CS:GO

CS:GO: Kscerato comenta volta ao Brasil e experiência em torneios internacionais

A FURIA caiu no gosto da torcida brasileira e voltará ao país para disputar a DreamHack Rio
@foxer_jj
Jairo Junior
escreve para o Versus.
Foto: HLTV/Reprodução
Foto: HLTV/Reprodução

A FURIA tornou-se o novo xodó do público brasileiro de Counter-Strike: Global Offensive. A equipe participou recentemente do Minor das Américas e da primeira etapa do IEM Katowice Major 2019, chamando atenção pela determinação e grande potencial de seus jovens jogadores.

Em entrevista exclusiva ao Versus, Kaike "kscerato" Cerato, uma das estrelas do time de CS:GO, comentou sobre a experiência adquirida nas competições internacionais e também sobre a vinda do time ao Brasil para jogar na DreamHack Open Rio.


Leia mais:


Relembrando o que viveu no Major, kscerato destacou de forma especial o fato de ter jogado contra grandes ídolos do game. Segundo ele, “estar ali [na 1ª etapa do IEM Katowice 2019] foi um sonho que trazia a sensação de estar no caminho certo”.


Falando da estreia da equipe brasileira no Major e o desafio de conquistar um lugar na fase final do torneio, o atleta exaltou que “a capacidade da NiP [Ninjas in Pyjamas] de lidar com rounds complicados e decisivos era incrível, muito por conta da experiência”. Ele também não escondeu que, de fato, “foi realmente difícil jogar contra os suecos da equipe”.

Nas redes sociais, o público comentou sobre a possibilidade do nervosismo ter atrapalhado a FURIA durante a competição na Polônia. Entretanto, kscerato desmistifica: “Na verdade nós estávamos tranquilos. Isso é claro, devido ao nosso trabalho dia a dia com a grande ajuda do nosso mind coach, Marcos Bernardo. Inclusive, agradeço muito a ele por tudo!”. Na visão do jogador, a FURIA foi eliminada “devido a tomadas de decisões precipitadas”.

Jogadores da FURIA com seu mind coach. Foto: FURIA/Reprodução
Jogadores da FURIA com seu mind coach. Foto: FURIA/Reprodução

Outro ponto que kscerato comentou com grande entusiasmo foi sobre a torcida brasileira: “Sabe a sensação que um jogador de futebol sente ao entrar em um estádio em solo brasileiro? Foi como eu me senti com o apoio que recebemos”, comparou o jogador. "Eu cheguei a me emocionar com as mensagens que recebi. Nunca imaginei que aconteceria algo assim comigo e eu agradeço bastante a todos os brasileiros loucos e fanáticos pelos esports. Vocês são insanos!"


Olhando os números e estatísticas, kscerato foi o grande destaque da FURIA no Major. Ainda assim, cada um dos integrantes da line-up apareceram muito bem em momentos chaves, provando o valor da equipe como um todo.

Sobre a divisão de protagonismo na equipe, kscerato explica: “Isto é o fruto do nosso ótimo trabalho em conjunto. Cada um de nós come o jogo e busca vencer seus próprios desafios. Desta forma, todos ganham seu próprio destaque e ajudam o time a cada vitória”.

Foto: FURIA/Reprodução
Foto: FURIA/Reprodução

Deixando o passado de lado e agora olhando para o futuro, a composta por Yuri "Yuurih" Santos, Andrei "arT" Piovezan, Vinicius "VINI" Figueiredo, Rinaldo "ableJ" Moda e kscerato (além do técnico Nicholas "guerri" Nogueira) já tem parada certa no Brasil. Ao lado de fortes equipes brasileiras como Sharks e Luminosity Gaming, a FURIA foi convidada para disputar a DreamHack Open no Rio de Janeiro.


Quando questionado sobre o torneio, kscerato empolgou: “[Disputar a DreamHack] é um sonho do c****** (sic). Quando a recebi a notícia, confesso que me emocionei, porque se não fosse convidado, eu estaria torcendo que nem louco. Tendo esta oportunidade então, é algo inexplicável!”.


Antes de conquistar seu espaço na cena internacional, os jogadores da FURIA já eram conhecidos pelo alto nível de habilidade em solo nacional. Tal notoriedade rendeu até mesmo algumas investidas de times brasileiros fora do país em busca dos talentos da equipe.


Na época, o próprio kscerato e também Yuri "Yuurih" Gomes se tornaram alvos da antiga SK Gaming. Entretanto, a organização esbarrou em multas que considerou altas demais e desistiram do possível investimento.


Até o momento, a escalação da FURIA está completamente fechada e o time segue com seu trabalho a longo prazo normalmente. Mas caso um dos membros resolva descontinuar sua participação no projeto, kscerato diz que “todos querem o melhor um para o outro na equipe. Por isso, ninguém jamais tentaria impedir o companheiro de seguir seu coração para um caminho diferente”.

Foto: FURIA/Reprodução
Foto: FURIA/Reprodução

O IEM Katowice Major 2019 de CS:GO acabou neste domingo (3 de março), com a vitória da Astralis em cima da ENCE na grande final. Os brasileiros da MIBR foram desclassificados do torneio após perderam para os dinamarqueses da Astralis na semifinal, enquanto a FURIA deixou a competição na fase inicial dos confrontos, após uma derrota contra a Cloud9.

Os brasileiros poderão acompanhar a FURIA de perto durante os confrontos da DreamHack Rio, que acontece no Parque Olímpico da cidade carioca entre os dias 19 e 21 de abril. Para garantir o ingresso do evento, basta visitar o site da Tickets for Fun.



Jairo "Foxer" Junior é redator do Versus. Siga-o no Twitter em @Foxer_JJ.

Mais notícias
CS:GO: Operação chamada Shattered Web é lançada; Novos personagens entram no jogo
CS:GO

CS:GO: Operação chamada Shattered Web é lançada; Novos personagens entram no jogo

Novos personagens de forças armadas conhecidas pelo mundo, skins e mais foram adicionados ao jogo
Matheus Oliveira
CS:GO: "Não concordo com as atitudes dele", diz boltz sobre coldzera
CS:GO

CS:GO: "Não concordo com as atitudes dele", diz boltz sobre coldzera

Pro player comentou sobre seu tempo na MIBR, os problemas na Luminosity Gaming e mais
Helena Nogueira
Mais de 25% do público de esports não joga, aponta Newzoo
Mercado

Mais de 25% do público de esports não joga, aponta Newzoo

A pesquisa foi feita com jogadores e espectadores de LoL, CS:GO, Dota e mais
Lucas Hagui