia devida até o momento da entrevista. A empresária foi contratada em novembro de 2019, o que significa que ela não recebeu nenhum dinheiro em seu tempo representando a empresa.

Durante a apuração do caso, McNeil também conversou com Enzo "tander" Toledo, capitão do time brasileiro de Rocket League. O jogador conta que ele e sua equipe não receberam nenhum pagamento da Lowkey desde novembro de 2019. Além de salários atrasados, a organização também deve aos brasileiros o reembolso de gastos da viagem internacional para Madrid, na Espanha, em que o trio disputou a final da Championship Series Season 8 (RLCS) entre 13 e 15 de dezembro.

Além do fato de que todas as entrevistas apontam para um cenário de crise financeira da companhia, o repórter ainda afirma ter tido acesso aos contratos de duas fontes anônimas, ex-funcionários liberados pela Lowkey. Nos documentos, consta que o encerramento da contratação de ambas se deve à falência da organização de esports.

O theScore Esports tentou contato com os donos e executivos da empresa norte-americana e foi respondido por Tony Nguyen, sócio da divisão Lowkey Community. Segundo o empresário, "todos os funcionários e jogadores serão pagos em duas semanas", algo que, segundo ele, "foi comunicado a todos".

Confira a apuração completa do caso (em inglês) no vídeo abaixo:

Na última terça-feira (7), a Lowkey encerrou suas atividades no Brasil e liberou todas as suas três line-ups no país - de Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO), Rainbow Six: Siege (R6) e Rocket League.

No Twitter, vários dos jogadores liberados, incluindo Matheus "demo" Yokomizo, do CS:GO, confirmaram que receberam a informação que a empresa encerrou suas atividades no Brasil. Segundo Danielle "Cherna" Andrade, da equipe de R6, ao informar as equipes sobre o desligamento, a Lowkey alegou "problemas financeiros".

Apesar da maioria das sedes regionais da Lowkey terem sido fechadas, incluindo a localizada no Brasil, três ainda permanecem abertas: Filipinas, Vietnam e Sri Lanka.

Siga o Versus nas redes sociais para mais notícias - Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Mais notícias
Herman Miller e Logitech lançam cadeira gamer de R$ 10,7 mil
Mercado

Herman Miller e Logitech lançam cadeira gamer de R$ 10,7 mil

Com foco na ergonomia, produto já pode ser comprado no Brasil
Beatriz Coutinho
Filha do dono da Garena e mais: 10 memes brasileiros dos esports
Esports

Filha do dono da Garena e mais: 10 memes brasileiros dos esports

Saiba a origem de memes como brTT preso, Qué Ota e mais
Beatriz Coutinho
Pesquisa compara lucratividade entre indústrias dos jogos e cinema
Esports

Pesquisa compara lucratividade entre indústrias dos jogos e cinema

Tendências como atores participando de games também estão aumentando
Beatriz Coutinho