Street Fighter

“Foi graças à comunidade que eu cheguei até aqui”, diz DidimoKOF, campeão da CPT Latam de Street Fighter V

O brasileiro que dependia de financiamento coletivo hoje é um dos 32 melhores jogadores do mundo
@_matheusf23
Matheus Oliveira
escreve para o Versus.
Foto: Marcelo Paixão
Foto: Marcelo Paixão

Renato “DidimoKOF” Martins é conhecido atualmente por ser o melhor Dhalsim do Brasil em Street Fighter V. O ex-jogador de The King of Fighters agora é consagrado como um dos 32 melhores jogadores do mundo.

E todo esse caminho de sucesso foi trilhado graças à ajuda que ele recebeu da comunidade.

Leia mais:

O início de tudo

Renato começou a jogar e se apaixonar pelos jogos de luta com The King of Fighter (KOF) ‘98 em 2002. Foi somente na época de KOF 13 que o jogador começou a competir, ganhar prêmios e medalhas

DidimoKof ainda comenta sobre porque começou a jogar Street Fighter: “KOF 14, eu não gostei, e comecei a jogar Street Fighter pra brincar.”

Mesmo consagrado campeão da Capcom Pro Tour Latam de 2017, Didi não se considera um jogador profissional. Na verdade, ele conta que não estuda o jogo nem joga tanto quanto gostaria: seu tempo é todo dedicado ao emprego, que leva como uma forma de pagar suas idas aos campeonatos.

Justamente por não ter patrocínios que o auxiliem, quem manteve o sonho de Renato permanecer no cenário competitivo foram os fãs de Street Fighter, que o ajudaram financeiramente a participar de torneios fora do Brasil - como aconteceu com a campanha “Leve DidimoKOF para o Red Bull Kumite 2017”.

Foto: Marcelo Paixão
Foto: Marcelo Paixão

O Red Bull Kumite é um dos maiores campeonatos de Street Fighter do mundo, e acontece na França. Rapidamente, todos se reuniram para bolar um financiamento coletivo e juntar o dinheiro necessário para pagar os custos da viagem de Renato.

A campanha conseguiu juntar exatamente metade dos recursos necessários, mas o jogador não se deixou abalar. Ao invés de desistir da França e de seus objetivos, ele prometeu usar o dinheiro para participar de todos os campeonatos de Street Fighter realizados na América Latina.

Quando lembra da situação, Didi ainda se emociona: "Nunca passou pela minha cabeça que alguém ia dar mil reais assim pra mim.”

As colocações que alcançou nos torneios latino-americanos garantiram os pontos necessários para permitir sua participação nas finais regionais da CPT em São Paulo.

É justamente por isso DidimoKOF que ressalta: “Foi por causa deles que eu consegui.”

Foto: Marcelo Paixão
Foto: Marcelo Paixão

Próxima parada: mundial

Após vencer a CPT Latam, Didi será o segundo representante brasileiro na Capcom Cup 2017 - campeonato mundial de Street Fighter V que reúne os 32 melhores jogadores do mundo -, ao lado de Thomas “Brolynho” Proença.

DidimoKOF comenta que nem sonhava em ir pra Capcom Cup: “Eu queria só estar aqui, porque participei da final regional também no ano passado, eu nem sonhava em ir pra Capcom Cup.”

Agora, a expectativa é viajar para os EUA e mostrar, ao lado de Brolynho, o potencial dos jogadores do Brasil: “Existem mais de 20 brasileiros capazes de ganhar de gente lá fora.”

Foto: Marcelo Paixão
Foto: Marcelo Paixão

Quem vê Renato como campeão da etapa latino-americana de Street Fighter, nem imagina que o jogador quase desistiu de tudo.

“Até conseguir um nível bom de patrocínio demora muito. E aí o jogo acaba, vem outro, e não tem como saber se vou ser bom ou não, então é uma coisa que não traz tanta segurança. (...) Comecei a pensar que realmente não dava futuro.”

Mas mesmo com a vida corrida, ele nunca deixou de pensar no jogo: “Resolvi ter um trabalho tradicional mesmo, pra juntar dinheiro e bancar as minhas viagens. Vou juntar grana e vou pra EVO sem depender de ninguém”

DidimoKOF agora segue rumo a um de seus maiores desafios na Capcom Cup... Que é também um de seus grandes sonhos.

Ao lado de Brolynho, o jogador vai mostrar todo o poder brasileiro nos fighting games e, quem sabe, enfrentar Filipino Champ, jogador que desde o início serviu de inspiração para seu Dhalsim.

A Capcom Cup acontece em Anaheim, na Califórnia, dos dias dos dias 7 a 9 de dezembro e contará com a participação dos 32 melhores jogadores de Street Fighter do mundo.


Matheus Rodrigues é redator do Versus e está de olho nesse mestre do yoga. Siga-o no Twitter em @_omanfred.

Tags Relacionadas
Street Fighter
Mais notícias
Street Fighter 5 Champion Edition terá todos os conteúdos lançados em edição única
Street Fighter

Street Fighter 5 Champion Edition terá todos os conteúdos lançados em edição única

Os personagens, visuais e cenários de todas os Season Pass estão inclusos
Beatriz Coutinho
Crossover entre Street Fighter e Batman é algo que você não sabia que precisava
Street Fighter

Crossover entre Street Fighter e Batman é algo que você não sabia que precisava

Ryu de Batman, Blanka de Coringa, E. Honda de Pinguim e mais
Matheus Oliveira
China passa a limitar horas de jogo e gastos de jogadores menores de idade
Esports

China passa a limitar horas de jogo e gastos de jogadores menores de idade

Governo chinês alega que essas medidas impedem o vício em jogos
Helena Nogueira