League of Legends

LoL: "Não penso em me aposentar, é hora de trabalhar duro", diz Faker

Beatriz Coutinho
Pro player afirmou que gosta de ler e meditar para se livrar do estresse
Foto: Riot Games/Reprodução
Foto: Riot Games/Reprodução

Após não conseguir se classificar para o Mundial 2018 e até mesmo passar algumas partidas na reserva, há quem acredite que o tempo de Lee "Faker" Sang-hyeok no cenário competitivo de League of Legends está acabando, mas não é assim que o pro player enxerga seu atual momento. "Não penso em me aposentar, é hora de trabalhar duro", afirmou o jogador durante uma entrevista.

Leia mais:


Ao conversar com o site The Chosun Ilbo, Faker foi questionado sobre uma possível aposentadoria, já que alguns dos jogadores que trabalharam ao lado dele no início do cenário competitivo já não são mais pro players.

"Não penso em me aposentar, é hora de trabalhar duro. Depois da aposentadoria, muitas possibilidades estarão abertas. Só não sou bom em ensinar", afirmou o tricampeão mundial.

Ao comentar sobre as críticas que recebe, afirmando que ele não é mais um bom jogador, Faker disse que costumava ser bastante sensível em relação a este assunto, mas garantiu que já sabe lidar com ele.

"Viver como um pro player é como uma montanha-russa. Ao olhar para trás, me vi com muitas derrotas no último ano. Acho que estou definitivamente pior em relação a minha melhor temporada, mas darei o meu melhor e superarei isto", garantiu o jogador.

Faker, tricampeão mundial de LoL | Foto: INVEN/Reprodução
Faker, tricampeão mundial de LoL | Foto: INVEN/Reprodução

Ao ser questionado sobre sua carreira, Faker afirma que não colocou tanto esforço pessoal em League of Legends para ser bom.

"Mesmo assim, eu peguei rank 1. Acho que fui feito para ser um jogador profissional. Eu não fico bravo facilmente. Todo mundo me pergunta como faço para lidar com minha mentalidade. Eu respondo que simplesmente nasci assim. Fiz um teste de personalidade recentemente e me disseram que sou um robô"

Ainda assim, o pro player afirmou que se tiver filhos, não vai incentivá-los em seguir a mesma carreira que ele: "Nós não temos tempo livre [...]. É difícil conseguir bons resultados, é muito competitivo, é impossível estudar se você tiver que seguir um calendário internacional. Você precisa ser muito bom em jogar e ter a personalidade certa, caso contrário, eu recomendaria estudar para abrir os próprios horizontes".

Durante a entrevista, Faker também falou sobre as ofertas para jogar em times chineses que ele recusou. "Sempre escolho o que é melhor para o meu futuro. Eu escolhi a SKT por sua lealdade e a Coreia do Sul pelo seu espírito patriótico", ressaltou o jogador.

Atualmente, a SKT T1 ocupa a 7ª colocação da tabela do 2º split da liga sul-coreana de League of Legends.

A campeã Qiyana, também conhecida como Imperatriz dos Elementos, chegou ao League of Legends recentemente e o Versus convidou o streamer Daniel "Daniels" Marcon para testar as habilidades da personagem e descobrir seus truques. Confira no vídeo acima o que o streamer achou da campeã.

Siga o Versus nas redes sociais para mais notícias - Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Bia Coutinho é redatora do Versus. Siga-a no Twitter em @biaacoutinhoo.

Tags Relacionadas
League of LegendsFaker