League of Legends

CBLoL: Organizações internacionais são uma possibilidade no sistema de franquias

Mas há alguns impedimentos, como a falta de presença e história no cenário brasileiro
@biaacoutinhoo
Escrito por
Beatriz Coutinho

Foto: Riot Games/Reprodução
Foto: Riot Games/Reprodução

O Campeonato Brasileiro de League of Legends adotará o modelo de franquias em 2021, o que abre a oportunidade para organizações de fora do país cogitarem a participação no cenário nacional de LoL. Com a atual situação da moeda brasileira em relação ao Dólar ou ao Euro, seria bastante viável que uma equipe internacional comprasse uma vaga no CBLoL. Segundo Carlos Antunes, diretor de esports da Riot Games Brasil, de fato, é possível que times estrangeiros demonstrem interesse no projeto, mas o dinheiro do investimento para a parceria não paga, por exemplo, presença e história já bem estabelecidas no Brasil.

Leia mais:

Carlos afirmou que não pode confirmar se já houve inscrições de organizações estrangeiras no processo seletivo para a compra da vaga no CBLoL, mas confirmou que, sim, a Riot Games pensou nessa possibilidade. Para evitar conflitos que levem em consideração apenas o valor do investimento, há uma série de critérios para que outras questões sejam analisadas na hora de definir a Parceria de Longo Prazo.

Um dos tópicos é se a Riot teria a capacidade de devolver o alto investimento de uma organização internacional em receita. "Nossa preocupação foi gerar um valor para a taxa de adesão que fosse compatível com o que a liga consegue devolver em receita, seja para uma organização que já é parceira da Riot, ou que não estava presente no LoL, ou que é internacional. A nossa obrigação de gerar retorno é a mesma", explicou o diretor.

"Nossa definição dos valores foi feita a partir de um estudo financeiro do quanto a conseguimos devolver em valor, como valor direto, porque eu tenho compartilhamento de receitas da liga, ou como o valor que desenhamos com as organizações consegue se rentabilizar por outros canais, como seus patrocínios e projetos". Ou seja, ainda que o investimento seja atrativo para uma organização estrangeira, ela precisa levar em conta se a permanência no torneio e investimentos paralelos (relacionados, por exemplo, a gastos com contratação de pro players, equipe administrativa, local de trabalho adequado, marketing entre outros) conseguem se sustentar com o retorno que a liga irá gerar.

Além disso, Carlos destaca que a aquisição da vaga não tem a ver apenas com dinheiro. "Uma organização pode estar fortemente alavancada em fundos por ter uma moeda mais forte, mas ela terá dificuldade em outros critérios de avaliação, já que não possui presença no Brasil. [...] O dinheiro não vai comprar tudo em curto prazo". Segundo ele, o ideal é que organizações internacionais invistam em times locais para chegar com uma base. "Aí você terá o melhor dos dois mundos. Pode ter um investimento abundante viabilizando a estrutura de uma organização que já tem presença, histórico no cenário e etc".

Pensando nisso, organizações estrangeiras que já estão presentes no cenário brasileiro de esports poderiam ter mais facilidade em lidar não só com a compra da vaga, mas com toda a estrutura envolvida no projeto de um novo time. Alguns exemplos são a Ninjas in Pyjamas, FaZe Clan e Team Liquid, organizações estrangeiras que possuem times brasileiros de Rainbow Six Siege e Free Fire, no caso da última. Em fevereiro de 2020, Nicolas Gundersen, COO da NiP, afirmou que a organização estava planejando voltar ao cenário competitivo de LoL. Ainda assim, vale lembrar, por exemplo, que a FaZe Clan se mostrou interessada em comprar uma vaga na liga sul-coreana de LoL (LCK), que também adotará o modelo de franquias em 2021.

League of Legends possui mais de 140 campeões e cada um deles carrega sua própria história. Ainda assim, as jornadas de vários personagens se entrelaçam e no vídeo acima você confere quais são essas histórias, que dão origem as melhores teorias do LoL.

Siga o Versus nas redes sociais para mais notícias - Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Tags Relacionadas
League of LegendsCBLoL
Mais notícias
Guia TFT: Melhores composições e sinergias do Conjunto 3 de Teamfight Tactics
Teamfight Tactics

Guia TFT: Melhores composições e sinergias do Conjunto 3 de Teamfight Tactics

Saiba quais campões e combos priorizar para ficar em 1º nas partidas de Galáxias
Matheus Oliveira
LoL: CEO do Flamengo se desculpa por tuíte feito após derrota para PRG
League of Legends

LoL: CEO do Flamengo se desculpa por tuíte feito após derrota para PRG

Mensagem sugeria que resultados ruins o fazem investir "à toa"
Beatriz Coutinho
LoL: Santos é punido após Sarkis sair antecipadamente de partida
League of Legends

LoL: Santos é punido após Sarkis sair antecipadamente de partida

Penalidade foi aplicada pela reincidência dupla da ação
Beatriz Coutinho