League of Legends

LoL: Quais são as chances da KaBuM no Mundial 2018? Melao13 e Schaeppi respondem

Especialistas analisam os adversários dos brasileiros na Fase de Entrada
@helenavnogueira
Escrito por
Helena Nogueira
Foto: Riot Games/Reprodução
Foto: Riot Games/Reprodução

Restam apenas algumas horas para o início do Mundial de League of Legends 2018. Representando o Brasil, a equipe da KaBuM eSports fará a sua estreia na madrugada desta segunda-feira (1) no LoL Park, em Seoul, na Coreia do Sul.

Para preparar a torcida, o Versus conversou com Gustavo “Melao13” Ruzza e Tacio Schaeppi, respectivamente analista e narrador do Campeonato Brasileiro de League of Legends, sobre as expectativas quanto ao desempenho dos brasileiros e seus adversários no Grupo C da Fase de Entrada do Worlds.

Leia mais sobre LoL:

O sorteio dos grupos determinou que a equipe de Marcelo "Riyev" Carrara enfrenta a Cloud 9 (C9), da LCS NA (América do Norte), e a Detonation FocusMe (DFM), da LJL (Japão) na etapa que dá início ao Mundial 2018. Nesta segunda-feira (1), os brasileiros enfrentam as duas equipes - a C9 às 5h e a DFM às 7h do horário de Brasília - e está há cerca de duas semanas na Coreia do Sul participando de um bootkamp.

Para avançar na competição, a KaBuM precisa alcançar a segunda ou primeira colocação de seu grupo, para então participar de uma melhor de cinco (md5) que valerá vaga para a Fase Principal. Diante disto, o que os fãs brasileiros podem esperar do time no campeonato?

TitaN e Zantins, da KaBuM, em dia de entrevistas na Coreia do Sul. Foto: Riot Games/Reprodução
TitaN e Zantins, da KaBuM, em dia de entrevistas na Coreia do Sul. Foto: Riot Games/Reprodução

As chances da KaBuM no Grupo C da Fase de Entrada

Esta pode ser a primeira vez da line-up de Alexandre "TitaN" Lima no maior evento de League of Legends do ano, porém, sua equipe é uma das mais experientes no cenário brasileiro em relação a competições internacionais. Em maio, o time disputou o Mid-Season Invitational (MSI), sendo o primeiro conjunto brasileiro a participar das duas competições de LoL em um mesmo ano. Além disso, os jogadores venceram o Rift Rivals ao lado da Vivo Keyd em junho.

Sendo assim, o que é possível esperar da KaBuM em seu grupo?

Leia a opinião de Schaeppi:


“Em relação à Fase de Entrada, especificamente, vejo a KaBuM com grandes chances neste Mundial. Todo ano nós torcemos para uma combinação favorável para voltarmos à Fase de Grupos do Mundial, e acho que neste ano tivemos um bom sorteio. Temos um time que é freguês histórico do Brasil e, do outro lado, um carrasco recente, que não é uma mega potência e que pode ser superado - a muito custo, ao meu ver. Então acredito que 2018 pode ser um ano histórico para o Brasil no Mundial”.

Conheça o palpite de Melao13:


“Tenho falado isso constantemente: passar de grupo na Fase de Entrada do Mundial deve ser uma mera formalidade para qualquer equipe brasileira. São apenas três equipes e duas se classificam, então acredito na classificação da KaBuM em segundo lugar. Se conseguirem arrancar a liderança da C9, seria uma grata e grande surpresa”.
Sneaky, da Cloud9, é o jogador com o maior número de participações consecutivas no Worlds. Foto: Riot Games/Reprodução
Sneaky, da Cloud9, é o jogador com o maior número de participações consecutivas no Worlds. Foto: Riot Games/Reprodução

Como você avalia o atual desempenho da Cloud9? E da Detonation FocusMe?

Na visão de Schaeppi, a Detonation FocusMe não deve oferecer muito desafio para os brasileiros, mas a Cloud9 vem com "moral renovada":


“Ao observar nossos dois adversários diretos, os números podem enganar. Apesar da DFM ser uma potência de sua região e ter seus resultados há anos entre 1° e 2° lugares, a liga da LJL é uma das mais fracas do mundo quando falamos de LoL competitivo. Em todos os embates contra o Brasil, a Detonation foi esmagada sem muitos problemas e não vejo isso mudando neste ano. A KaBuM deve manter a tradição e vencer mais esta com facilidade, mesmo com a campanha exemplar da DFM em sua liga, perdendo somente uma série e tendo uma final tranquila. Não se enganem sobre a C9. Apesar de passar como a terceira vaga do NA para o mundial, a C9 fez uma retomada incrível neste ano. Após uma primeira temporada terminando entre 5°-6°, a C9 relembrou seus dias de glória e finalizou a segunda etapa em 2° lugar, só ficando atrás da incrível Team Liquid. Além disso, nos playoffs, para conquistar a vaga no Mundial, eles tiveram que derrotar a tradicionalíssima TSM nada mais nada menos que 2 vezes. Não há dúvidas de que a C9 vem com moral renovada para este Mundial e com a potência de sempre em campeonatos internacionais, onde tem sempre a fama de ser um dos times do NA que performa melhor nos palcos”.

Em 2018, a DFM faz o seu retorno ao Worlds após dois anos ausente do campeonato. Já a C9 esteve presente em todos os Mundiais desde o ano de 2013. Neste ano, Zachary "Sneaky" Scuderi, o atirador da equipe, se consagrou o jogador com o maior número de participações consecutivas na competição.

Melao13 concorda com o narrador em relação ao momento dos norte-americanos, afirmando também que o desempenho dos japoneses "não enchem os olhos":


“A C9 vem de uma grande fase com uma recuperação que entrará na história da LCS NA: depois de algumas decisões surpreendentes de mudança de elenco e um começo ruim, eles conseguiram um retorno quase perfeito e chegaram à Final da competição. Eles apostaram num elenco robusto, utilizando na reta final 7 jogadores. Levar apenas um reserva pode atrapalhar um pouco o time, mas não vejo isso impactando a Fase de Entrada. A DFM vem de uma região com pouquíssima relevância internacional. Em outros momentos, algumas equipes japonesas chegaram a empolgar, mas desta vez não enchem os olhos”.
Após dois anos, a DFM voltou a vencer a LJL. Foto: Riot Games/Reprodução
Após dois anos, a DFM voltou a vencer a LJL. Foto: Riot Games/Reprodução

Qual das duas adversárias a KaBuM deve prestar mais atenção e por quê?

Schaeppi opina que os brasileiros devem centralizar seus esforços em relação a seus maiores adversários - Cloud 9:


“Obviamente, ao meu ver, a equipe onde a KaBuM tem que focar toda sua atenção e esforço é C9. Eles que eliminaram a Team One no último Mundial e, além disso, vêm de uma campanha fortíssima na LCS. Eles vêm embalados, preparados e estudados sobre o estilo brasileiro de jogo. A missão da Kabum não vai ser nada fácil perante uma C9 que sempre nos traz lembranças ruins de Mundial. Quem sabe aquela dívida histórica lá de 2014, quando a Kabum eliminou a Alliance e classificou a C9, não possa ser cobrada agora pelo destino nos favorecendo”.

Melao, por outro lado, acredita que o esforço primeiro da KaBuM deve ser em relação aos japoneses:


“Acredito que a KaBuM deva concentrar suas atenções à DFM porque é o time com quem realmente vão disputar uma das vagas. A C9 é uma adversária muito forte, que pode ceder à pressão da KBM numa melhor de um, mas precisam fazer a lição de casa vencendo a DFM as duas vezes pra se garantirem na segunda etapa da Fase de Entrada”.

A Fase de Entrada do Mundial acontece entre 1 e 7 de outubro. Já a Fase de Grupos e playoffs acontecem entre 10 de outubro e 3 de novembro.

Para saber tudo sobre o início do Worlds 2018, que contará com a equipe brasileira KaBuM eSports, confira o Guia da Fase de Entrada.

Helena Nogueira é repórter no Versus. Siga-a em @helenavnogueira.

Tags Relacionadas
League of Legends
Mais notícias
LoL: Sneaky diz que planeja voltar a competir na LCS
League of Legends

LoL: Sneaky diz que planeja voltar a competir na LCS

O jogador anunciou pausa na carreira em janeiro deste ano
Matheus Oliveira
LoL: Team One e RED disputarão final do 2º split do Circuito Desafiante 2020
League of Legends

LoL: Team One e RED disputarão final do 2º split do Circuito Desafiante 2020

Grande final será em 15 de agosto, próximo sábado
Beatriz Coutinho
TIM Live renova patrocínio com paiN Gaming
Mercado

TIM Live renova patrocínio com paiN Gaming

A parceria engloba as line-ups de LoL, CS:GO e Valorant
Matheus de Lucca