League of Legends

LoL: Todos os modos de jogo do MOBA

Muito além de Summoner's Rift e ARAM
@biaacoutinhoo
Escrito por
Beatriz Coutinho

Foto: Riot Games/Reprodução
Foto: Riot Games/Reprodução

League of Legends foi lançado em 2009 e de lá para cá já teve diversos modos de jogo diferentes. Muito além de Summoner’s Rift ou ARAM, quem aí se lembra de Mercado Clandestino ou Bots da Condenação? Na lista abaixo você encontra mais sobre todos os modos de jogo criados pela Riot Games para o LoL.

Leia mais:

Foto: Riot Games/Reprodução
Foto: Riot Games/Reprodução

Summoner's Rift

Utilizado não só por boa parte da comunidade do LoL, mas também no principal cenário competitivo do jogo, este pode ser considerado o modo/mapa mais clássico do MOBA. Nele, duas equipes com cinco jogadores cada, se enfrentam de cada lado do mapa (azul e vermelho), com o objetivo de ganhar recursos para destruir não só os adversários, mas principalmente o Nexus, a maior estrutura presente na base de cada time. O mapa possui três rotas, além de um rio, e cada jogador de um time possui uma função: topo, caçador, meio, atirador e suporte. Geralmente, as partidas neste mapa duram de 30 minutos a uma hora.

Foto: Riot Games/Reprodução
Foto: Riot Games/Reprodução

ARAM

Jogado no mapa Howling Abyss, esse também um dos modos preferidos da comunidade. A siga ARAM significa All Random All Mid, o que resume bem o espírito do modo, já que nele todos os jogadores jogam com campeões aleatórios e há somente uma rota. Assim como em Summoner's Rift, o objetivo principal é destruir o Nexus adversário. As partidas do ARAM tendem a ser rápidas, durando de 20 a 30 minutos.

Foto: Riot Games/Reprodução
Foto: Riot Games/Reprodução

Teamfight Tactics

Popularmente conhecido como TFT, este modo do League of Legends foi lançado em 2019 e é do gênero auto chess, que surgiu entre a comunidade de Dota 2. Neste modo oito jogadores de enfrentam em partidas de um contra um e o campeão será o último jogador vivo no campo. Para jogar é necessário combinar campeões disponíveis em um grupo selecionado aleatoriamente e utilizar suas forças e itens para criar composições capazes de vencer as batalhas da partida, enquanto os jogadores movem os campeões pelo tabuleiro. Recentemente, a Riot criou um circuito competitivo para o modo.

Foto: Riot Games/Reprodução
Foto: Riot Games/Reprodução

URF e ARURF

Conhecido no Brasil como Ultra, Rápido e Furioso, a versão original consiste em um modo de jogo especial para Summoner's Rift, na qual os jogadores podem escolher os campeões que quiserem jogar, as habilidades de nenhum personagem possuem custo de mana e o tempo de recarga das skills é 80% menor que o normal, ou seja, o próprio caos. Após detectar alguns problemas relacionados ao modo, a Riot geralmente opta por lançar uma versão alternada do URF, o ARURF. O AR da sigla significa All Random, ou seja, nesta versão, os jogadores não podem escolher os próprios campeões, pois o jogo escolhe personagens aleatórios para cada um deles.

Foto: Riot Games/Reprodução
Foto: Riot Games/Reprodução

Todos por Um

Este também é um dos modos queridinhos pela comunidade de League of Legends. No modo Todos por Um, todos os jogadores de ambos os times jogam com o mesmo campeão. Os jogadores podem escolher com quais campeões querem jogar, mas se nenhum personagem escolhido receber pelo menos três votos, um campeão aleatório entre os escolhidos é selecionado.

Foto: Riot Games/Reprodução
Foto: Riot Games/Reprodução

Blitz Nexus

Com um mapa bastante diferente do que a comunidade estava acostumada a ver, o modo Nexus Blitz foi lançado em 2018 e dividiu a opinião dos jogadores de LoL. O modo consistia em percorrer o mapa e destruir as estruturas adversárias, porém, contava com diversos eventos aleatórios durante a partida, como Bardo Royale, Empurre o Carrinho, Guerra de Bolas de Neve, Rei da Colina, entre outros. Os eventos desafiadores transformavam o modo em algo super divertido. O único evento que não era aleatório era o Morte Súbita, quando os Nexus de ambos os times começavam a se mover na direção um do outro e tentar matar um ao outro. Durante a batalha deles, cada equipe podia ajudar o seu próprio Nexus e a equipe que derrotasse o Nexus adversário primeiro era a grande campeã da partida.

Foto: Riot Games/Reprodução
Foto: Riot Games/Reprodução

Odisseia

O modo de jogo Odisseia: Estração foi lançado em 2018, junto com o pacote de skins de mesmo nome, que envolve os personagens: Jinx, Ziggs, Yasuo, Kayn, Malphite e Sona. O objetivo do modo era viajar para um planeta alienígena e batalhar para resgatar Ziggs, mas nem tudo era tão fácil assim, pois Kays estava sempre preparado para atrapalhar a missão. Cada partida recompensava os jogadores com melhorias para seus campeões e elas eram acumulativas, ou seja, quanto mais você jogasse, mais habilidades teria, o que permitia que os jogadores participassem do nível mais baixo do jogo, até o mais alto: Massacre.

Foto: Riot Games/Reprodução
Foto: Riot Games/Reprodução

Cerco ao Nexus

Lançado em 2016, o modo Cerco ao Nexus tinha Ziggs como personagem principal. Nele, o mapa de Summoner's Rift era utilizado apenas pela metade, que era ocupada por dois times: ataque e defesa. O objetivo do time atacante era destruir o Nexus e o do time defensor era manter o Nexus intacto. Quando o Nexus era destruído os times trocaval de lado e tudo começava outra vez. Para deixar o modo ainda mais divertido haviar armas de cerco especiais e o time defensor possuía o poderoso Obliterador, um efeito que fazia com que as torres de todas as rotas disparassem um feixe de laser capaz de matar instataneamente tudo o que estivesse pela frente, inclusive campeões, a não ser que eles se escondessem em alguma selva próxima.

Foto: Riot Games/Reprodução
Foto: Riot Games/Reprodução

Invasão - Guardiãs Estelares

Lançado em 2017, quando Ahri, Miss Fortune, Ezreal, Syndra e Soraka ganharam skins Guardiãs Estelares como Lux, Jinx, Janna, Lulu e Poppy, o modo Invasão fazia com que cinco jogadores trabalhassem em grupo para combater invasões de monstros em sete ondas aleatórias. Os quatro tipos de invasões eram: Sobreviver, Escapar, Defender e Chefão - sendo necessário derrotar este último para que a partida terminasse. A cada onda os jogadores ganhavam ouro e experiência para comprar itens na loja.

Foto: Riot Games/Reprodução
Foto: Riot Games/Reprodução

Rei Poro

Este modo super querido pela comunidade surgiu em 2014 e é bastante divertido. Os jogadores precisam acertar campeões como pequenos Poros, que são equivalentes a uma bola de neve. Quando um time conseguisse acertar dez Poros na equipe adversária, ele podia invocar o Rei Poro, uma versão gigante deste bichinho fofo, que ajudaria o time a destruir estruturas e causar dano nos campeões adversários.

Foto: Riot Games/Reprodução
Foto: Riot Games/Reprodução

Mercado Clandestino

Lançado em 2015, o modo Mercado Clandestino era jogado no mapa Summoner's Rift, com escolha às cegas de campeões - mas ainda era possível fazer banimentos. Neste modo, os jogadores podiam comprar itens ilegais e utilizar Krakens para recrutar tropas brawler que tinham diferentes funções no jogo, como os Sirinhões e os Ferrostas. Bastante gente gostava desse modo, o que fez com que, em 2016, um jogador brasileiro criasse uma petição para que o modo fosse adicionado ao LoL novamente - infelizmente, o pedido dele não foi realizado.

Foto: Riot Games/Reprodução
Foto: Riot Games/Reprodução

Dominion // Definitivamente não é o Dominion

Lançado em 2011, o modo Dominion acontecia no mapa Crystal Scar e, infelizmente, ambos foram retirados do LoL em 2016. O modo consistia em fazer com que os jogadores dominassem os cinco pontos do mapa e causassem dano no cristal do time adversário. A equipe que conseguisse deixar o cristal inimigo sem pontos vencia a partida. Ao longo do tempo, o modo começou a apresentar muitos bugs e falta de balanceamento, o que complicada a vida de quem queria levar o Dominion à sério.

Segundo um post da Riot feito em 2016, menos de 0,5% de todos os jogadores do LoL realmente jogavam o modo ativamente - incluindo bots - e por isso, não valia a pena que a empresa tentasse salvar o modo ou investisse nele. Antes do mapa/modo ser realmente removido, a comunidade se uniu para disputar um torneio nele, que fez a alegria dos fãs ao ser palco de uma grande reviravolta que pode ser assistida nesse vídeo. Ainda assim, em 2016, a Riot criou o modo Certamente não é o Dominion, em que poucas alterações foram feitas em relação ao modo original.

Foto: Riot Games/Reprodução
Foto: Riot Games/Reprodução

Ascenção

Lançado em 2014 no mapa Crystal Scar, o modo de jogo Ascenção tinha como personagem principal o campeão Xerath. Neste modo, duas equipes de cinco jogadores cada se enfrentavam para conseguir o efeito da Ascenção de Xerath, o Ascendente Ancião, que era conquistado ao abater Xerath. Com o poder do campeão, o jogador que o havia abatido ficava muito forte e garantia poder suficiente para conquistar o Crystal Scar.

Foto: Riot Games/Reprodução
Foto: Riot Games/Reprodução

Nêmesis

O modo Nêmesis Draft foi lançado em 2015 e por mais que sua ideia inicial fosse bastante divertida, ele irritou muita gente na comunidade do LoL. A grande diferença do modo era que os times podiam escolher os campeões com os quais seus adversários jogariam. Mas o que era pra ser divertido, acaba irritando a maior parte dos jogadores, uns porque queriam jogar o modo de forma séria e outros porque queriam apenas se divertir.

Foto: Riot Games/Reprodução
Foto: Riot Games/Reprodução

Twisted Treeline

Removido do jogo em 2019, o Twisted Treeline era um mapa de duas rotas em que equipes de três jogadores cada lutavam para destruir o Nexus inimigo. Havia também diversos monstros neutros e dois altarems que podiam ser capturados. Uma das trilhas do mapa levava à Toca da Maldíbula e o time que derrotava o monstro recebia um bônus que tornava os campeões em fantasmas, fazendo-os ignorar colisões com unidades durante a duração do bônus.

Foto: Shinidei/DevianArt/Reprodução
Foto: Shinidei/DevianArt/Reprodução

Bots da Condenação (Doom Bots/Capeteemo)

Lançado em 2014, a versão original desse modo fazia com que os jogadores lutassem contra bots, mas eles possuíam habilidades super fortes e, muitas vezes, suas skills eram substituídas pelas de outros campeões. O modo contava com três níveis de dificuldade: Bomba 1, Bomba 2 e Bomba 5.

Em 2016 o modo retornou de forma reformulada e ganhou um Chefão final: Capeteemo. O objetivo principal era proteger o Nexus, mas também sobreviver aos bots com skills fortíssimas por 15 minutos, após esse tempo o Capeteemo surgia e precisava ser derrotado.

Foto: Riot Games/Reprodução
Foto: Riot Games/Reprodução

Hexakill

Este modo foi lançado em 2014 e era bastante simples: permitia que cada equipe tivesse seis jogadores, ao invés da clássica composição com cinco campeões. Mesmo que a mudança parecesse pequena, ela permitia diversas novas estratégias dentro de jogo se todos os jogadores estivessem em sintonia, é claro.

Foto: Riot Games/Reprodução
Foto: Riot Games/Reprodução

PROJETO // Sobrecarga

Lançado em 2017 com a temática das skins PROJETO, o modo Sobrecarga unia seis jogadores em uma batalha de 3 vs 3 e era exclusivo para atiradores. Cada grupo precisava destruir os bots de carga para sobrecarregar a própria equipe e garantir invulnerabilidade, aumento da velocidade de movimento e pontos de abate. Caso a equipe adversária ficasse sobrecarregada, a outra precisava ficar pelas sombras até que a energia do inimigo se esgotasse. Cada abate valia 1 ponto, enquanto abates sobrecarregados valiam 5. A equipe que fizesse 50 pontos primeiro era a grande vencedora da partida.

Foto: Riot Games/Reprodução
Foto: Riot Games/Reprodução

Estrela Negra Singularidade

Neste modo os jogadores formavam duas equipes de três pessoas cada, em que todas jogavam com o Thresh Estrela Negra. O "mapa" do modo eram as Ruínas Cósmicas, um pedregulho flutuante com uma estrela negra no meio, na qual os jogadores de um time precisavam jogar os da outra equipe. Assim como abater os inimigos, outras tarefas também concediam pontos às equipes e o time que alcançasse 100 pontos primeiro ganhava a partida.

Foto: Riot Games/Reprodução
Foto: Riot Games/Reprodução

Caçada da Lua Sangrenta

Lançado em 2017, este modo acontecia no mapa Summoner's Rift, com duas equipes de cinco jogadores cada, e era restrito somente a campeões assassinos. As duas equipes precisavam garantir abates para conseguir pontos e conquistar a benção da Lua Sangrenta, ganhando o poder de um demônio. Diversas atividades garantiam pontos, como abater campeões, espíritos inimigos e Arautos Demoníacos. A equipe que fizesse 300 pontos primeiro vencia a partida.

League of Legends possui mais de 140 campeões e cada um deles carrega sua própria história. Ainda assim, as jornadas de vários personagens se entrelaçam e no vídeo acima você confere quais são essas histórias, que dão origem às melhores teorias do LoL.

Siga o Versus nas redes sociais para mais notícias - Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Tags Relacionadas
League of Legends
Mais notícias
LoL: Cosplay traz LeBlanc Congregação das Bruxas ao mundo real
League of Legends

LoL: Cosplay traz LeBlanc Congregação das Bruxas ao mundo real

Falsah!
Beatriz Coutinho
Mundial de LoL: Nicks e elos dos jogadores da INTZ nas ranqueadas chinesas
League of Legends

Mundial de LoL: Nicks e elos dos jogadores da INTZ nas ranqueadas chinesas

Intrépidos disputarão o Worlds 2020 de League of Legends
Beatriz Coutinho
LoL: Projeto Valkirias e Girls Arena treinam mulheres que querem ser pro players
League of Legends

LoL: Projeto Valkirias e Girls Arena treinam mulheres que querem ser pro players

Saiba onde encontrar ajuda para se tornar uma jogadora profissional
Beatriz Coutinho