Takeshi

LoL: Takeshi, muito mais do que o "eterno vice" - o eterno finalista

Só é vice quem chega à grande final
Foto: Lucas Takashi/Versus/Montagem
Foto: Lucas Takashi/Versus/Montagem

O pro player de Murilo "Takeshi" Alves, também chamado de Capitão, é um dos poucos brasileiros que ainda está atuando em alto nível no competitivo de League of Legends desde o início do cenário no Brasil. Muitos conhecem Takeshi pela quantidade de vezes em que o pro player foi vice-campeão - no entanto, isso apenas demonstra a estabilidade constante do profissional.

Leia mais:


Uma carreira extensa

A jornada competitiva de Takeshi começou em 2012. Ao todo, ele possui nove títulos, 14 vice-campeonatos e dez participações em semifinais durante sua passagem em sete equipes: Awake, Insight eSports, Nex Impetus, CNB e-Sports Club, Vivo Keyd (Keyd Stars), paiN Gaming e Team oNe, time atual do pro player.

A história de que o Capitão é "o eterno vice" começou em 2013 na CNB, junto de Whesley "Leko" Holler, André "manajj" Rocha, Leonardo "Alocs" Belo e Daniel "Danagorn" Drummond. Na época, a equipe ficou em segundo lugar nos campeonatos AGE Campinas 2013 e no Campeonato Brasileiro da Season 3.

A AGE Campinas oferecia vaga direta para o Campeonato Brasileiro e assim, era muito visada pelas organizações. Na competição, a CNB perdeu para a Keyd por 2 a 0 na grande final, sendo que os blumers eram favoritos ao título por terem se saído bem contra os adversários em uma rodada anterior.

Já o Campeonato Brasileiro da Season 3 seguiu da mesma maneira: uma CNB dominante que chegou até as finais invicta, mas que perdeu na decisão por 3 a 1 contra a paiN.

Veja um dos jogos a seguir:

Posteriormente, outras duas vezes em que o time ficou em segundo lugar (Solomid BR Invitational 1 e Brasil Gaming League Arena 2) tornaram o meme sobre os vices de Takeshi ainda maior na comunidade... Que deixava de lado algumas conquistas de título, como na ESL Brasil Open 2013 e a BGS International Challenge 2013.

Em 2014, Danagorn deixou a função de caçador na equipe e Gabriel "Revolta" Henud assumiu o posto. Já nomeado de CBLoL, o torneio brasileiro foi surpreendente: a CNB conseguiu eliminar a favorita paiN Gaming e seus integrantes sul-coreanos, enquanto do outro lado da chave a KaBuM eliminou a Keyd Stars, que também contava com pro players estrangeiros de alto nível.

A grande final acabou sendo vencida pela KaBuM, que emplacou um 3 a 1 nos blumers e se classificou para o Worlds 2014. Na competição regional, Takeshi manteve um bom desempenho e foi o segundo melhor em eliminações, além de contar com um AMA (média de abates, mortes e assistências) de 4,09 - um número alto para a época.

Após a segunda temporada do CBLoL 2014, Takeshi mudou de equipe e foi para a Keyd Stars ao lado de Revolta, Matheus "Mylon" Borges, Felipe "brTT" Gonçalves e Caio "Loop" Almeida.

Os primeiros torneios na Keyd começaram com vitórias (Xtreme League of Legends e Brazil Gaming League 2014), mas foi na X5 Mega Arena 2 que a assombração do vice voltou ao campeão. 

Na XMA 2, a Keyd atropelou a Gamers2 do espanhol Carlos "ocelote" Rodríguez (que posteriormente virou a G2 Esports) para chegar à grande final contra a paiN Gaming. Eles iniciaram o confronto vencendo por 2 a 0, porém a paiN virou o jogo e venceu o campeonato por 3 a 2.

Mesmo com a derrota, a Keyd terminou o ano de 2014 com um segundo lugar na Razer Challenge Brasil Season 2 e o primeiro lugar na Go4Gold Arena 2014, da CCXP.

Durante o período que Takeshi ficou na Keyd Stars, de 2014 até 2017, ele conquistou os títulos do CBLoL All-Star 2015 e Rift Rivals 2017, mas ficou em segundo lugar no 1º split CBLoL 2015, BRMA 2015 São Paulo, 1º split do CBLoL 2016, BRMA 2016 Rio e 1º split CBLoL 2017.

Uma das últimas aparições do Capitão em decisões foi justamente o título do Rift Rivals 2017. Logo em seguida, ele jogou a Série de Acesso no final do mesmo ano pela Keyd Stars, foi transferido para a paiN Gaming em 2018 e acabou caindo para o Circuito Desafiante na primeira temporada.

Em maio de 2018, Takeshi foi para a Team oNe e a equipe não conseguiu subir para o CBLoL no segundo split de 2018. No ano de 2019, o Capitão foi finalista novamente na 1ª etapa do Circuito Desafiante e, em 27 de abril, jogará a Série de Acesso contra a Vivo Keyd para retornar à elite do torneio.

Um pro player estável

Mesmo com um histórico repleto de finais não conquistadas, deixar de reconhecer a habilidade e grande estabilidade de Takeshi é um erro - principalmente porque o jogador já participou de 38 torneios em sua carreira e não chegou às semifinais em apenas cinco: IEM Global Challenge São Paulo 2013, IEM Season 8 São Paulo 2014, X5 MegaArena 2014, 2º split do CBLoL 2017 e 1º split do CBLoL 2018... Um marco impressionante na carreira de um pro player.


Além disso, o jogador se classificou para as decisões de 23 dos 38 torneios de sua carreira, mostrando que estava sempre entre as melhores equipes da competição. Ou seja, ele foi finalista em 60,5% dos campeonatos disputados.


Apenas para título de curiosidade, se compararmos Takeshi (com 9 títulos e 14 vices) a outros veteranos do meio, temos:

Thiago "tinowns" Sartori

  • Início de carreira em 2012;
  • 12 decisões (finalista em 32,4% dos 37 torneios disputados);
  • 4 títulos e 8 vices.

Gabriel "tockers" Claumann

  • Início de carreira em 2014;
  • 17 decisões (finalista em 50% dos 34 torneios disputados);
  • 13 títulos e 4 vices.

Gabriel "Kami" Bohm

  • Início de carreira em 2012, aposentadoria em 2017;
  • 15 decisões (finalista em 39,4% dos 38 torneios disputados);
  • 6 títulos e 9 vices.


Se considerarmos pro players de outras rotas, temos Felipe "brTT" Gonçalves e Gabriel "Revolta" Henud - que já jogaram ao lado de Takeshi - como alguns dos únicos que superam os números do Capitão:

Felipe "brTT" Gonçalves

  • Início de carreira em 2012;
  • 22 decisões (finalista em 62,8% dos 35 torneios disputados);
  • 11 títulos e 11 vices.

Gabriel "Revolta" Henud

  • Início de carreira em 2013;
  • 27 decisões (finalista em 65,8% dos 41 torneios disputados);
  • 16 títulos e 11 vices.


A estabilidade do Capitão é tanta que o jogador conseguiu se classificar para as finais de torneios oficiais da Riot Games ininterruptamente de 2013 até 2017, deixando esta marca de lado apenas em 2018, ano em que caiu para o Circuito Desafiante com a paiN.


Curiosidades

Para finalizar, veja algumas curiosidades da carreira competitiva do Capitão, Murilo "Takeshi" Alves:

  • De acordo com registros no Gamepedia de 2014 até 2019, Takeshi está invicto de Yasuo com 7 jogos vencidos competitivamente: duas vezes no Campeonato Brasileiro 2014, em uma partida do 2º split CBLoL 2015, em um jogo na BRMA 2015 São Paulo, duas vezes no 2º split Circuito Desafiante 2018 e em uma disputa no 1º split Circuito Desafiante 2019;
  • Por outro lado, Corki é o campeão que o Capitão tem o pior desempenho, com quatro derrotas e zero vitórias: duas vezes no 2º split do CBLoL 2017, uma vez no Rift Rivals 2017 e em outra disputa na 1ª temporada do Circuito Desafiante 2019;
  • LeBlanc é a campeã que Takeshi mais jogou em partidas oficiais, somando 23 jogos (14 vitórias e nove derrotas), seguida de Lissandra com 19 disputas (12 vitórias e 7 derrotas) e Syndra com 16 partidas (9 vitórias e 7 derrotas).


Após analisar uma carreira tão extensa e um aproveitamento incrível em semifinais e grandes finais, está na hora da comunidade perceber como a jornada de Takeshi em League of Legends não deve ser resumida apenas como "o eterno vice", mas sim como o eterno finalista - afinal, o jogador mostra uma habilidade claramente acima de outros jogadores presentes no cenário competitivo.

No vídeo acima, é possível conferir uma entrevista com Takeshi e Kami falando a respeito de suas respectivas participações no Gillete ULT, reality show em que foram tutores de uma nova geração de pro players.



Lucas Takashi é redator do Versus. Siga-o no Twitter em @IugahTK.