CS:GO

CS:GO: Pro player da Chaos chama MIBR de lixo e kNg defende o time brasileiro

Brasileiro diz que "falta muito" para Jonathan "Jonji" ser considerado ao menos ruim
@biaacoutinhoo
Escrito por
Beatriz Coutinho

Foto: MIBR/Reprodução
Foto: MIBR/Reprodução

Durante uma transmissão ao vivo recente, Jonathan "Jonji" Carey, pro player de Counter-Strike: Global Offensive da Chaos Esports, disse que a equipe brasileira MIBR é um "lixo" e "horrível". No Twitter, Vito "kNg" Giuseppe, defendeu sua equipe e afirmou que ainda falta muito para Jonji ser considerado ao menos ruim e que "o mundo gira". Em junho, uma partida entre as duas equipes rendeu polêmica na comunidade depois que um jogador da Chaos foi acusado de usar hacks no jogo.

Leia mais:

"Cara, nós ganhamos do seu time horrível com o nosso coach. Em uma partida que não importava para a gente. Por que usaríamos cheat em uma partida que não nos importava? Seu time é simplesmente um lixo. Essa é a verdade. Seu time perdeu para um time com um coach [jogando]. Jogando por diversão. Isso foi tudo o que aconteceu. Nenhum cheat foi necessário. Tipo, eu não sei mais o que falar para você. Vocês precisam tirar isso da cabeça. Vocês foram absolutamente dominados em uma partida que deveriam ter ganhado sem problemas. Eu sinto muito pelo seu time ser terrível", disse Jonji após ser questionado sobre o assunto.

Em resposta, kNg defendeu a MIBR. "Pra ser ruim falta muito, nois [sic] nem ligamos. Mas o mundo gira, não se esqueça!", disse o pro player, que faz parte da equipe desde setembro de 2019.

Em junho, MIBR e Chaos se enfrentaram na chave superior da primeira fase da cs_summit 6. A equipe brasileira perdeu por 2 a 1 e foi nesta série melhor de três jogos (md3) que a comunidade questionou o pro player Nathan "leaf" Orf, da Chaos, sobre o uso de trapaças no jogo.

Algumas jogadas de leaf levantaram suspeitas e grandes nomes dos cenários nacional e internacional de CS:GO se pronunciaram sobre o assunto, como os próprios jogadores de ambas as equipes, Tarik "tarik" Celik, ex-MIBR que hoje joga pela Evil Geniuses, Joao "felps" Vasconcellos, Otávio "bczz" Boccuzzi, entre outros.

Na época, o streamer brasileiro Alexandre "Gaules" Borba, indicado ao prêmio de streamer do ano pelo Esports Awards 2020, também se pronunciou e foi acusado de incentivar a comunidade a ir atrás de leaf e fazer justiça com as próprias mãos. Em 13 de julho, Gaules pediu desculpas por sua atitude.

"Hoje, sei mais do que nunca que estar a frente de uma comunidade representa ter responsabilidades. Então, se uma atitude minha gerou essa reação negativa que, de alguma maneira deixou alguém chateado, venho aqui me desculpar e reforçar: nunca em hipótese alguma teremos um tipo de comportamento que nós não gostaríamos que tivessem com a gente. [...] Lembre-se: A Tribo cuida da Tribo. E isso significa saber reconhecer os erros e jamais esquecer dos nossos valores. Por menos hate, mais amor e muitas boas partidas de CS:GO", disse o streamer.

A cs_summit 6 foi o último torneio que a MIBR disputou desde que fez uma pausa para realizar um bootcamp. Recentemente, foi revelado que a equipe brasileira disputará a ESL One Cologne 2020 na Europa, o torneio acontece entre 18 e 30 de agosto.

No vídeo acima você confere uma série de jogadas incríveis que foram eternizadas como grafites no CS:GO.

Siga o Versus nas redes sociais para mais notícias - Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Tags Relacionadas
CS:GOMIBR
Mais notícias
DreamHack adia eventos presenciais para 2021
DreamHack

DreamHack adia eventos presenciais para 2021

Alguns torneios continuarão sendo realizados online
Beatriz Coutinho
CS:GO: Soberano anuncia contratação de line-up ex-INTZ
CS:GO

CS:GO: Soberano anuncia contratação de line-up ex-INTZ

Naper, Santininha, Ninha, Regiane e Gabee estão de casa nova
Beatriz Coutinho
CS:GO: Felps deixa MIBR oficialmente ao ser comprado pela BOOM
CS:GO

CS:GO: Felps deixa MIBR oficialmente ao ser comprado pela BOOM

Pro player jogava pela BOOM por meio de um empréstimo
Beatriz Coutinho