League of Legends

LoL: Ex-treinador e diretor da Griffin são banidos por má gestão e abuso a jogadores

Além disso, organização recebeu multa da Riot Games no valor de US$ 85 mil
@helenavnogueira
Escrito por
Helena Nogueira
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Após meses de investigações, a Griffin foi punida severamente pela Riot Games. Nesta quarta-feira (20), a desenvolvedora baniu o ex-treinador Kim “cvMax” Dae-ho e o diretor Cho Gyu-nam por abuso a jogadores e má gestão, respectivamente. Com isto, ambos os profissionais estão afastados por tempo indefinido do competitivo de League of Legends (LoL).

Leia mais:

O caso veio a público pela primeira vez com a saída de cvMax da equipe, feita às vésperas do início do Mundial de LoL 2019. Na época, o ex-treinador se pronunciou publicamente sobre a má gestão de Cho à frente da organização e, em seguida, o próprio coach se tornou alvo das investigações por ser acusado pelo próprio diretor de manter comportamento abusivo para com os jogadores.

Segundo o pronunciamento publicado pela Riot Games, Cho infringiu as regras da LCK (liga sul-coreana) e LPL (liga chinesa) durante o processo de empréstimo de Seo “Kanavi” Jin-hyeok para o time chinês da JD Gaming.

Kanavi tem 19 anos, sendo menor de idade segundo a legislação sul-coreana. Desta forma, a Griffin possuía a responsabilidade de consultar e ter o consentimento de um adulto responsável pelo jogador para realizar seu empréstimo. Ao invés disto, Cho optou por lidar com o pro player diretamente.

Outra infração do diretor foi um adendo que fez no contrato de Kanavi com a JD Gaming, em que determinou que o empréstimo do pro player teria cinco anos de duração - sendo que o período limite estabelecido pelo regulamento da LCK é de três anos. Com isto, não apenas Cho foi banido do competitivo, como a Griffin recebeu uma multa de US$ 85 mil (aproximadamente R$ 365 mil) da Riot Games.

Em relação a cvMax, a investigação revelou que o treinador usava de "medidas violentas" para com seus jogadores, tanto fisicamente quanto verbalmente. Confira um trecho traduzido do pronunciamento da Riot Games sobre o assunto:


"Foi identificado por meio de múltiplos depoimentos e materiais submetidos à investigação que o abuso verbal [feito por cvMax] em relação aos jogadores era de um nível difícil de ser aguentado por qualquer pessoa e, acima de tudo, algumas das vítimas desta violência eram menores de idade na época. Este tipo de comportamento violento é proibido pela lei coreana e é contra o comportamento ético geral. Portanto, concluímos que o comportamento do cvMax é uma violação grave às regras da LCK."

O banimento do treinador afeta não somente sua carreira, como o elenco da DragonX, organização que o contratou no início do mês de novembro. Agora, o time precisa encontrar um novo coach para a próxima temporada.

A Griffin disputou o Mundial de LoL 2019 e foi eliminada nas quartas de final pela Invictus Gaming (IG). Com o escândalo envolvendo o ex-treinador e o diretor da organização, os jogadores estão em defasagem para o ano competitivo de 2020.

Siga o Versus nas redes sociais para mais notícias - Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Tags Relacionadas
League of Legends
Mais notícias
Mundial de LoL: "Melhorou minha confiança", diz Isles da Legacy sobre vencer MAD Lions
League of Legends

Mundial de LoL: "Melhorou minha confiança", diz Isles da Legacy sobre vencer MAD Lions

Equipe da Oceania foi eliminada pelos chineses da LGD Gaming
Beatriz Coutinho
Mundial de LoL: "Faltou paciência", disse Maestro sobre derrota da INTZ para MAD
League of Legends

Mundial de LoL: "Faltou paciência", disse Maestro sobre derrota da INTZ para MAD

Técnico não acha que eliminação se deve a falta de acompanhamento psicológico
Beatriz Coutinho
Mundial de LoL: "Será super difícil", diz Nomanz sobre grupo da UoL na Fase de Grupos
League of Legends

Mundial de LoL: "Será super difícil", diz Nomanz sobre grupo da UoL na Fase de Grupos

Jogador comentou sobre série contra SUP, hate da comunidade e mais
Beatriz Coutinho