CS:GO

CS:GO: Gio e guizaO analisam atual momento do MIBR

Será que a equipe precisa de mais tempo ou mudanças na line-up?
@foxer_jj
Jairo Junior
escreve para o Versus.
Foto: MIBR/Reprodução
Foto: MIBR/Reprodução

Segundo Fernando "fer" Alvarenga, 2018 foi um "ano para se esquecer". Tanto ele quanto Gabriel "FalleN" Toledo e Marcelo "coldzera" David conquistaram tudo que queriam nas temporadas 2016/2017, mas não conseguiram repetir a mesma façanha neste ano competitivo. O atual momento da MiBR é conturbado, com poucos títulos e muitas cobranças, ao lado dos americanos Jake "Stewie2K" Yip e Tarik "tarik" Celik.

O tema rende milhares de comentários em grupos de Facebook, em que fãs debatem o que pode estar afetando a line-up. Por isso, o Versus convidou Giovanni "gio" Deniz e Guilherme "GuizaO" Kemen - dois dos maiores analistas do jogo no país - para se debruçarem sobre a problemática e dar seu veredito.

Leia mais:

Quando falamos de títulos, o mais expressivo da MiBR foi a ZOTAC Cup Masters. O campeonato contou com uma premiação interessante, no valor de US$ 300 mil, mas adversários que ofereceram poucas ameaças ao mix de brasileiros e americanos.

Fora isto, o clube colecionou decepções e uma bola na trave contra o Astralis durante a BLAST Pro Series Istanbul. Então, começando pela maré de resultados aquém do esperado, gio e GuizaO comentam sobre as principais causas das más exibições.

MIBR quando foi campeã da ZOTAC Cup Masters. Foto: MIBR/Reprodução
MIBR quando foi campeã da ZOTAC Cup Masters. Foto: MIBR/Reprodução

Gio entende que o obstáculo do time está fora do jogo: "Acredito que exista algum conflito interno e não aceitação de críticas de algum lado", opina. "O time está estagnado e não tem encaixado bons fins de partida como anteriormente. Eles começam bem, desenvolvem o meio de jogo bem e pecam no final. Parece nervosismo de iniciante."

"Além disso, se o YNk não mostrar mais presença nos torneios a equipe não vai evoluir com os gringos. Sinto falta de um treinador que impõe respeito e não vejo isso dele - observando de fora, obviamente", completa.

Já GuizaO crê que as peças do quebra-cabeça não se completam: "É notável em alguns momentos clutches que a questão da comunicação ainda não está 100%, e falhar em rounds chaves complica muito as coisas. Ainda assim, vejo como um dos grandes problemas o acúmulo de características parecidas na line, que fez com que alguns jogadores como Tarik tivessem que se adaptar e jogar de maneira diferente. Com isso, ele e outros não conseguem atingir seu verdadeiro potencial."

Não há dúvidas de que alterações são necessárias no time, sejam no âmbito do jogo ou em qualquer outro aspecto. No entanto, quando falamos em mudanças imediatas, Gio e GuizaO concordam que o timing não é o melhor. O fim da temporada está extremamente próximo e o que deve ser feito terá que ficar para o ano que vem.

Sendo assim, vamos pensar em 2019: O começo do ano é usado como férias, mas também como um pré-planejamento para o primeiro semestre. Seria esta a hora ideal para uma mudança na line, ou o descanso pode fazer bem para que os atletas voltem renovados e com outra mentalidade?

Gio e GuizaO discordam sobre a manutenção do atual quinteto, mas são unânimes quando elencam possíveis opções para recompor o elenco:

"O preparo da equipe precisa ser diferente [do que foi em 2018]. O Astralis, por exemplo, ficou um mês recusando torneios só para treinar. Só depois disso voltaram e tomaram a frente do ranking mundial. Acredito que fazer algo parecido seria benéfico ao MiBR. Quanto às mudanças [na line-up], não acho necessário ainda- mas se for para mudar, brasileiros são a melhor opção por motivos de identidade", disse Gio.

"Imagino que uma troca de line seria mais eficaz a curto prazo", cravou GuizaO. "Sobre os novos jogadores, eu não descarto outro quinteto misto, mas confesso que gostaria de ver cinco brasileiros novamente. Não é novidade que hoje em dia temos muitos jogadores com potencial".

Tarik e Stewie2k, os americanos da MIBR. Foto: ESL/Reprodução
Tarik e Stewie2k, os americanos da MIBR. Foto: ESL/Reprodução

Vale lembrar também que, apesar de tudo que passaram juntos, não podemos descartar que o trio FalleN, Fer e Cold também pode ser separado. Cedo ou tarde isso irá acontecer. Inclusive, no caso de Epitácio "TACO" de Melo, a saída do jogador foi extremamente benéfica para o seu jogo.

Como já deixou claro anteriormente, gio não enxerga a troca dos jogadores com bons olhos e explica porque Fer vem sofrendo com as críticas: "Em outra entrevista anterior ao Major, eu falei que o Fer iria sofrer mais pressão porque assumiu a função do primeiro entry - e isso se confirmou. A comunidade não está preparada pra aceitar que CS não é só um bom K/D. Acho que o problema não é o trio, pelo menos por agora."

GuizaO, por outro lado, imagina como seria ver o melhor do mundo em outra potência: "Como torcedor, eu com certeza gostaria que eles [fer, FalleN e cold] se mantivessem juntos", admitiu. "Porém, pensando por um lado mais profissional, talvez outras lines e novos desafios fizessem bem aos brasileiros. Já imaginou o cold na Faze? Confesso que também seria legal de assistir!"

Depois de tudo o que foi dito, é possível observar que até mesmo os analistas possuem visões diferentes sobre quais devem ser os próximos passos da MiBR. Gio se mostrou mais conservador nesta questão e acredita que a line precisa de mais tempo. GuizaO, por outro lado, acredita nas mudanças e acha que é hora de repensar se os jogadores realmente irão insistir neste projeto.

A verdade é que não existe uma receita de bolo nestes casos. Assim como podem existir muitas soluções para o mesmo problema, também há diversos fatores que podem fazer com que uma nova tentativa fracasse.

Porém, ambos concordaram em um aspecto: não há mais espaço para se esperar muito da equipe em 2018. Portanto, resta aos fãs terem um pouco mais de paciência e torcer para que uma nova MiBR renasça, junto do novo ano.

O próximo compromisso da Made in Brazil é nesta quinta-feira (22), nas finais da ECS Season 6. O time enfrentará o Mousesports na sua estreia e tem como possíveis adversários a Astralis e a Cloud9, que também estão no Grupo A. Para saber mais sobre a competição, visite o guia do Versus.



Jairo "Foxer" Junior é redator do Versus. Siga-o no Twitter em @Foxer_JJ.

Tags Relacionadas
CS:GOFPS
Mais notícias
CS:GO: FURIA vence BIG novamente e está na semifinal do Games Clash Masters 2019
CS:GO

CS:GO: FURIA vence BIG novamente e está na semifinal do Games Clash Masters 2019

Equipe brasileira fez campanha de duas vitórias e uma derrota na primeira fase do torneio
Lucas Hagui
CS:GO: Guardian está de volta à Natus Vincere
CS:GO

CS:GO: Guardian está de volta à Natus Vincere

Jogador viveu seus melhores momentos no time CIS
Lucas Hagui
CS:GO: Atualização adiciona recursos para treinar lançamento de granadas
CS:GO

CS:GO: Atualização adiciona recursos para treinar lançamento de granadas

Veja os comandos e como utilizá-los
Jairo Junior