League of Legends

LoL: Quais são as chances da KaBuM no Mundial 2018? Melao13 e Schaeppi respondem

Especialistas analisam os adversários dos brasileiros na Fase de Entrada
@helenavnogueira
Helena Nogueira
escreve para o Versus.
Foto: Riot Games/Reprodução
Foto: Riot Games/Reprodução

Restam apenas algumas horas para o início do Mundial de League of Legends 2018. Representando o Brasil, a equipe da KaBuM eSports fará a sua estreia na madrugada desta segunda-feira (1) no LoL Park, em Seoul, na Coreia do Sul.

Para preparar a torcida, o Versus conversou com Gustavo “Melao13” Ruzza e Tacio Schaeppi, respectivamente analista e narrador do Campeonato Brasileiro de League of Legends, sobre as expectativas quanto ao desempenho dos brasileiros e seus adversários no Grupo C da Fase de Entrada do Worlds.

Leia mais sobre LoL:

O sorteio dos grupos determinou que a equipe de Marcelo "Riyev" Carrara enfrenta a Cloud 9 (C9), da LCS NA (América do Norte), e a Detonation FocusMe (DFM), da LJL (Japão) na etapa que dá início ao Mundial 2018. Nesta segunda-feira (1), os brasileiros enfrentam as duas equipes - a C9 às 5h e a DFM às 7h do horário de Brasília - e está há cerca de duas semanas na Coreia do Sul participando de um bootkamp.

Para avançar na competição, a KaBuM precisa alcançar a segunda ou primeira colocação de seu grupo, para então participar de uma melhor de cinco (md5) que valerá vaga para a Fase Principal. Diante disto, o que os fãs brasileiros podem esperar do time no campeonato?

TitaN e Zantins, da KaBuM, em dia de entrevistas na Coreia do Sul. Foto: Riot Games/Reprodução
TitaN e Zantins, da KaBuM, em dia de entrevistas na Coreia do Sul. Foto: Riot Games/Reprodução

As chances da KaBuM no Grupo C da Fase de Entrada

Esta pode ser a primeira vez da line-up de Alexandre "TitaN" Lima no maior evento de League of Legends do ano, porém, sua equipe é uma das mais experientes no cenário brasileiro em relação a competições internacionais. Em maio, o time disputou o Mid-Season Invitational (MSI), sendo o primeiro conjunto brasileiro a participar das duas competições de LoL em um mesmo ano. Além disso, os jogadores venceram o Rift Rivals ao lado da Vivo Keyd em junho.

Sendo assim, o que é possível esperar da KaBuM em seu grupo?

Leia a opinião de Schaeppi:

“Em relação à Fase de Entrada, especificamente, vejo a KaBuM com grandes chances neste Mundial. Todo ano nós torcemos para uma combinação favorável para voltarmos à Fase de Grupos do Mundial, e acho que neste ano tivemos um bom sorteio. Temos um time que é freguês histórico do Brasil e, do outro lado, um carrasco recente, que não é uma mega potência e que pode ser superado - a muito custo, ao meu ver. Então acredito que 2018 pode ser um ano histórico para o Brasil no Mundial”.

Conheça o palpite de Melao13:

“Tenho falado isso constantemente: passar de grupo na Fase de Entrada do Mundial deve ser uma mera formalidade para qualquer equipe brasileira. São apenas três equipes e duas se classificam, então acredito na classificação da KaBuM em segundo lugar. Se conseguirem arrancar a liderança da C9, seria uma grata e grande surpresa”.
Sneaky, da Cloud9, é o jogador com o maior número de participações consecutivas no Worlds. Foto: Riot Games/Reprodução
Sneaky, da Cloud9, é o jogador com o maior número de participações consecutivas no Worlds. Foto: Riot Games/Reprodução

Como você avalia o atual desempenho da Cloud9? E da Detonation FocusMe?

Na visão de Schaeppi, a Detonation FocusMe não deve oferecer muito desafio para os brasileiros, mas a Cloud9 vem com "moral renovada":

“Ao observar nossos dois adversários diretos, os números podem enganar. Apesar da DFM ser uma potência de sua região e ter seus resultados há anos entre 1° e 2° lugares, a liga da LJL é uma das mais fracas do mundo quando falamos de LoL competitivo.

Em todos os embates contra o Brasil, a Detonation foi esmagada sem muitos problemas e não vejo isso mudando neste ano. A KaBuM deve manter a tradição e vencer mais esta com facilidade, mesmo com a campanha exemplar da DFM em sua liga, perdendo somente uma série e tendo uma final tranquila.

Não se enganem sobre a C9. Apesar de passar como a terceira vaga do NA para o mundial, a C9 fez uma retomada incrível neste ano. Após uma primeira temporada terminando entre 5°-6°, a C9 relembrou seus dias de glória e finalizou a segunda etapa em 2° lugar, só ficando atrás da incrível Team Liquid. Além disso, nos playoffs, para conquistar a vaga no Mundial, eles tiveram que derrotar a tradicionalíssima TSM nada mais nada menos que 2 vezes. Não há dúvidas de que a C9 vem com moral renovada para este Mundial e com a potência de sempre em campeonatos internacionais, onde tem sempre a fama de ser um dos times do NA que performa melhor nos palcos”.

Em 2018, a DFM faz o seu retorno ao Worlds após dois anos ausente do campeonato. Já a C9 esteve presente em todos os Mundiais desde o ano de 2013. Neste ano, Zachary "Sneaky" Scuderi, o atirador da equipe, se consagrou o jogador com o maior número de participações consecutivas na competição.

Melao13 concorda com o narrador em relação ao momento dos norte-americanos, afirmando também que o desempenho dos japoneses "não enchem os olhos":

“A C9 vem de uma grande fase com uma recuperação que entrará na história da LCS NA: depois de algumas decisões surpreendentes de mudança de elenco e um começo ruim, eles conseguiram um retorno quase perfeito e chegaram à Final da competição. Eles apostaram num elenco robusto, utilizando na reta final 7 jogadores. Levar apenas um reserva pode atrapalhar um pouco o time, mas não vejo isso impactando a Fase de Entrada.

A DFM vem de uma região com pouquíssima relevância internacional. Em outros momentos, algumas equipes japonesas chegaram a empolgar, mas desta vez não enchem os olhos”.
Após dois anos, a DFM voltou a vencer a LJL. Foto: Riot Games/Reprodução
Após dois anos, a DFM voltou a vencer a LJL. Foto: Riot Games/Reprodução

Qual das duas adversárias a KaBuM deve prestar mais atenção e por quê?

Schaeppi opina que os brasileiros devem centralizar seus esforços em relação a seus maiores adversários - Cloud 9:

“Obviamente, ao meu ver, a equipe onde a KaBuM tem que focar toda sua atenção e esforço é C9. Eles que eliminaram a Team One no último Mundial e, além disso, vêm de uma campanha fortíssima na LCS. Eles vêm embalados, preparados e estudados sobre o estilo brasileiro de jogo.

A missão da Kabum não vai ser nada fácil perante uma C9 que sempre nos traz lembranças ruins de Mundial. Quem sabe aquela dívida histórica lá de 2014, quando a Kabum eliminou a Alliance e classificou a C9, não possa ser cobrada agora pelo destino nos favorecendo”.

Melao, por outro lado, acredita que o esforço primeiro da KaBuM deve ser em relação aos japoneses:

“Acredito que a KaBuM deva concentrar suas atenções à DFM porque é o time com quem realmente vão disputar uma das vagas. A C9 é uma adversária muito forte, que pode ceder à pressão da KBM numa melhor de um, mas precisam fazer a lição de casa vencendo a DFM as duas vezes pra se garantirem na segunda etapa da Fase de Entrada”.

A Fase de Entrada do Mundial acontece entre 1 e 7 de outubro. Já a Fase de Grupos e playoffs acontecem entre 10 de outubro e 3 de novembro.

Para saber tudo sobre o início do Worlds 2018, que contará com a equipe brasileira KaBuM eSports, confira o Guia da Fase de Entrada.



Helena Nogueira é repórter no Versus. Siga-a em @helenavnogueira.

Tags Relacionadas
League of Legends
Mais notícias
TFT: Rakin deixará de participar da final mundial do Twitch Rivals
Teamfight Tactics

TFT: Rakin deixará de participar da final mundial do Twitch Rivals

Jogador pode mudar de plataforma em breve
Beatriz Coutinho
LoL: Bug de camuflagem reduz vida de Neeko
League of Legends

LoL: Bug de camuflagem reduz vida de Neeko

Neeko ficou com menos vida que um minion
Matheus Oliveira
LoL: Técnico Hiro e topo Wizer são dispensados da Kabum
League of Legends

LoL: Técnico Hiro e topo Wizer são dispensados da Kabum

Coreanos retornarão ao seu país de origem
Beatriz Coutinho