CS:GO

CS:GO: "Acredito que nesta temporada mesmo vamos ganhar de alguns times", diz Olga

Jogadoras da Black Dragons falaram sobre a nova equipe, CBCS, futuro e mais
@foxer_jj
Jairo Junior
é reporter no Versus.
Foto: Black Dragons/Reprodução
Foto: Black Dragons/Reprodução

A Black Dragons surpreendeu a comunidade competitiva de CS:GO recentemente ao anunciar uma equipe feminina para a disputa do Campeonato Brasileiro de Counter-Strike. As cinco jogadoras tornaram-se as únicas mulheres da competição dentre oito times participantes. Durante a Game XP 2019, o Versus conversou com algumas das integrantes do time para saber mais sobre esta nova line-up e a oportunidade de competir em um nível ainda maior.

Leia mais:

As responsáveis pela construção da escalação foram Olga "olga" Rodrigues e Tainara "nara" Torres. Desde o início, elas escolheram as demais integrantes pelas funções que elas sabiam desempenhar dentro de jogo.

"Logo de cara pensei em uma AWP e os nomes que vieram na minha cabeça foram o da AMD e o da cAmyy", diz Olga. "Também queríamos pelo menos uma entry e fui atrás da Dinha, que eu queria muito jogar ao lado faz tempo. Por conta da proximidade e de muitas já terem jogado juntas, o quarteto se formou rápido. Por fim, a Anabala foi indicação da Nara, pois elas já tinham até mesmo ganhado alguns títulos juntas. Fora o fato dela ser boa trader, o que encaixou perfeitamente com nossa pedida."

Ainda assim, mesmo o projeto sendo iniciado pelas duas jogadoras, a braçadeira de capitã ficou com outra jogadora. De acordo com Olga, Amanda "AMD" Abreu era a melhor das cinco opções:

"Como capitã eu fico muito focada no jogo de todas e esqueço um pouco do meu. Até mesmo nos outros times as meninas pediam para que eu me concentrasse mais no meu. Então normalmente eu começo de capitã, mas acabo passando para outra. Desta vez já optamos pela AMD como capitã, que é boa nisso e já tem experiência na função por outros times."

O primeiro resultado não foi exatamente o que as pro players gostariam. A BD enfrentou a INTZ na estreia e acabou derrotada por 16 a 2.

Olga manteve os pés no chão e afirmou que não esperava uma vitória neste primeiro jogo, pois ela e seu time mal tiveram a chance de treinarem juntas. Já os intrépidos chegaram muito bem entrosados, assim como Amanda "dinha" Gomez explicou:

"A INTZ é uma equipe que já estava junta, bem treinada e que sabe o que fazer e o que não fazer juntos, enquanto nós ainda iremos começar a nos ajeitar para chegar neste nível. Então creio que jogar contra eles teve esta dificuldade a mais. Porém, mesmo com o resultado ruim, nós jogamos super hypadas. Até porque só tínhamos dois dias de treino, então tudo que podíamos fazer e fizemos foi dar nosso melhor da maneira que dava."

Daqui para frente, o quinteto da Black Dragons passará a morar junto. O único pensamento delas por um bom tempo será o CS: "Nós teremos uma gaming house em São Paulo, perto do estúdio da CBCS", contou Dinha. "Vai ser ótimo pois passaremos muito tempo juntas e conseguiremos nos desenvolver mais rápido."

Quanto aos próximos resultados, Olga promete melhoras e até mesmo boas surpresas: "Acredito que nesta temporada mesmo vamos ganhar de alguns times e fazer muitos rounds em outros. Sinceramente, não é algo que eu vejo muito longe".

Siga o Versus nas redes sociais para mais notícias - Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Jairo "Foxer" Junior é redator do Versus. Siga-o no Twitter em @Foxer_JJ.

Tags Relacionadas
CS:GOGame XPBlack Dragons
Mais notícias
CS:GO: Imperial e-Sports anuncia fim da equipe feminina
CS:GO

CS:GO: Imperial e-Sports anuncia fim da equipe feminina

A line-up estava desfalcada e agora foi desligada totalmente
Jairo Junior
CS:GO: CBCS Season 2 dará vaga direta na WESG Latam, no Rio de Janeiro
CS:GO

CS:GO: CBCS Season 2 dará vaga direta na WESG Latam, no Rio de Janeiro

Na primeira temporada o torneio deu vaga para StarSeries, na Turquia
Jairo Junior
Mais de 25% do público de esports não joga, aponta Newzoo
Mercado

Mais de 25% do público de esports não joga, aponta Newzoo

A pesquisa foi feita com jogadores e espectadores de LoL, CS:GO, Dota e mais
Matheus Oliveira