CS:GO

CS:GO: A estreia desastrosa de Coldzera na FaZe Clan não é o fim do mundo

Nesta análise colocamos os números do jogador à prova
@foxer_jj
Jairo Junior
escreve para o Versus.
Foto: HLTV/Reprodução
Foto: HLTV/Reprodução

Marcelo "coldzera" David enfim foi confirmado na FaZe Clan, teve sua estreia, mas não empolgou. Sob os olhares do mundo, o brasileiro deu início à nova etapa da sua carreira durante a ESL One New York 2019 de Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO). Após o fim do campeonato, o Versus - que cobriu todas as partidas disputadas pelo jogador - lançou um olhar analítico sobre sua primeira atuação em uma equipe europeia.

Leia mais:


Pela primeira vez, coldzera e os números não se deram bem

Uma das principais características de cold em toda a sua trajetória internacional é a regularidade. Não importa se sua equipe está muito bem ou até mesmo muito mal, ele sempre se mantém entre os melhores e raramente decepciona. Não é exagero dizer que um dia ruim do cold é um dia mediano/bom de outros jogadores. No entanto, seus passos iniciais na FaZe foram diferentes...

A ESL One New York 2019 ficou marcada como a pior performance da carreira de coldzera na HLTV, quando falamos em números. Dos 40 pro players que participaram do torneio, seu rating foi o mais baixo, juntamente de Rene "TeSeS" Madsen da OpTic Gaming.

É difícil apontar o real problema que tanto afetou cold. Talvez seja o nervosismo do evento de estreia por uma nova organização sem brasileiros. Podemos apontar também o fato de ele nunca ter ficado tanto tempo afastado do competitivo - cerca de dois meses e meio. Ou até mesmo uma junção de tudo, que se tornou uma grande bola de neve. Fato é que o brasileiro estava irreconhecível.

Estatísticas de coldzera na ESL One New York 2019 | Foto: HLTV/Reprodução
Estatísticas de coldzera na ESL One New York 2019 | Foto: HLTV/Reprodução

Coldzera foi o problema?

É fácil apontar apenas os erros de cold na competição do último final de semana. Principalmente para os que estavam torcendo contra ele. De fato, ele não teve bom desempenho e, em questão de números, teve os mais baixos. Porém, seria completamente injusto dizer que ele sozinho é o grande vilão da trama.

Nikola "NiKo" Kovac, que também é conhecido pelos números positivos, foi outro que mal apareceu nos jogos da FaZe. Inclusive, enquanto cold ficou em 39º lugar de rating no torneio de 40 jogadores, o bósnio ficou logo acima, em 38º lugar.

Håvard "rain" Nygaard também não foi bem e mesclou atuações medianas e ruins. As exceções ficam para Helvijs "broky" Saukants, que impressionou por ser um estreante de apenas 18 anos em um dos maiores times do mundo e, sem dúvida alguma, Olof "olofmeister" Kajbjer, que foi o melhor da equipe, indiscutivelmente.

Veja abaixo como ficaram as estatísticas dos companheiros de coldzera na ESL One NY:

1/4
Estatísticas de NiKo na ESL One New York 2019 | Foto: HLTV/Reprodução
Estatísticas de NiKo na ESL One New York 2019 | Foto: HLTV/Reprodução
Estatísticas de rain na ESL One New York 2019 | Foto: HLTV/Reprodução
Estatísticas de rain na ESL One New York 2019 | Foto: HLTV/Reprodução
Estatísticas de broky na ESL One New York 2019 | Foto: HLTV/Reprodução
Estatísticas de broky na ESL One New York 2019 | Foto: HLTV/Reprodução
Estatísticas de olofmeister na ESL One New York 2019 | Foto: HLTV/Reprodução
Estatísticas de olofmeister na ESL One New York 2019 | Foto: HLTV/Reprodução

Mapas disputados

Os mapas escolhidos pela FaZe também não ajudaram na performance de coldzera. Em Nova York ele jogou apenas duas melhores de três - uma contra os campeões Evil Geniuses e outra contra a OpTic Gaming. Nestes dois confrontos, quatro partidas em três mapas diferentes foram disputadas: Nuke, Vertigo e Dust 2.

Nas duas MD3 ele jogou em Nuke, que é o mapa eternamente banido da MIBR. Não é difícil prever que os brasileiros praticamente não tentam treinar o mapa. Já em Vertigo ele jogou apenas duas vezes em sua carreira e nenhuma delas foi em um campeonato presencial - a primeira foi em maio contra a Liquid e a segunda em junho frente a compLexity, ambas pela etapa online da ECS norte-americana.

A Dust 2 foi o único mapa que cold teve diversos contatos reais. No entanto, curiosamente, foi o que ele encontrou mais dificuldades e terminou 9/21. Outro fato curioso é que sua melhor partida pela FaZe foi justamente a primeira, em Nuke, quando ele terminou 16/16 na derrota de 16 a 12. Este também foi o jogo mais consistente da nova line-up da FaZe.

Confira a seguir os números de cold e a FaZe em cada mapa disputado na ESL One NY:

1/4
Nuke vs Evil Geniuses | Foto: HLTV/Reprodução
Nuke vs Evil Geniuses | Foto: HLTV/Reprodução
Vertigo vs Evil Geniuses| Foto: HLTV/Reprodução
Vertigo vs Evil Geniuses| Foto: HLTV/Reprodução
Nuke vs OpTic| Foto: HLTV/Reprodução
Nuke vs OpTic| Foto: HLTV/Reprodução
Dust 2 vs OpTic| Foto: HLTV/Reprodução
Dust 2 vs OpTic| Foto: HLTV/Reprodução

Posições e funções dentro de jogo

As maiores adaptações que coldzera terá que fazer é com relação a seus novos companheiros, além da volta da comunicação em inglês. Isso porque suas funções individuais pouco mudaram.

De contra-terrorista ele não foi colocado sozinho em nenhum bombsite. Em Nuke e em Vertigo seu dever era cuidar da B1 e seus companheiros normalmente foram Rain e Niko, respectivamente. Em Dust 2 ele ficou mais por volta da B2, porém bem solto. Foi comum vê-lo fazer alguns picks fundo e meio também.

Como terrorista também não houveram novidades, já que sua função era trocar as mortes dos seus companheiros e jogar os clutches. Era extremamente raro vê-lo como a primeira peça de sacrifício, seja entrando na frente dos seus colegas de equipe ou então tentando fazer uma play com pick rápido.

Outra dúvida que pairou sobre a cabeça de muitos foi sobre quem seria o novo AWP, após a saída de Ladislav "GuardiaN" Kovács. Por enquanto, nenhum dos cinco elementos da FaZe ficou com a função fixa. Coldzera sempre se mostrou habilidoso de sniper, assim como é como rifler, por isso era comum vê-lo mesclar entre M4, AK-47, SG e AWP. Outros players como NiKo e Olof também jogaram de AWP em certos momentos - às vezes até duas AWPs apareciam, deixando clara esta mescla.

Recomeço

Para cada nova jornada, um primeiro passo tem que ser dado. Alguns conseguem passadas mais largas, enquanto outros nem tanto. A questão é que este foi o primeiro campeonato de uma line-up que trocou duas peças e que já não estava completa oficialmente há pelo menos 10 meses, entre idas e vindas de completes e mais completes.

Para os ouvidos dos brasileiros pode soar meio estranho toda esta conversa de "nova equipe" e "é preciso mais tempo". Isso é algo recorrente nos últimos anos até nos maiores times do país. No entanto, não deixa de ser uma verdade. Tanto coldzera quanto olofmeister já foram melhores do mundo, enquanto NiKo é cotado a este posto há alguns anos. Rain já foi considerado o melhor da sua função (entry) e Broky tem potencial para ser uma aposta certeira. É verdade que o início do quinteto foi péssimo, mas isso não muda o fato de que eles ainda podem crescer muito juntos.

Sendo na Dexterity, Luminosity, SK, MIBR ou em qualquer outro canto, enquanto coldzera for brasileiro, minha torcida estará com ele.

Siga o Versus nas redes sociais para mais notícias - Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Mais notícias
Guia Starseries S8 de CS:GO: Times, transmissão, agenda e mais
CS:GO

Guia Starseries S8 de CS:GO: Times, transmissão, agenda e mais

Saiba quando MIBR, FURIA e Imperial jogam
Matheus Oliveira
Tudo sobre o Projeto A, novo FPS da Riot Games
League of Legends

Tudo sobre o Projeto A, novo FPS da Riot Games

Os mundos de CS:GO e Overwatch unidos da melhor forma possível
Matheus Oliveira
CS:GO: Skullz retorna à equipe titular da W7M Gaming
CS:GO

CS:GO: Skullz retorna à equipe titular da W7M Gaming

Jogador que foi emprestado a Luminosity retornou ao time de origem após o fim da line-up brasileira nos Estados Unidos
Matheus Oliveira