League of Legends

LoL: LEC encerra parceria com NEOM após ser criticada por fãs e funcionários

Torneio europeu voltou atrás em sua decisão em menos de 24 horas
@biaacoutinhoo
Escrito por
Beatriz Coutinho

Foto: Riot Games/Reprodução
Foto: Riot Games/Reprodução

Na última terça-feira (28), a League of Legends Esports Championship (LEC), liga europeia de LoL, anunciou uma parceria com a NEOM, cidade-estado futurista e zona econômica transnacional que está sendo construída entre as fronteiras de três países: Arábia Saudita, Jordânia e Egito. Após o anúncio do acordo, casters da transmissão do torneio, funcionários da Riot Games e fãs repudiaram a ação, alegando inúmeros fatores: desde a intolerância da Arábia Saudita com direitos LGBTQIAP+ até desapropriações de moradores do território em que o empreendimento é construído. No dia seguinte (29), a LEC voltou atrás em sua decisão e anunciou o fim da parceria.

Leia mais:

A parceria

O anúncio da parceria entre LEC e NEOM foi feito por meio do LoL Esports, portal de informações sobre todas as competições do jogo. Nele, a Riot afirma que a NEOM é uma "nova comunidade que será a casa e o espaço de trabalho de mais de um milhão de cidadãos do mundo todo que querem fazer parte da construção de um novo modelo de vida sustentável, trabalho e próspero".

Segundo a desenvolvedora, o projeto inclui vilas e cidades, portos e zonas empresariais, centros de pesquisa, esportes, locais de entretenimento e destinos turísticos projetados para "desempenhar um papel de liderança no desenvolvimento global" e defesa do desenvolvidmento dos esports em todo o mundo.

Foi a partir desse momento que grande parte do público da LEC e de outras ligas competitivas de LoL tomaram conhecimento da parceria. Algo que chamou atenção da comunidade foi o fato de que não apenas fãs do jogo questionaram a empresa sobre o acordo com a NEOM, mas também os casters da transmissão da LEC.

"Isso é decepcionante porque é a LEC. É o meu time, meu produto, meus gerentes, meu escritório. Minha família. Minha casa. Isto não é alguém longe em uma sede que eu não conheço. É devastador porque eu conheço quem fez essas escolhas e me sinto silenciada", disse Indiana "Froskurinn" Black, comentarista do torneio.

Daniel "Drakos" Drakos, caster da LEC, também se pronunciou sobre a parceria no Twitter. "Houve muitos dias bons em ser um membro do time da LEC, hoje não é um desses dias".

Andrew "Vedius" Day, Aaron "Medic" Chamberlain e Eefje 'sjokz' Depoortere se pronunciaram, dizendo que se sentiam frustrados e desapontados com o anúncio do acordo entre LEC e NEOM.

O que está por trás da NEOM?

A construção dessa cidade-estado futurista foi anunciada em outubro de 2017 pelo príncipe herdeiro da Arábia Saudita Mohammad bin Salman, que já gastou mais de US$ 9 mil no passe de batalha do The International 10. Segundo ele, o investimento inicial para o planejamento e construção da NEOM foi de US$ 500 bilhões, dinheiro que teve origem no Fundo de Investimento Público da Arábia Saudita e de investidores internacionais.

Apesar de ser conhecido por ter um regime que busca a modernidade para a Arábia Saudita, como, por exemplo, quando ordenou o fim da proibição que determinava que mulheres não pudessem dirigir e frequentar arquibancadas de eventos esportivos, o regime do príncipe herdeiro também está marcado por graves problemas.

Um deles, foi a morte do jornalista Jamal Khashoggi, crítico de seu governo e colunista do jornal norte-americano Washington Post, pela qual o príncipe assumiu a responsabilidade, embora tenha dito que não ordenou a execução do profissional.

Apesar das promessas de geração de empregos, novas leis tributárias, trabalhistas, sistema judiciário autônomo, sustentabilidade, entre outras, a construção da NEOM apresenta diversos conflitos. Um deles foi denunciado pelo jornal The Guardian em maio deste ano. Sob o título "Está sendo construído sobre o nosso sangue", o texto da jornalista Ruth Michaelson fala sobre a tribo Huwaitat que se abriga em uma área próxima ao futuro empreendimento. Pelo menos 20 mil membros da tribo foram despejados por conta do projeto.

Em abril, o ativista Abdul Rahim al-Huwaiti foi encontrado morto. Ele publicava vídeos expondo a situação dos Huwaitat e reportava ações de funcionários da NEOM que ofereciam dinheiro para que os moradores deixassem suas casas. Os agentes da empresa também prendiam nativos que se recusavam a deixar o local em que moravam.

Além dos problemas que envolvem a construção do projeto, a comunidade de LoL também destacou o fato de que a Arábia Saudita não reconhece os direitos da comunidade LGBTQIAP+ e possui um grave histórico de violência contra seus integrantes. Atualmente, a foto de perfil da LEC no Twitter é o símbolo da liga nas cores da bandeira LGBTQIAP+. Segundo os fãs, isto sugere que apesar de manifestar apoio à causa, a organização do torneio não está verdadeiramente preocupada em colocar seu discurso em prática.

O fim da parceria

O tuíte de anúncio da parceria entre LEC e NEOM foi feito às 8h19. O tuíte sobre o fim do acordo foi publicado às 22h35 do mesmo dia. Junto dele, a Riot publicou um novo texto no LoL Esports, no qual há uma mensagem de Alberto Guerrero, diretor de esports da desenvolvedora para as regiões Europa, Oriente Médio e África.

"Como companhia e liga, sabemos que é importante reconhecer quando cometemos erros e rapidamente trabalhar para corrigi-los. Após profunda reflexão, enquanto permanecemos firmemente comprometidos com todos os nossos jogadores e fãs ao redor do mundo, incluindo os que vivem na Arábia Saudita e no Oriente Médio, a LEC encerrou a parceria com a NEOM imediatamente. Em um esforço para expandir nosso ecossistema de esports, nos movemos muito rápido para consolidar essa parceria e causamos rompimentos na própria comunidade que queremos que cresça. Embora tenhamos errado em nossas próprias expectativas nesse caso, estamos comprometidos a reexaminar nossas estruturas internas para garantir que isso não aconteça novamente."

As respostas ao tuíte com o fim do anúncio se dividem. Enquanto alguns fãs se mostraram contentes com a decisão da liga, outros pedem para que a Riot Games preste mais atenção nos projetos em que se envolve.

"Por que vocês decidiram sequer trabalhar com eles em primeiro lugar? Vocês não têm times e advogados que poderiam ter avisado sobre essa situação e o motivo pelo qual essa era uma má ideia?", escreveu a streamer Macaiyla.

Carlos "ocelote" Rodríguez, fundador e CEO da G2, organização cujo time de LoL disputa a LEC, também se pronunciou. "Isso será revelado, mas peço a todos que entendam como é difícil fazer isso, muito menos fazê-lo em 24 horas. É uma honra estar nesta liga".

BLAST Pro Series e NEOM

A BLAST, organizadora de torneios de Counter-Strike: Global Offensive, também anunciou uma parceria com a NEOM, em 28 de julho. Apesar de o tuíte do anúncio ter centenas de respostas negativas sobre o acordo, a empresa ainda não se pronunciou sobre o caso.

Em um texto publicado no site da companhia, a BLAST afirma que ajudará a NEOM a desenvolver tecnologia e compartilhará seu conhecimento para ajudar a construir uma academia de esports na cidade-estado e desenvolver os esports no local.

Segundo a BLAST, em 2019 a NEOM assinou um memorando de entendimento com a Federação Saudita de Esportes Eletrônicos e Intelectuais (SAFEIS) para ajudar a apoiar e promover os esports na região. Até o momento, a BLAST não se pronunciou sobre as reclamações de seus fãs sobre o assunto.

Um dos apresentadores e entrevistadores do torneio, James Banks se pronunciou sobre o assunto no Twitter: "Comecei a trabalhar com a BLAST no último ano, tenho um imenso respeito por tudo o que eles vêm fazendo e já fizeram, especialmente quando se trata da produção dos torneios e da liberdade que me dão para trabalhar, mas nós realmente precisamos ouvir o que eles têm a dizer sobre a parceria com a NEOM agora, nenhuma comunidade deve aceitar isto".

Siga o Versus nas redes sociais para mais notícias - Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Tags Relacionadas
League of Legends
Mais notícias
Guia TFT: Melhores composições e sinergias do Conjunto 3 de Teamfight Tactics
Teamfight Tactics

Guia TFT: Melhores composições e sinergias do Conjunto 3 de Teamfight Tactics

Saiba quais campões e combos priorizar para ficar em 1º nas partidas de Galáxias
Matheus Oliveira
CBLoL: "Fiquei irritado", diz Mora sobre decisão da INTZ de jogar com reservas
League of Legends

CBLoL: "Fiquei irritado", diz Mora sobre decisão da INTZ de jogar com reservas

Segundo o técnico do Santos, os intrépidos não mantiveram a integridade competitiva do CBLoL
Beatriz Coutinho
LoL: Seleção de 82, time de Mayumi, vence Logitech G Challenge
League of Legends

LoL: Seleção de 82, time de Mayumi, vence Logitech G Challenge

A grande final aconteceu no último sábado (8)
Matheus Oliveira