Tem soquinho para todos os públicos!

A premissa da maioria dos jogos de luta é a mesma: reduzir os pontos de vida do oponente a zero... Mas isso não significa que todos os títulos e franquias são iguais. Quer entender mais sobre esse universo? O Versus preparou uma lista com os principais tipos de fighting games presentes no cenário competitivo.

Leia mais:

  • Jogos de luta em 2D

Talvez os mais comuns e conhecidos jogos do gênero encaixem-se nesta categoria, afinal, foi assim que o conceito de dois personagens lutando um contra o outro surgiu.

Nos jogos de luta em 2D, os oponentes só se movem em duas dimensões, podendo andar para frente, para trás, ou para cima com saltos, exatamente o que acontece em Street Fighter.

Os fatores que diferenciam os títulos nesta categoria são, geralmente, mecânicas de combate e uso de recursos. Por exemplo, em Street Fighter V, cada jogador tem dois fatores para usar nas estratégias: o V-Trigger e as barras EX, que servem para aprimorar o próprio personagem ou alterar ataques especiais.

Outros exemplos de games que se encaixam neste arquétipo são Mortal Kombat, Guilty Gear, Marvel vs. Capcom, Dragon Ball FighterZ, Killer Instinct, Super Smash Bros. e muitos outros.

  • Jogos de luta em 3D

Os fighting games em três dimensões adicionam mais uma camada aos movimentos dos lutadores dentro das partidas: neste formato, os personagens podem se mover para frente, para trás, pular ou andar para dentro e fora dos cenários.

A grande maioria dos jogos que se encaixam neste arquétipo possuem a mesma mecânica, mas se diferenciam nas interações com o cenário.

Em Tekken, os choques contra os limites do cenário podem causar danos gigantescos aos oponentes, enquanto em Soul Calibur qualquer um pode perder uma partida por cair da arena.

Outros games que se encaixam nesta categoria são Virtua Fighter, Street Fighter EX, entre outros.

  • Jogos de luta em times

Chegando tanto para os games em 2D quanto para os em 3D, os fighting games de times colocam mais personagens para participar das lutas simultaneamente.

Cada título conhecido por este fator apresenta uma mecânica particular que muda o jeito de lidar com os lutadores como recursos dentro das partidas.

Em Marvel vs. Capcom e Dragon Ball FighterZ, os personagens podem aparecer durante combos para lançar ataques especiais em conjunto, causando muito dano. Já com a franquia King of Fighters, isso não acontece: os personagens extras estão sempre nas laterais do cenário esperando sua vez de lutar.

Além disso, o conceito de construir equipes também muda o ritmo das partidas e seus rumos, já que as lutas terminam de maneiras distintas. Na grande maioria dos jogos, se um dos personagens for eliminado, outro membro do grupo ocupa seu lugar, mas em Street Fighter x Tekken, os jogadores podem trocar livremente de lutadores durante a rodada - porém, se os pontos de vida de qualquer um deles chegar a zero, a batalha acaba.

Outros exemplos de games que se encaixam neste arquétipo são Tekken Tag Tournament, o recém-lançado BlazBlue: Cross Tag Battle e muitos outros.


Agora você já sabe como acompanhar os diferentes tipos de jogos de luta! Lembre-se que ainda em 2018 acontecerão as finais dos circuitos competitivos oficiais de Tekken, Street Fighter e Dragon Ball FighterZ.



Matheus Oliveira é redator do Versus. Siga-o no Twitter.

Tags Relacionadas
Fighting GamesGuias