CS:GO

CS:GO: "Não será problema voltar para a Pro League", diz Hen1 da Luminosity

Jogador conversou com o Versus e mostrou confiança no futuro da equipe
@foxer_jj
Jairo Junior
escreve para o Versus.
Foto: HLTV/Reprodução
Foto: HLTV/Reprodução

Os brasileiros da Luminosity Gaming surpreenderam o cenário de Counter-Strike: Global Offensive após ficarem em segundo lugar na DreamHack Atlanta Open 2018. Mesmo depois de uma temporada difícil nas competições internacionais, o sniper Henrique ''hen1'' Teles demonstrou confiança ao conversar com o Versus sobre o futuro da equipe, comentando sobre o rebaixamento da Pro League e as recentes performances da LG.

Leia mais:

A conversa começou com Henrique destacando a importância de morar na América do Norte ao lado de seus companheiros para competir: “Moro aqui há três anos praticamente e estar nos Estados Unidos é sempre bom para nós. Por aqui, nós temos uma condição de treinamento muito boa, pois é uma região que tem alguns dos melhores times do mundo. Também podemos disputar diversas ligas ótimas, algo que infelizmente ainda não chegou ao Brasil.”

Apesar das vantagens, 2018 não tem sido generoso com a Luminosity. Inclusive, o time foi rebaixado recentemente da ESL Pro League após uma campanha que muitos fãs preferem esquecer. Apesar do revés, hen1 mostrou que não se deixou abalar pelo fato.

“O nosso rebaixamento me deu ainda mais gás para jogar a DreamHack. Principalmente por ser em lan [presencial], onde me sinto muito mais à vontade para jogar, pelas condições serem as mesmas para todos. Aqui vence o melhor e quem dá mais bala na cara”.

“É claro, foi muito triste a nossa queda, principalmente pelo fato de termos conseguido tirar mapas de equipes como Liquid, NRG e Cloud9”, lembra o pro player. “É frustrante ver que alguns conseguem jogar bem online, mas não em lan, mas assim é a vida... Na época de Games Academy eu tive que subir três divisões para chegar na elite, então desta vez não será problema voltar para a Pro League.”

A motivação, porém, chocou-se com problemas fora do jogo na estreia da LG na DreamHack Atlanta. Como o público pôde acompanhar, os brasileiros enfrentaram a eUnited na partida de abertura e foram derrotados por 16 a 13 na Dust 2.

“Nós entramos muito nervosos na nossa estreia da DH e isso fez com que a gente tivesse alguns erros em momentos importantes, que acabaram custando o jogo”, explica. “Outro problema que nos afetou foi a comunicação, pois todos falavam muito no meio da partida e não havia um consenso entre o time.”

Para a felicidade da torcida verde e amarela, a Luminosity Gaming se recompôs logo após a derrota no torneio internacional. O que havia de errado antes finalmente foi consertado e a equipe pôde deslanchar na competição.

“No segundo dia [da DreamHack Atlanta], nós jogamos mais calmos e confiantes e isso fez total diferença para nós. Nossa comunicação foi mais limpa e todos falaram menos e ouviram mais. Estes fatores foram decisivos para as nossas vitórias.”

Foto: DreamHack/Reprodução
Foto: DreamHack/Reprodução

O campeonato não chegou a contar com os principais times do cenário, mas a Luminosity enfrentou diversas line-ups de alto nível competitivo. Ainda assim, Henrique prefere focar em questões que envolvem sua própria jogabilidade e equipe ao invés de focar no potencial dos oponentes.

“Eu particularmente não penso muito em adversário”, contou o jogador. “Ainda assim, acho que a Ghost tem uma equipe forte e Vitality também, que inclusive tem nomes muito conhecidos no cenário. O nosso coach [Rafael "zakk" Fernandes] que costuma estudar mais as equipes, mas da minha parte eu estou bem tranquilo, até porque se quisermos ser campeões temos que vencer todos!”

No campeonato, o time de brasileiros venceu o Team EnVyUs por 2 a 0, iniciando a recuperação da line-up na DH. Depois, foram só alegrias para os torcedores: a LG se vingou da eUnited durante a fase de grupos, marcando 2 a 0 nos norte-americanos e seguindo para os playoffs.

Na semifinal, a Luminosity venceu a Ghost Gaming por 2 a 1, dando uma boa surpresa aos fãs. Já a grande final, disputada contra a Team Vitality, não foi tão fácil para os brasileiros: o resultado foi de 2 a 0 para os franceses, que se mostraram merecedores do primeiro lugar no campeonato após um bom preparo e estudo do estilo dos adversários.

Por fim, hen1 faz um balanço geral de seu desempenho: “O meu ano não foi dos melhores pelos poucos torneios que joguei. Eu continuei me dedicando individualmente, mas não pude jogar competitivamente tanto quanto gostaria”.

“Porém, eu não tenho medo de dar passos para trás e, se for preciso, farei isto. A verdade é que não adianta ficar remoendo o que passou, o que precisamos é focar nas qualificatórias para o Major. Se nós formos bem nestas competições, eu ficarei satisfeito com o meu fim de ano!”

A DreamHack Atlanta aconteceu nos Estados Unidos junto com a Hi-Rez Expo entre os dias 16 e 18 de novembro. A competição contou com oito equipes e premiou os participantes em um total de US$ 100 mil. Para saber ainda mais sobre o torneio e conferir os resultados de cada jogo, confira o guia do Versus.



Helena Nogueira e Jairo "Foxer" Junior são redatores do Versus. Siga-os no Twitter em @helenavnogueira e @Foxer_JJ.

Tags Relacionadas
CS:GOFPS
Mais notícias
Guizao é anunciado como novo embaixador da MIBR
CS:GO

Guizao é anunciado como novo embaixador da MIBR

Com forte presença no CS:GO e no Rainbow Six, Guizao ficará perto das duas frente da MIBR
Jairo Junior
CS:GO: V4 Future Sports será transmitido no novo canal da MIBR na Twitch
CS:GO

CS:GO: V4 Future Sports será transmitido no novo canal da MIBR na Twitch

Será a primeira transmissão do canal
Jairo Junior
CS:GO: G2 anuncia Kioshima como substituto temporário de shox
CS:GO

CS:GO: G2 anuncia Kioshima como substituto temporário de shox

Jogador estava free agent no mercado
Jairo Junior