CS:GO

CS:GO: "Nós vamos recorrer", diz guto22 sobre banimento de vsm

DETONA tentará reverter a situação e vsm permanece no time
@jairo.junior
Jairo Junior
é reporter no Versus.
Foto: DETONA/Reprodução
Foto: DETONA/Reprodução

O caso de Vinicius "vsm" Moreira pode render novos capítulos em breve. O jogador de Counter-Strike: Global Offensive foi banido permanentemente pela Valve de todos os torneios que envolvem a empresa por ter uma conta - de seis anos atrás - que foi pega no sistema Valve Anti-Cheat (VAC).

Como capitão da DETONA, Gustavo "guto22" Arnoldi conversou com o Versus e indicou os próximos passos que a organização deve tomar em relação ao assunto.

Leia mais:

Durante a conversa, realizada na GameCon 2018 em Brasília, guto22 mostrou que não concorda com a decisão da desenvolvedora.

"Não é justo! Como alguém faz algo com 13 anos e é responsabilizado com 19?”, indaga o capitão. “Se uma criança rouba uma bolacha no mercado, por exemplo, ela não será presa a vida inteira por isso. Então, mesmo que ele tivesse usado o hack, nós não concordamos e não achamos justa a decisão da Valve."

Na história do CS:GO, pouco se tem notícia de banimentos revogados pela Valve. Dois casos famosos na cena competitiva são o de Braxton "swag" Pierce (banido em 2014 por manipular resultados) e o de Hovik "KQLY" Tovmassian (banido em 2014 por uso de hack). Ambos foram bans permanentes.

Ainda assim, mesmo com a sensação de injustiça e o histórico da empresa não oferecendo muitas esperanças, o time de vsm não desistiu: "Sim, nós vamos recorrer", decidiu guto22.

No entanto, a dificuldade do processo já começa pelo próprio comunicado de banimento da empresa: "A Valve não nos contactou nenhuma vez para investigar o caso. Apenas mandou um email há duas semanas atrás, afirmando que baniram o vsm em todos os torneios que tenham seu patrocínio. Não houve espaço para conversa ou explicações. Até a maneira como isso foi feito é injusta."

Segundo Gustavo, o conteúdo do email era breve. A Valve dizia que baniu vsm com base em provas, mas não especificou quais eram elas. No fim, o comunicado afirmava que a decisão poderia ser contestada e recorrida.

Foto: DETONA/Reprodução
Foto: DETONA/Reprodução

O time ainda mantém esperanças de que pode livrar seu atleta ou ao menos aliviar a pena. Até lá, vsm permanece treinando e disputando os torneios nacionais normalmente com a equipe. A ESL chegou a avaliar um banimento no pro player, mas desistiu com base na sua própria análise do contexto.

Quanto aos torneios com envolvimento da Valve, guto22 é claro: "Se decidirmos participar do próximo Minor ou até se hipoteticamente conseguirmos nos classificar para um Major, nós vamos decidir se jogaremos com um complete ou se simplesmente não jogaremos."

Além da suspeita da conta de seis anos atrás, algumas pessoas ainda desconfiam de vsm atualmente. Seu surgimento repentino e a sua mira fora do comum irritou alguns adversários, que chegaram a acusá-lo publicamente. Sua participação em presenciais também era muito cobrada - fato que finalmente aconteceu na GameCon, onde a DETONA não fez uma boa partida, ao mesmo tempo em que vsm fez a melhor exibição da equipe.

Falando sobre o assunto, guto22 indignou-se com a desconfiança dos oponentes: "Jogadores de times menos conhecidos alegam até hoje que o vsm usa alguma coisa. O que eu posso dizer é que estas pessoas não sabem jogar CS e não têm muita noção de jogo. Quem entende do game sabe que ele não é cheater só de olhar para tela dele. Tudo que ele faz tem começo, meio, fim e uma explicação. Ele tem uma noção e intuição pro jogo diferenciada de tudo que eu já vi."

Uma grande surpresa em toda esta história foi o apoio da comunidade ao jogador da DETONA. Segundo Gustavo, a hashtag #freevsm foi utilizada cerca de 30 mil vezes no Twitter. De fato, uma grande mobilização em volta de apenas uma pessoa. Para falar sobre isso, ninguém melhor do que o próprio vsm.

Até artes para a campanha foram feitas de forma espontânea. Montagem: @trzzfps
Até artes para a campanha foram feitas de forma espontânea. Montagem: @trzzfps

"Quando a decisão saiu, eu achei que todos iam querer meu mal e não meu bem", disse Vinicius ao Versus. “Todo esse carinho da comunidade e até o apoio de pessoas conhecidas no meio me deixou muito feliz. Até aqui na GameCon vieram me pedir fotos e dar palavras de apoio."

Em resposta à comunidade que o abraçou, vsm promete: "Eu não vou parar de jogar mesmo se o resultado final realmente for o banimento. Apenas ficarei muito decepcionado. Obrigado a todos que me apoiaram até hoje!".

Barbara Gutierrez é editora-chefe e Jairo "Foxer" Junior é redator do Versus. Siga-os no Twitter em @bahgutierrez e @Foxer_JJ.

Tags Relacionadas
CS:GOFPS
Mais notícias
CS:GO: Black Dragons vence sua primeira partida no CBCS
CS:GO

CS:GO: Black Dragons vence sua primeira partida no CBCS

Equipe persistiu, não conseguiu nenhuma vitória na primeira temporada, mas seguiu tentando até cumprir seu primeiro objetivo
Jairo Junior
Cinco jogos para treinar mira em games de tiro e refinar a precisão
Guias

Cinco jogos para treinar mira em games de tiro e refinar a precisão

Chegou a hora de melhorar sua taxa de abates e headshots
Jairo Junior
CS:GO: Com MIBR e FURIA, lista de participantes do CS_Summit 5 é definida
CS:GO

CS:GO: Com MIBR e FURIA, lista de participantes do CS_Summit 5 é definida

Os brasileiros já conhecem seus possíveis adversários
Jairo Junior