Mercado

FaZe publica detalhes sobre acordos recusados por Tfue antes do processo

A organização afirma ter oferecido novos contratos para o pro player
@_matheusf23
Matheus Oliveira
escreve para o Versus.
Foto: FaZe Clan/Reprodução
Foto: FaZe Clan/Reprodução

Após o suposto vazamento do contrato entre a FaZe Clan e Turner "Tfue" Tenney, a organização publicou o que afirma serem ofertas recusadas pelo pro player, feitas antes dos processos contra a empresa.

Leia mais:


Na última segunda-feira (20), a FaZe Clan negou as declarações feitas por Tfue. O pro player afirmou que a organização detinha 80% do lucro proveniente de seus canais de transmissão e outras plataformas. Ricky Banks, dono do time, respondeu ao competidor afirmando "nunca perdoarei você [Tfue]", pelo processo.

De acordo com o publicado pelo portal norte-americano Hollywood Reporter, o influenciador teria tentado deixar a organização em setembro de 2018. Sem sucesso, o streamer recorreu à justiça, processando a empresa no decorrer da ação.

Segundo a FaZe Clan na postagem que pode ser vista abaixo, feita nesta sexta-feira (24), a organização teria oferecido novos acordos ao competidor, alguns com salários maiores e nenhuma divisão dos lucros gerados por Tfue.

"Declaração da FaZe Clan sobre contratos. (...) se está investido nessa discussão pública, encorajamos que veja o vídeo até o final. Obrigado", diz o tuíte.

O vídeo publicado pela FaZe conta com declarações de CBass, gerente da organização e do CEO, Lee Trink, assim como imagens de prováveis e-mails mandados ao agente de Tfue, que mostram ofertas que seriam mais lucrativas para o pro player. Veja abaixo:

1/3
"A divisão dos valores dos patrocínios será ajustada para: 80% para o jogador e 20% para a FaZe", diz o trecho acima. | Foto: FaZe Clan/Reprodução
"A divisão dos valores dos patrocínios será ajustada para: 80% para o jogador e 20% para a FaZe", diz o trecho acima. | Foto: FaZe Clan/Reprodução
A imagem acima indica que os e-mails foram mandados em 24 de janeiro deste ano. | Foto: FaZe Clan/Reprodução
A imagem acima indica que os e-mails foram mandados em 24 de janeiro deste ano. | Foto: FaZe Clan/Reprodução
"Por favor me diga se podemos prosseguir", diz o trecho acima, enviado em 3 de abril. | Foto: Faze Clan/Reprodução
"Por favor me diga se podemos prosseguir", diz o trecho acima, enviado em 3 de abril. | Foto: Faze Clan/Reprodução

Outro tópico abordado no vídeo da FaZe foi a acusação sobre a organização lucrar sobre o código de criador de Tfue em Fortnite, negada pelo CEO.

O pro player ainda não se pronunciou após as declarações da FaZe. A última publicação de Tfue nas redes sociais foi na última quinta-feira (23).

Matheus Oliveira é redator do Versus. Siga-o no Twitter.

Tags Relacionadas
MercadoFortnite
Mais notícias
"Está em pauta", diz Diretora de Marketing da Intel sobre IEM no Brasil
CS:GO

"Está em pauta", diz Diretora de Marketing da Intel sobre IEM no Brasil

Campeonato de nível mundial pode pintar no Brasil assim como a Intel Challenge feminina
Beatriz Coutinho
Jukes, Sneaky e mais protagonizam comercial de parceria entre Cloud9 e Puma
Mercado

Jukes, Sneaky e mais protagonizam comercial de parceria entre Cloud9 e Puma

"Nós te desafiamos a continuar sendo você"
Matheus Oliveira
Mixer torna-se segunda plataforma de streaming mais popular, atrás da Twitch
Mercado

Mixer torna-se segunda plataforma de streaming mais popular, atrás da Twitch

Relatório do 3º trimestre de 2019 mostrou crescimento da plataforma
Lucas Hagui