ESL One Hamburg 2018

Dota: “Eles melhoraram muito com a entrada do Misery”, diz Arteezy, da Evil Geniuses, sobre Pain

A EG terminou a ESL One Hamburgo no 5ª/6ª lugar
@biaacoutinhoo
Beatriz Coutinho
é reporter no Versus.
Arteezy, primeiro da esquerda para a direita, e seus colegas de equipe | Imagem: ESL/Reprodução
Arteezy, primeiro da esquerda para a direita, e seus colegas de equipe | Imagem: ESL/Reprodução

A Pain Gaming, equipe brasileira de Dota 2, surpreendeu muitos times internacionais ao terminar a ESL One Hamburgo 2018 na 4ª colocação do torneio. Durante o evento, o Versus conversou com o pro player Artour "Arteezy" Babaev, da Evil Geniuses, para saber como está a moral da organização no exterior.

Leia mais:

O jeitinho brasile.... Misery de ser

Arteezy é um pro player experiente. Presente no cenário competitivo de Dota 2 desde 2013, ele levou a Evil Geniuses ao 3º lugar do The International 2018, que contou com 18 equipes. Em entrevista ao Versus, o pro player comentou sobre a participação da Pain Gaming e acredita que o time pode surpreender.

De acordo com o jogador canadense, a Pain está em seu melhor momento para vencer, já que as opções de pick estão abertas, não há nenhum herói claramente forte e nem picks obviamente esperados: “Acredito que a Pain tem muitas estratégias que viram as coisas dentro de jogo. Se você não estiver consciente do que eles estão fazendo, vão te pegar de surpresa.”

Assim como o próprio brasileiro Danylo "Kingrd" Nascimento, Arteezy também acredita que a chegada de Rasmus "MISERY" Filipsen teve impacto na line-up: “Acredito que eles melhoraram muito com a entrada do Misery. Eu achava o Duster [Heitor “Duster” Pereira, ex-Pain] muito bom para o time deles, mas aparentemente estão indo bem sem ele."

Misery, novo capitão da Pain Gaming | Imagem: ESL/Reprodução
Misery, novo capitão da Pain Gaming | Imagem: ESL/Reprodução

“Eles precisam de alguém que os una e acho que o Misery está fazendo um bom trabalho. Se todo mundo acreditar nele, o time vai se sair bem”, comentou o jogador da EG.

Questionado sobre os picks diferentes da Pain durante a competição, Arteezy afirmou acreditar que todos estão jogando de uma maneira diferente, já que o meta está muito aberto e ninguém sabe o que está exatamente forte.

“É por isso que as pessoas estão escolhendo heróis como Phoenix, Axe e Enigma. Então, quando alguém trolla, você não tem ideia de como counterar, talvez você perca um jogo ou dois e depois de perder o primeiro, você não tem tempo para se adaptar, a Pain está abusando disso agora”, explicou Arteezy.

No entanto, o pro player não acredita que a Pain deveria mudar este estilo de jogo: “Este é provavelmente o melhor jeito de jogar, porque eles têm um meta próprio. A Pain está jogando como o Misery agora, eles não são tão fortes individualmente, mas como time, acreditando na ideia de que eles fazem coisas diferentes dos outros e de que acreditam que este seja o modo correto de vencer o meta, eles estão indo muito bem.”

Kingrd, suporte da Pain | Imagem: ESL/Reprodução
Kingrd, suporte da Pain | Imagem: ESL/Reprodução

Ainda assim, Arteezy não acredita que a equipe tenha grandes chances em Majors ou torneios maiores.

“Em campeonatos nos quais o meta é aberto eles podem ir bem, mas não em Majors, quando todo mundo está realmente tentando vencer e levando as outras equipes a sério. Acho que em campeonatos pequenos as pessoas estão praticamente treinando seus próprios estilos, mas em Majors, as equipes levam o torneio a sério.”

Ao finalizar a entrevista, o pro player deixou claro que a Evil Geniuses não ficou feliz com sua 5ª/6ª colocação na ESL One Hamburgo, e deixou um recado para os fãs brasileiros: “Eu amo todos os meus fãs e nunca estive aí no Brasil, então espero que a gente tenha torneios aí, para eu poder jogar com todos os fãs que torcem por nós! Espero que a gente se veja em breve.”

Perdeu a cobertura da ESL One Hamburgo? Confira tudo o que rolou no torneio com o Guia do Versus sobre o campeonato.

*A cobertura completa da ESL One Hamburgo 2018 de Dota 2 do Versus é patrocinada pela Dell e Intel.

Barbara Gutierrez é editora-chefe e Bia Coutinho é redatora no Versus. Siga-as no Twitter em @bahgutierrez e @biaacoutinhoo.

Tags Relacionadas
ESL One Hamburg 2018Dota
Mais notícias
Dota: Acompanhando a Pain Gaming durante a ESL One Hamburg 2018
ESL One Hamburg 2018

Dota: Acompanhando a Pain Gaming durante a ESL One Hamburg 2018

Vai brazilian!
Matheus Oliveira
Dota: “Eles vão chegar ao TI novamente”, afirma EternaLEnVy sobre Pain Gaming
ESL One Hamburg 2018

Dota: “Eles vão chegar ao TI novamente”, afirma EternaLEnVy sobre Pain Gaming

Os brasileiros estão com moral!
Matheus Oliveira
Dota: "Misery é o capitão, graças a deus não sou mais eu", diz Kingrd sobre Pain Gaming
ESL One Hamburg 2018

Dota: "Misery é o capitão, graças a deus não sou mais eu", diz Kingrd sobre Pain Gaming

Pain ficou em 4º lugar na ESL One Hamburgo
Barbara Gutierrez