Esports

HenryG, GranDGranT e outros profissionais de esports são acusados de assédio sexual e mais

SayNoToRage e outros homens foram acusados em movimento "#MeToo" dos games
@biaacoutinhoo
Escrito por
Beatriz Coutinho

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O último sábado e domingo (dias 20 e 21) foram marcados por mulheres relatando diversas acusações de assédio, abuso sexual e relacionamentos abusivos cometidos por profissionais homens dos cenários de games e esports. Entre eles estão Henry "HenryG" Greer, comentarista de Counter-Strike: Global Offensive; Grant "GranDgranT" Harris, caster de Dota 2; Lono "SayNoToRage", streamer de Destiny, entre outros.

Leia mais:

A maior parte dos relatos começou com diversas mulheres falando sobre situações desconfortáveis e desrespeitosas que passaram por conta do streamer "SayNoToRage". Em um dos principais relatos, feito pela streamer Jessy "SheSnaps" (aviso de gatilho: o texto contém conteúdo sobre assédio sexual), ela alega que chegou a enviar um email para o streamer, contando como os comportamentos dele eram inaceitáveis e pedindo para que ele nunca mais entrasse me contato com ela.

No último sábado (20), "SayNoToRage" publicou um vídeo em que pede desculpa por seu comportamento inadequado: "Não sou a vítima dessa situação. Não há desculpa alguma para o meu comportamento. Não existe uma maneira de encobrir isso. As coisas que eu fiz foram inaceitáveis", disse o streamer.

Profissionais do cenário de esports também estão entre os acusados. A cosplayer Kelly Jean, ex-namorada de "HenryG", acusou o comentarista de CS:GO de abuso sexual e comportamento abusivo durante o relacionamento que tiveram (aviso de gatilho: o texto contém conteúdo sobre abuso sexual e comportamento abusivo). Kelly diz ter precisado da ajuda de psicólogos para lidar com tudo o que lhe aconteceu. Ela fez seu relato em 21 de junho e, até o momento, "HenryG" não comentou sobre o caso, mas escreveu diversos tweets sobre outros assuntos, como a final da BLAST Spring Showdown NA.

Neste post do Reddit, é possível ler sobre outros profissionais homens que foram acusados. Além disso, há também um post no Reddit de Dota 2 que reúne as denúncias de diversas mulheres que fazem parte da comunidade do MOBA.

O caster de Dota 2 Grant "GranDgranT" Harris foi acusado de assédio sexual. Segundo a escritora "cofactorstrudel", "GranDgranT" a agarrou pela mão e chegou a machucar seu pulso enquanto insistia para que ela ficasse ao lado dele, enquanto ele estava bêbado, durante a festa que aconteceu após a final do The International 7, mundial de Dota 2.

GranDGranT foi retirado da organização Evil Geniuses, da qual fazia parte. O caster afirmou também que deixará o cenário de esports por um longo tempo, talvez, permanentemente: "Não quero tornar essa situação sobre mim, mas quero dizer que, espero que as pessoas que não se sentem seguras, se sintam seguras, e espero que o Dota se torne um esport melhor nos próximos anos".

Segundo o ex-técnico e analista Anthony “scant” Hodgson, "GranDgranT" também arruinou a carreira da ex-comentarista Natalie “LlamaDownUnder". "Grant assediou Llama repetidamente ao ponto dela acabar pedindo uma ordem de restrição contra ele. Ela o levou ao tribunal e após anos de longos processos judiciais, a corte descobriu que ele de fato a assediava e difamava. Ele a intimidou, assediou e acabou com o trabalho dela", contou scant, que afirmou ter a permissão de Llama para contar a história dela.

"Quando Llama entrou com uma ação judicial contra Grant, ele recebeu apoio de grandes talentos do cenário. Este é o clube dos garotos. Eles são os guadiões do clube. É por conta disso que só ficamos felizes de ver uma mulher de cada vez trabalhando com casting no Dota. O cenário é tóxico", disse scant.

A famosa caster de Dota 2 Michelle "Moxxi" Song também comentou sobre os diversos relatos de casos de assédio no cenário de Dota: "Todo mundo está falando sobre assédio sexual na indústria dos games como se isso não acontecesse o tempo inteiro. Como vocês ficam surpresos sobre esses acontecimentos quando somos regularmente assediadas e quando reclamamos, a resposta é: 'isso faz parte da cultura' [?]".

Moxxi também afirmou que sempre se sente hesitante quando pais a abordam em eventos dizendo que suas filhas amam o trabalho dela e querem fazer parte do cenário de esports também. "Isso quebra o meu coração. Os esports são incríveis, mas a quantidade de coisas pelas quais essas garotas terão que lutar e se manter constantemente na defensiva (apenas como jogadora, nem mesmo como uma profissional) é insana".

Na última segunda-feira (22), a Twitch se pronunciou sobre o assunto, já que vários dos homens acusados fazem parte de sua plataforma, como streamers, por exemplo. "Levamos as acusações de assédio sexual e conduta inadequada extremamente a sério. Estamos analisando ativamente as contas que dizem respeito aos streamers da Twitch e trabalharemos com as autoridades policiais sempre que isso for aplicável", declarou a empresa, que recebeu diversas críticas nas respostas de seu tuíte.

Se você quiser saber mais sobre o caso do "#MeToo dos games", veja a reportagem completa do IGN Brasil a respeito do movimento, que começou em 2019.

Siga o Versus nas redes sociais para mais notícias - Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Tags Relacionadas
Esports
Mais notícias
Prêmio Esports Brasil 2020 acontece em dezembro
Esports

Prêmio Esports Brasil 2020 acontece em dezembro

Quarta edição da premiação terá adaptações e mais jurados
Helena Nogueira
Herman Miller e Logitech lançam cadeira gamer de R$ 10,7 mil
Mercado

Herman Miller e Logitech lançam cadeira gamer de R$ 10,7 mil

Com foco na ergonomia, produto já pode ser comprado no Brasil
Beatriz Coutinho
Filha do dono da Garena e mais: 10 memes brasileiros dos esports
Esports

Filha do dono da Garena e mais: 10 memes brasileiros dos esports

Saiba a origem de memes como brTT preso, Qué Ota e mais
Beatriz Coutinho