CS:GO

FACEIT Major CS:GO: Quais são as expectativas da MiBR contra a compLexity?

BiDa, xrm, guizaO, bczz e Gio dão suas opiniões!
@foxer_jj
Jairo Junior
escreve para o Versus.
Foto: MIBR/Reprodução
Foto: MIBR/Reprodução

O FACEIT Major London 2018 de Counter-Strike: Global Offensive está chegando aos momentos decisivos. O campeonato começou no dia 5 e termina em 23 de setembro em Londres, na Inglaterra, com US$ 1 milhão em premiação.

A MiBR está nos playoffs e o primeiro confronto da equipe será contra a compLexity nesta quinta-feira (19), com previsão de início às 14h45 (horário de Brasília). Como prévia para esta série que vale vaga na semifinal do campeonato, convidamos alguns narradores e comentaristas brasileiros como BiDa, xrm, guizaO, bczz e Gio para analisar e comentar sobre tudo que envolve este confronto.

Leia mais:

Antes de pensarmos no duelo dos dois times em si, devemos nos lembrar de certos fatos que precedem MiBR vs compLexity. Os primeiros deles são as campanhas feitas para chegar até aqui: enquanto a line-up de Peter "stanislaw" Jarguz conquistou o status de Lenda de forma invicta e com três vitórias, a de Gabriel "FalleN" Toledo só conseguiu na sua última chance - também com três vitórias, mas com duas duras derrotas.

O caminho de MiBR e compLexity no Major

Para lembrar as caminhadas dos dois times, os narradores Pablo "xrm" Oliveira e Bernardo "BiDa" Moura comentaram sobre as campanhas de MIBR e compLexity, respectivamente.

Veja a análise de xrm:

"Acredito que a derrota para a TyLoo na primeira rodada não deve ser tão criticada. Apesar do MiBR ter feito uma primeira metade muito boa e a virada dos chineses ter ficado com um gosto muito amargo para nós, ficou evidente que as equipes que vieram da Etapa dos Desafiantes, na semana anterior, chegaram num ritmo diferente para a Etapa das Lendas.

Acho que o MiBR sentiu essa falta de ritmo e vacilou bastante em alguns detalhes simples durante a partida, que acabaram atrapalhando. O único grande tropeço até o momento foi a derrota para a Astralis, que realmente é bem difícil de explicar. Imagino que nem os próprios jogadores do MIBR consigam encontrar um motivo, porque foi um jogo realmente atípico, não é à toa que foi o primeiro 16 - 0 na história dos Majors.

No geral, achei o desempenho do time brasileiro muito bom. Conseguiram excelentes resultados contra G2 e mousesports e depois uma MD3 também convincente contra a NIP. Estou bastante confiante que podemos conseguir mais do que o esperado nesse major. Ainda assim, de uma forma ou de outra, a evolução do time é nítida."

Confira o que BiDa achou a respeito dos dois times até agora no Major FACEIT:

"Para começarmos a falar da caminhada do compLexity, preciso mencionar a partida que o compLexity estreou no campeonato contra o Astralis, ainda na etapa dos novos desafiantes. Eles acabaram perdendo o jogo por 16 a 4 para Astralis, mas eu já tinha certeza que teriam um resultado interessante no campeonato. Logo nas primeiras rodadas já deu pra perceber que a equipe do compLexity estava muito bem organizada.

Depois dos dinamarqueses, eles jogaram contra Space Soldiers, com coach completando, e depois contra BIG e Vega Squadron todas as vezes na Inferno, então achei que os times erraram muito em manter o mapa contra a coL.

Na fase de Lendas, o Fnatic também não aprendeu a lição e tentou jogar na Inferno contra eles. Depois de tomar um 16 a 4, finalmente começaram a vetar o mapa contra eles. Por isso, na sequência, vimos Cache e Nuke contra G2 e BIG, respectivamente. Mas eu realmente não acho que vitórias sobre G2 e BIG nesses mapas dizem muito sobre a equipe norte-americana, pois ambas me decepcionaram bastante neste campeonato.

Apesar do BIG ter avançado para as quartas de final, acho que um grande fator para o resultado de 3 a 0 do coL foi um primeiro dia bagunçado. Favoritos como FaZe, MiBR e HellRaisers perderam na estreia.

Ainda assim, em resumo, creio que o compLexity surpreendeu e mostrou um nível de organização muito bom para esse campeonato. Imagino que eles devem escolher Inferno no confronto contra o MiBR, que é um mapa que já demonstraram controle absoluto, tendo apenas perdido pra Astralis na abertura. Fora isso, ainda é uma equipe que pode surpreender muito e buscar até mesmo outro upset no torneio."
Foto: HLTV/Reprodução
Foto: HLTV/Reprodução

Dias a mais de descanso influenciam?

Em seguida, nos deparamos com o fato do compLexity ter dois dias a mais não só de descanso, mas para treinar e estudar seus adversários. Se alguns acreditam que isto pode ajudar ou atrapalhar os lados de alguma forma, o comentarista Guilherme "guizaO" Kemen tem uma opinião um pouco diferente:

"A Complexity teve seis dias de descanso, e o MIBR quatro dias. Porém, não acredito que isso crie vantagem para nenhum dos lados. Se eu tivesse que apontar uma diferença, acredito que seis dias de descanso pode até fazer você perder o ritmo do campeonato, haja visto que a parte de grupos vimos uma Complexity inspirada."

"Até mesmo os quatro dias eu achei um pouco demais. Particularmente, prefiro os torneios com intervalos de um a dois dias, pois neste curto período os jogadores já conseguem descansar e se planejar para a próxima fase do torneio, mas ainda mantendo a cabeça e o ritmo do campeonato", completa guizaO.


MiBR vs compLexity

Agora analisando MiBR e compLexity frente a frente no servidor, diversas peculiaridades podem ser notadas. Algumas já esperadas, de acordo com o que vimos das duas equipes neste Major, e outras supresas. Para isso, pedimos a Otávio "bczz" Boccuzzi que analisasse o confronto:

"A primeira coisa que devemos notar a respeito do confronto entre compLexity e MiBR é a diferença de experiência entre as duas line-ups. De um lado, nós temos o MiBR com cinco campeões de Major e um analista muito famoso, enquanto no coL todos do time (com exceção do stanislaw), estão indo para o seu primeiro playoff de Major.

Então,entre muitas coisas, a questão da experiência também conta na parte de vetar bem os mapas e já esperar o pick adversário para estudá-lo antes de acontecer. No caso dos norte-americanos, espera-se que eles escolham Inferno.

Já dentro do jogo, o que diferencia as duas equipes é o fator individual. Quando falamos da estratégia, eu acredito que ambas virão com um plano de jogo bem estruturado, então a habilidade própria dos jogadores é o que fará a diferença, principalmente as duplas no lado de Contra-Terrorista, que é onde este quesito fica mais aparente.

Outras duas coisas que eu destacaria por parte do MiBR, é a sua capacidade de fazer um bom setup de duas AWP's e os seus forçados, que têm encaixado muito bem com uma Scout no Tarik e pistola no restante dos seus companheiros. Já pelo lado do coL, acredito que eles terão um jogo estruturado, mas também temos que ficar de olho em Jaccob "yay" Whiteaker e o Rory "dephh" Jackson, que são duas boas surpresas."


Análise das novas Lendas do Major

É impossível deixar de lado as demais equipes que estão disputando a competição - até porque são line-ups que podem ser futuros oponentes caso o MiBR avance. Por isso, solicitamos os conhecimentos do comentarista, coach e analista Giovanni "Gio" Deniz para pontuar as principais características de cada time ainda presente no campeonato.

Oleksandr "s1mple" Kostyliev do Natus Vincere, é considerado o melhor jogador de CS:GO do mundo atualmente. Foto: FACEIT/Reprodução
Oleksandr "s1mple" Kostyliev do Natus Vincere, é considerado o melhor jogador de CS:GO do mundo atualmente. Foto: FACEIT/Reprodução

compLexity

  • Estilo: Tático e old school, utilizam o lurker com bastante frequência e tem jogadas muito coletivas e ensaiadas;
  • Fraqueza: Falta de experiência em Majors;
  • Qualidade: Map Pool pra MD3 e grande variação.

MiBR

  • Estilo: Metódico, lento e imprevisível;
  • Fraqueza: Pouco tempo de treino pra estruturar o map pool;
  • Qualidade: Experiência, line-up campeã de Major e alto crescimento em playoffs.

BIG

  • Estilo: Extremamente tático e conta com o individual deOwen "smooya" Butterfield no estilo livre;
  • Fraqueza: Inconsistência;
  • Qualidade: Map Pool extenso e um jogo individual forte em situações de clutches.

Natus Vincere

  • Estilo: Metódico e agressivo;
  • Fraqueza: Depende muito do talento individual de Oleksandr "s1mple" Kostyliev e de um bom jogo de Denis "electronic" Sharipov;
  • Qualidade: Justamente ter dois monstros na equipe, como s1mple e electronic.

Astralis

  • Estilo: Tático, criativo e imprevisível;
  • Fraqueza: Contra times criativos, acabam sendo facilmente surpreendidos;
  • Qualidade: Criatividade, map pool extenso, bom uso de granadas e a melhor leitura de rounds da atualidade.

FaZe

  • Estilo: Rápido, agressivo e intimidador;
  • Fraqueza: Não sabem lidar com times que não dão combate nos seus domínios;
  • Qualidade: Tem o time com mais skills do mundo, em que todos os cinco atletas conseguem reverter rounds, até mesmo em grandes desvantagens.

Liquid

  • Estilo: Imprevisível, disciplinado e versátil;
  • Fraqueza: Jogadores se afobam em momentos críticos;
  • Qualidade: Momento muito forte, evolução absurda, map pool fortíssimo e um jogo completamente imprevisível.

HellRaisers

  • Estilo: Metódico e agressivo;
  • Fraqueza: Depende muito do talento individual de Issa "ISSAA" Murad e Özgür "woxic" Eker;
  • Qualidade: Tem um trabalho coletivo feito com decência nos últimos meses, proporcionando grande evolução do time, além de ter dois jogadores decisivos como w0xic e ISSAA.


O FACEIT Major London 2018 de CS:GO é considerado um dos torneios mais importantes do game no ano. Sua fase final começa nesta quinta-feira (20) e vai até o domingo (23), quando ocorre a grande final. Saiba tudo sobre o evento em nosso guia.


Jairo "Foxer" Junior é redator do Versus. Siga-o no Twitter.

Tags Relacionadas
CS:GOFPS
Mais notícias
Guia Starseries S8 de CS:GO: Times, transmissão, agenda e mais
CS:GO

Guia Starseries S8 de CS:GO: Times, transmissão, agenda e mais

Saiba quando MIBR, FURIA e Imperial jogam
Matheus Oliveira
Tudo sobre o Projeto A, novo FPS da Riot Games
League of Legends

Tudo sobre o Projeto A, novo FPS da Riot Games

Os mundos de CS:GO e Overwatch unidos da melhor forma possível
Matheus Oliveira
CS:GO: Skullz retorna à equipe titular da W7M Gaming
CS:GO

CS:GO: Skullz retorna à equipe titular da W7M Gaming

Jogador que foi emprestado a Luminosity retornou ao time de origem após o fim da line-up brasileira nos Estados Unidos
Matheus Oliveira