Hearthstone

Grandes premiações, inúmeros torneios e mais: o momento do Hearthstone é agora

A participação em campeonatos do card game está em uma crescente sólida
@luccabucks
Matheus de Lucca
escreve para o Versus.
Foto: Blizzard/Reprodução
Foto: Blizzard/Reprodução

A Hearthstone Masters Tour Seoul 2019 reuniu mais de 300 competidores do card game da Blizzard em Seul*, capital da Coreia do Sul, para um final de semana recheado de confrontos. Estes jogadores são provenientes de regiões como as Américas, Europa, Ásia e Oceania - com 49 países representados - alguns convidados diretamente pelo bom desempenho em circuitos oficiais e outros que passaram por qualificatórias regionais online, disputadas por centenas de players. Foram mais de 250 etapas classificatórias abertas.

Em entrevista ao Versus, Sam Braithwaithe, diretor global de esports da Blizzard, reflete sobre as mudanças da temporada 2019 do card game, com a chegada - e despedida - do formato Especialista, a abrangência dos torneios da Masters Tour, e crava: "Não há tempo melhor do que agora para se envolver com o competitivo de Hearthstone".

Leia mais


O ano de 2019 - chamado de Ano do Dragão em Hearthstone - chegou com a missão de reacender as chamas de interesse de jogadores veteranos e de injetar adrenalina no cenário competitivo, com o resgate de mecânicas do passado e um formato de disputas que aproximasse a experiência dos torneios àquela encontrada in-game, nas ranqueadas. Com o início do circuito Grandmasters em maio os espectadores puderam acompanhar um campeonato regular com 16 dos melhores pro players da modalidade. Seguindo o hype, a Blizzard deu início às Masters Tours com a edição em Las Vegas, em junho, como uma espécie de "tier 2" da escala profissional do game.

Agora com a etapa em Seul e o início iminente da segunda temporada da Grandmasters, Hearthstone vive uma grande fase nos esports. O interesse dos jogadores em participar de campeonatos só aumenta - e as chances de qualificação são muitas. Este momento de brilhantismo do game é refletido diretamente em números. Para a Masters Tour Seoul, Braithwaithe revela: "Todas as vagas nas etapas qualificatórias foram preenchidas e tivemos uma fila de espera com 800 a 900 jogadores", todos buscando competir internacionalmente e garantir uma parte da premiação total de US$ 500 mil (aprox. R$ 2 milhões).

Parte dos motivos pelos quais há mais competidores que se aventuram e tentam a chance na Masters Tour são as etapas online, que facilitam a participação. "Um dos pontos dos quais mais me orgulho do sistema da Masters é que todas as regiões e jogadores têm chances iguais. Quando tínhamos o Hearthstone Championship Tour (HTC) os jogadores precisavam viajar para comparecer a eventos específicos, o que é custoso, cansativo e muitas vezes inviável. O programa que temos agora é global e não há desvantagens para ninguém".

1/2
Sam Braithwaithe à direita | Foto: Blizzard/Reprodução
Sam Braithwaithe à direita | Foto: Blizzard/Reprodução
Alex Charsky | Foto: Blizzard/Reprodução
Alex Charsky | Foto: Blizzard/Reprodução

Além disso, o formato Especialista, no qual jogadores utilizam três decks de apenas um arquétipo, pode ser apontado como uma das razões pela maior participação das últimas Masters Tour, ainda que tenha recebido críticas da elite de Hearthstone, a categoria Grandmaster e de veteranos do cenário. "Um dos nossos objetivos com este formato era simplificar as coisas tanto para o público quanto para os players, aproximando a experiência das competições àquela das filas ranqueadas", explica Alex Charsky, gerente de produto de Hearthstone Esports da Blizzard.

"Neste sentido, foi uma mudança bem-sucedida, pois os jogadores em geral puderam se espelhar no que os Grandmasters estavam usando para reproduzir nas filas ranqueadas e também nas qualificatórias para a Masters Tour", continua Charsky.

A recepção mista ao formato foi tamanha que, em resposta, a Blizzard anunciou o retorno do formato Conquista para a segunda temporada do Grandmasters - com uma novidade. Jogadores levam quatro decks de classes diferentes e escolhem um deles para proteger. Em seguida, um baralho é banido, sobrando, então, três opções. Cada participante escolhe com qual deck vai começar a disputa e o vencedor não pode repetir a lista na próxima partida. Esta alteração pode ser vista como um passo para trás em relação à filosofia anterior, de aproximar e unificar as experiências em Hearthstone, mas foi uma medida tomada em resposta direta ao feedback da comunidade.

A busca por este equilíbrio entre o gameplay do jogo comum e o que se vê em torneios é um dos maiores desafios da equipe de Hearthstone, isso sem falar na unificação de formatos competitivos, que ainda é uma questão aberta, pois há uma grande variedade de espectadores: os assíduos que visam reproduzir as estratégias em suas partidas, aqueles que jogam, mas não necessariamente aspiram ranks altos e a parcela de viewers que apenas gosta de acompanhar confrontos de alto nível.

A volta do Conquista ainda não está definitivamente garantida para a Masters Tour, uma vez que a Blizzard prefere coletar mais opiniões de jogadores e ver o desenvolvimento do competitivo na Grandmasters para então aplicar a mudança na categoria. "Definitivamente escutamos o feedback dos jogadores e continuaremos a ficar de olho nos comentários dos jogadores e do público para adaptar e pensar em melhorias sempre", finaliza Charsky. Portanto, a Masters Tour Bucharest, que acontece entre 18 e 20 de outubro na Romênia, segue com o formato Especialista - a menos que a Blizzard revele mudanças até lá.

1/2
Os 8 finalistas da Masters Tour Seoul 2019 | Foto: Blizzard/Reprodução
Os 8 finalistas da Masters Tour Seoul 2019 | Foto: Blizzard/Reprodução
O francês Felkeine foi o campeão | Foto: Blizzard/Reprodução
O francês Felkeine foi o campeão | Foto: Blizzard/Reprodução

"Muitos jogadores que estão aqui em Seul estão tendo a primeira experiência em um campeonato", diz Braithwaite. A oportunidade de ganhar uma parcela de US$ 500 mil está ao alcance de todos, tudo o que é preciso fazer é se inscrever e participar de uma qualificatória. Mesmo que a classificação não se concretize, é possível ganhar itens in-game e é sempre uma experiência divertida de ter. Nunca foi tão fácil estar envolvido com os esports".

*O jornalista viajou a convite da Blizzard.

Siga o Versus nas redes sociais para mais notícias - Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Tags Relacionadas
Hearthstone
Mais notícias
Tudo sobre o envolvimento da Blizzard com os protestos de Hong Kong
Blizzard

Tudo sobre o envolvimento da Blizzard com os protestos de Hong Kong

Mei, de Overwatch, se tornou um símbolo do movimento social
Matheus Oliveira
Hearthstone Global Games 2019 reúne 32 regiões e US$ 75 mil em premiação
Hearthstone

Hearthstone Global Games 2019 reúne 32 regiões e US$ 75 mil em premiação

Torneio acontece entre 15 de novembro e 22 de dezembro
Helena Nogueira
Overwatch: Ingresso virtual da BlizzCon oferece skins de WoW para Genji e Symmetra
Overwatch

Overwatch: Ingresso virtual da BlizzCon oferece skins de WoW para Genji e Symmetra

Além de itens exclusivos para outros games da Blizzard
Lucas Hagui