Fortnite

Apple responde à processo da Epic Games com contra-acusações

O battle royale perdeu 60% do público no mobile
Escrito por
Matheus Oliveira

Imagem: Epic Games/Reprodução
Imagem: Epic Games/Reprodução

Após o desenvolvimento dos desentendimentos entre Apple e Epic Games, a empresa responsável por tirar Fortnite de sua loja de aplicativos respondeu aos processos da desenvolvedora com contra-acusações.

Leia mais:

Em represália aos processos gerados pela Epic contra a iniciativa da Apple de retirar o game da sua loja de aplicativos, a empresa publicou, na última terça-feira (9), uma resposta com 65 páginas de contra-acusações.

O documento - disponível online - alega que a Epic Games foi a primeira a infringir diversas cláusulas de contratos e regulamentos quanto à distribuição de software na loja de aplicativos App Store, além de expor os mecanismos externos de pagamento como ilegais.

“Por mais que a Epic se apresente como o Robin Hood moderno das corporações, a verdade é que se trata apenas de uma empresa multi-milionária que simplesmente não quer pagar nada pelo valor que a App Store agrega”, diz a declaração (tradução livre). “As exigências por tratamento especial e acusações de ‘retaliação’ da Epic não podem livrar do flagrante da quebra de contrato e de outras más práticas de negócios”.

Vale lembrar que a Epic promoveu um torneio e introduziu no game um visual que faz referência ao embate entre a desenvolvedora e a Apple, o traje Magnata Amargo. | Imagem: Epic Games/Reprodução
Vale lembrar que a Epic promoveu um torneio e introduziu no game um visual que faz referência ao embate entre a desenvolvedora e a Apple, o traje Magnata Amargo. | Imagem: Epic Games/Reprodução

Além disso, a Apple também respondeu às acusações de estabelecimento de monopólio na App Store feitas pela Epic, dizendo que “Fortnite está disponível para PC, consoles, Android e iOS. Então já existe competição suficiente”.

O caso Apple vs Epic Games

O embate entre as empresas começou em 13 de agosto, quando a Apple removeu Fortnite do catálogo de sua loja de aplicativos depois do enfrentamento da Epic, que disponibilizou uma segunda maneira de lidar com microtransações no jogo, que não incluía a taxa de 30% da App Store.

Pouco depois, a Apple retirou também o acesso dos desenvolvedores às ferramentas relacionadas a criações com a Unreal Engine, já que o motor gráfico também é propriedade da Epic Games, o que foi retaliado até por gigantes como a Microsoft.

A mais recente consequência do embate entre as empresas foi a falta de atualização de Fortnite em plataformas Apple, no caso iOS e macOS, que deixaram de receber qualquer conteúdo relacionado à Temporada 4 do battle royale.

Que tal relembrar algumas das armas mais poderosas da história de Fortnite? Veja o vídeo acima.

Siga o Versus nas redes sociais para mais notícias - Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Tags Relacionadas
FortniteMercado
Mais notícias
Rede de shopping centers organiza campeonato de Free Fire e Fortnite
Esports

Rede de shopping centers organiza campeonato de Free Fire e Fortnite

Competidores concorrem a vale presentes de até R$ 430
Matheus de Lucca
Fortnite: FNCS da Temporada 4 será em trios e começa em outubro
Fortnite

Fortnite: FNCS da Temporada 4 será em trios e começa em outubro

Serão quase mais de R$ 2,5 milhões em premiação
Matheus Oliveira
Fortnite: Pacote de cosméticos de Blade traz skin, picareta, gesto e mais
Fortnite

Fortnite: Pacote de cosméticos de Blade traz skin, picareta, gesto e mais

O Andarilho do Dia chegou na Temporada 4
Matheus Oliveira