League of Legends

Mundial de LoL 2018: Quem vence? Análise da grande final entre Fnatic e Invictus Gaming

O analista etsblade dá suas opiniões sobre a decisão
@lucas.hagui
Escrito por
Lucas Hagui
Foto: Reprodução/LoL Esports
Foto: Reprodução/LoL Esports

O Mundial 2018 de League of Legends conta pela primeira vez em 7 anos com uma equipe ocidental alcançando as finais. E para analisar o confronto que está por vir na grande decisão, o Versus chamou Eduardo "etsblade" Souza - analista, ex-técnico da IDM Gaming e host de Around The Rift - para falar sobre as finalistas Fnatic e Invictus Gaming.

Leia mais:

Tanto a Fnatic quanto a IG começaram o Mundial no mesmo grupo, o Grupo D, junto com as equipes 100 Thieves e G-Rex. O grupo foi relativamente fácil para os dois primeiros times citados, que fizeram respectivamente o placar de 5 vitórias e 1 derrota - detalhe que a única derrota de ambas as equipes aconteceu no confronto direto, com uma vitória para cada lado.

Em busca do bi-campeonato

A Fnatic é a atual campeã da League Championship Series Europe. Os europeus jogaram a primeira etapa do Mundial no Grupo D e terminaram como líder. Na etapa das chaves, a Fnatic venceu a EDward Gaming de 3 a 1 e a Cloud 9 de 3 a 0.

Line-up

  • Gabriël "Bwipo" Rau - Topo
  • Paul "sOAZ" Boyer - Topo
  • Mads "Broxah" Brock-Pedersen - Selva
  • Rasmus "Caps" Winther - Meio
  • Martin "Rekkles" Larsson - Atirador
  • Zdravets "Hylissang" Iliev - Suporte

Mas para uma análise mais ampla, é importante ressaltar o desempenho dos jogadores individualmente.

1/2
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Olhando as estatísticas da Fnatic no Mundial, é perceptível o foco dos recursos em Rekkles, com 24,7% do ouro da equipe. E o atirador mostra lidar bem com isso, já que é um dos que menos morreu no torneio.

O sonho da China

Do outro lado, temos a Invictus Gaming, que ficou na segunda colocação da LoL Pro League, perdendo para a Royal Never Give Up por 3 a 2. No Mundial, a IG também jogou no Grupo D e ficou em segundo ao perder o desempate para a Fnatic. Na etapa das chaves, os chineses venceram a a KT Rolster por 3 a 2 e a G2 Esports por 3 a 0.

Line-up:

  • Lee "Duke" Ho-seong - Topo
  • Kang "TheShy" Seung-lok - Topoa
  • Gao "Ning" Zhen-Ning - Caçador
  • Song "Rookie" Eui-jin - Meio
  • Yu "JackeyLove" Wen-Bo - Atirador
  • Wang "Baolan" Liu-Yi - Suporte

Confira também os dados individuais dos jogadores da IG:

1/2
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A IG é bem diferente quando o assunto é distribuição de ouro, pois TheShy e JackeyLove recebem boa parte dos recursos da equipe, com 23,9% para JackeyLove e 22,4% para TheShy. Um ponto interessante é que a distribuição é feita justamente por JackeyLove morrer mais vezes que TheShy.

O confronto

Na conversa com etsblade, o analista falou um pouco do confronto rota a rota, as lutas em equipe e as escolhas de campeões de ambas as equipes.

Falando da rota superior, etsblade comentou como os jogadores das duas equipes estão em uma fase sensacional. No entanto, ele destacou a performance de TheShy, que está com uma performance semelhante ao seu desempenho no 1º split da etapa competitiva de 2018, antes de sua lesão na mão:

"O TheShy eu acho está jogando igual no primeiro split, quando ele era o grande jogador de destaque da IG. O TheShy está em uma fase que é difícil superá-lo, mas o Bwipo também está fora de série e está sendo o cara da Fnatic, trazendo muitos diferenciais para a equipe."

Na selva, Eduardo fala que Broxah está em uma fase de maior destaque, mas Ning mostrou que consegue lidar com o meta dos caçadores:

"O Ning, no Mundial, está fazendo uma performance incrível. Ele jogou muito bem contra o Go 'Score' Dong-bin, caçador da KT Rolster, que é considerado o melhor jungler da atualidade. Acho que o Ning mostrou que consegue lidar com o ponto de agressão dos caçadores."

Jogador Rookie da Invictus Gaming | Foto: Reprodução/LoL Esports
Jogador Rookie da Invictus Gaming | Foto: Reprodução/LoL Esports

A rota inferior é um dos pontos mais problemáticos da Invictus Gaming, que foi bem explorado em partidas anteriores no Mundial. No entanto, etsblade diz que esse será um ponto que a IG deve mudar para a grande decisão: "No confronto direto, eu vejo possíveis erros [iguais nas partidas] da G2, mas também vejo o time da IG atuando para deixar a botlane mais favorável para eles".

Por fim, o analista comenta sobre a rota do meio, que tem dois jogadores em ótima fase: "A midlane é o maior diferencial. o Rookie é um jogador que está muito na frente de qualquer um, não que o Caps seja ruim, longe disso, mas é que o Rookie está em uma fase fenomenal e, pra mim, é o melhor jogador em atuação no momento. E acho que o confronto da midlane é muito a favor do Rookie contra o Caps".

O melhor draft

Falando da escolha de campeões nos jogos, Eduardo "etsblade" Souza ressaltou as duas equipes por arriscarem muito nesta etapa competitiva:

"Sobre o draft, as duas equipes mostraram escolhas mais agressivas e arriscadas, como por exemplo Viktor no top da Fnatic e Jayce no mid/top da IG, quebrando a ideia de um toplaner lutador e de iniciação. Não sei o que cada equipe vai trazer, mas sei que essas equipes estão na final por arriscarem dentro do jogo e justamente no draft. Eu imagino que elas trarão novidades. A IG me surpreendeu por preparar decisões mais estudadas, mas a Fnatic mostrou uma adaptação muito grande quando jogou contra IG na Fase de Grupos."

Teamfights

Finalizando o papo, etsblade falou sobre a forma de combate dos times, ressaltando a importância da estratégia nesses momentos: "A LPL é uma liga que se reestruturou e cresceu sendo uma liga que visa muito as teamfights. No meta atual, independente das escolhas que você faz, em um momento você terá que lutar e as teamfights têm um valor muito grande. Times chineses sabem lutar muito bem, e no jogo da IG contra a KT Rolster isso ficou muito claro, pois sempre que a IG tinha alguma vantagem, eles sabiam o momento de iniciar uma luta".

"Porém, a teamfight da Fnatic é tão boa quanto, acho que é uma das principais melhorias da equipe que disputou o ano de 2018 para o time que está no Mundial. A Fnatic ao longo dos playoffs lutou muito bem e realmente acho que eles sabem como lidar com isso, pois não vejo eles entrando em lutas erradas ou tomando outplay", finaliza Eduardo.

Eduardo "etsblade" Souza foi técnico da IDM Gaming e é host do programa Around The Rift, em que quatro especialistas se reúnem e falam dos campeonatos atuais e o meta. Na última edição, eles conversaram sobre o Mundial 2018. Confira o canal do programa no YouTube.

O Mundial 2018 de League of Legends terá o confronto da grande final no dia 3 de novembro, às 4h30, com a Cerimônia de Abertura e a partida entre Invictus Gaming e Fnatic.

Para saber tudo o que aconteceu até agora no Mundial, acesse o Guia do campeonato feito pelo Versus.

Lucas Takashi é redator do Versus. Siga-o no Twitter em @IugahTK.

Tags Relacionadas
League of Legends
Mais notícias
Mundial de LoL: "Melhorou minha confiança", diz Isles da Legacy sobre vencer MAD Lions
League of Legends

Mundial de LoL: "Melhorou minha confiança", diz Isles da Legacy sobre vencer MAD Lions

Equipe da Oceania foi eliminada pelos chineses da LGD Gaming
Beatriz Coutinho
Mundial de LoL: "Faltou paciência", disse Maestro sobre derrota da INTZ para MAD
League of Legends

Mundial de LoL: "Faltou paciência", disse Maestro sobre derrota da INTZ para MAD

Técnico não acha que eliminação se deve a falta de acompanhamento psicológico
Beatriz Coutinho
Mundial de LoL: "Será super difícil", diz Nomanz sobre grupo da UoL na Fase de Grupos
League of Legends

Mundial de LoL: "Será super difícil", diz Nomanz sobre grupo da UoL na Fase de Grupos

Jogador comentou sobre série contra SUP, hate da comunidade e mais
Beatriz Coutinho