Dota

Dota: Pro players da Virtus.Pro e OG trabalharão com a Valve para combater racismo

Iniciativa surgiu após caso envolvendo campeão do TI8
@biaacoutinhoo
Beatriz Coutinho
escreve para o Versus.

Na última sexta-feira (24), o pro player Sébastiaen "Ceb" Debs, campeão do The International 2018, disse termos racistas contra russos durante uma partida de Dota 2. O ocorrido levou o jogador Alexei “Solo” Berezin, da Virtus.pro, a ameaçar a Valve de não participar do EPICENTER Major.

Agora, ambos os pro players e a desenvolvedora estão trabalhando juntos para combater o racismo em jogos do MOBA.

Leia mais:


O caso começou quando Maxim, um jogador russo, publicou no Reddit prints do chat de uma partida de Dota 2 na qual Ceb fez xingamentos racistas como "Vadias russas deveriam vencer as próprias mães em troca de MMR", "animais russos esquizofrênicos" e "cachorros de terceiro mundo".

Pouco depois do ocorrido, o pro player Solo da Virtus.pro escreveu um texto na rede social VK afirmando que Ceb havia sido irresponsável e antiprofissional, e que se a Valve não se pronunciasse sobre o assunto, ele não participaria do EPICENTER Major.

"Você não poderia ter dito isso independente do motivo pelo qual o fez. Sou russo com orgulho e suas falas me deixaram sem palavras. Você não é um jogador jovem que pode fazer qualquer coisa por não entender as consequências de suas ações. Você está na comunidade desde o começo do jogo, você é muito respeitado, o que torna tudo isso ainda pior. [...] Não participarei do Epicenter Major, que será disputado no meu país, a menos que a Valve se pronuncie publicamente sobre esse caso e garanta consistência e transparência quando for tratar sobre racismo em nosso jogo."



Ceb se retratou no Reddit, afirmando que havia ficado nervoso porque Maxim havia sido tóxico durante a partida.

"Isso me levou a escrever aquelas palavras. Minha reação ao comportamento tóxico dele foi perder a paciência. Eu estava tentando jogar o jogo dele e fazê-lo reagir. O que acabou sendo contra-produtivo e inaceitável. [...] Escrevi russos com 's' porque eles eram russos e não para generalizar", disse o jogador da OG.

No domingo (26), Ceb participou de uma transmissão online de perguntas e respostas, no qual falou sobre o ocorrido. Além de dizer que estava arrependido e que entendia o quanto as pessoas estavam bravas e chateadas com ele, o jogador afirmou que está trabalhando em um projeto ao lado de Solo para reparar suas ações.

"Ter eu e o Solo envolvidos nisso é um grande símbolo de como podemos tornar algo ruim, errado e vergonhoso em algo melhor", afirmou Ceb.

No VK, Solo confirmou que ele, Ceb e a Valve estão trabalhando em um projeto juntos. "Tudo o que posso dizer agora é que estou orgulhoso de ver todo mundo na mesma página que eu sobre o que precisamos fazer sobre tudo isso e como faremos. Ter o suporte da Valve para isso me deixa otimista sobre nossa habilidade em combater o racismo. O que precisamos agora é ficar calmos e focar no novo patch, nos próximos torneios e no jogo que amamos. Vou atualizá-los quando finalizarmos a solução para essa situação".

Até o momento, a Valve não se pronunciou publicamente sobre o assunto, assim como os times dos jogadores, Virtus.pro e OG.

Bia Coutinho é redatora do Versus. Siga-a no Twitter em @biaacoutinhoo.

Tags Relacionadas
Dota
Mais notícias
Dota: Pain garante classificação para Summit 11 Minor
Dota

Dota: Pain garante classificação para Summit 11 Minor

Torneio acontece em novembro
Beatriz Coutinho
CS:GO atinge maior pico de jogadores da história e torna-se maior jogo do Steam
CS:GO

CS:GO atinge maior pico de jogadores da história e torna-se maior jogo do Steam

Com o recorde, o game ultrapassou PUBG e Dota 2
Matheus Oliveira
Dota 2: Ex-Infamous, Beastcoast recebe convite para disputar ESL One Hamburg 2019
Dota

Dota 2: Ex-Infamous, Beastcoast recebe convite para disputar ESL One Hamburg 2019

Torneio começa em 25 de outubro
Beatriz Coutinho