League of Legends

LoL: Jogadores da RoX banem apenas suportes contra time feminino Vaevicts

Decisão dos jogadores revoltou a comunidade
@biaacoutinhoo
Beatriz Coutinho
é reporter no Versus.

Os pro players da RoX escolheram banir apenas campeões da função suporte, provocando as jogadoras com o estigma de que mulheres jogam apenas nesta role - que costuma ser vista pela comunidade como "mais fácil" e "passiva". A partida foi realizada em Moscou, na Rússia.

Leia mais:

Durante toda a fase de escolha de campeões, os jogadores da RoX deram risadas enquanto escolhiam os personagens com os quais jogariam e baniam: Nami, Janna, Lulu, Thresh e Braum. As escolhas não foram feitas com embasamento estratégico.

Durante a transmissão é possível ver todos os jogadores rindo da situação. Após o banimento de Lulu, um dos jogadores até mesmo bate palmas enquanto ri.

1/2

A Vaevicts perdeu seu confronto de estreia, o que abriu espaço para que mais comentários negativos fossem feitos sobre as jogadoras.

Com a repercussão do caso, principalmente no Twitter, diversos brasileiros começaram a acompanhar a transmissão russa do jogo feito canal Eeeasy no Youtube. A maior parte dos comentários era negativa.

1/3
Imagem: Youtube/Reprodução
Imagem: Youtube/Reprodução
Imagem: Youtube/Reprodução
Imagem: Youtube/Reprodução
Imagem: Youtube/Reprodução
Imagem: Youtube/Reprodução

No Twitter, diversas pessoas ligadas à comunidade de LoL falaram sobre o assunto:

Esta não é primeira vez que mulheres no cenário competitivo de League of Legends passam por situações machistas e preconceituosas.

Em dezembro de 2017, Julia "Cute" Akemi, que jogava pela CNB, foi extremamente julgada, criticada e até mesmo culpada pela derrota da equipe em uma partida da Superliga. Estes foram alguns dos comentários que a jogadora recebeu na época.

1/2

Além de Cute, jogadoras de outros games, como a streamer de Rainbow Six Siege LittleVelma, também já foram alvo de preconceito durante partidas.

A Vaevicts volta a jogar amanhã (17), contra as equipes Vega Squadron e Dragon Army. Até o momento a Riot Games não se pronunciou sobre o assunto. No Twitter, fãs brasileiros lançaram a hashtag #RiotPenaliza.

O Versus entrou em contato com a Riot Games e está aguardando uma resposta da desenvolvedora sobre o assunto

O Versus possui uma série de textos que falam sobre o machismo no meio dos esports:

Bia Coutinho é redatora do Versus. Siga-a no Twitter em @biaacoutinhoo.

Tags Relacionadas
League of Legends
Mais notícias
LoL: Como seriam os nomes dos campeões se eles fossem brasileiros
League of Legends

LoL: Como seriam os nomes dos campeões se eles fossem brasileiros

Lux seria Luciana e Vayne com certeza seria Vanessa
Beatriz Coutinho
LoL: Faker seria um chefe rigoroso de acordo com seu gameplay de Startup Company
League of Legends

LoL: Faker seria um chefe rigoroso de acordo com seu gameplay de Startup Company

Com certeza o pesadelo de qualquer funcionário
Helena Nogueira
Legends of Runeterra: Decks para usar depois da atualização 0.9.0
Legends of Runeterra

Legends of Runeterra: Decks para usar depois da atualização 0.9.0

O meta ainda está se estabelecendo, mas já há listas que prevalecem
Matheus de Lucca