Overwatch

Aluno faz trabalho sobre Overwatch e tira 10

Estudante criou um planeta inspirado no herói Genji
@thais.stagni
Escrito por
Thais Stagni
Foto: Thaís Stagni/Versus
Foto: Thaís Stagni/Versus

Aprender não seria mais divertido se nós pudéssemos usar a imaginação - e o conhecimento nos nossos games preferidos - na hora de passar de ano? Bom, foi o que fez o aluno do 5º ano do Colégio Porto União, Eduardo Benfica Miragaia Bieluczyk, de apenas 10 anos, que uniu o útil ao agradável e tirou um 10 ao fazer um trabalho de ciências inspirado em Overwatch.

Leia mais sobre Overwatch:

"Ele sabia falar muito bem e [Overwatch] faz parte da vida dele", afirmou a professora Luciana Pereira da Silva com exclusividade ao Versus. "Ele foi o estudante que mais se aprofundou no assunto."

O trabalho de Ciências consistia em criar um planeta, já que os alunos estavam aprendendo sobre o universo. Eduardo então decidiu criar o Planeta Overwatch, em que todos os habitantes eram Genjis. Já imaginou quanto o governo desse lugar precisaria gastar com o sistema de saúde público?

Foto: Thaís Stagni/Versus
Foto: Thaís Stagni/Versus

"Eu queria algo que fosse inovador, aí eu olhei pra capinha do Overwatch e pensei: 'vai ser isso'", afirmou o estudante. "Eu imaginei que [o símbolo do game] fosse o Sol próprio do planeta. E como lá ia ter o Sol próprio, ia ser muito quente, então eu aproveitei a armadura do Genji, falando que se eles não saíssem com a armadura, eles se queimam."

Eduardo é fã de videogame desde os 3 anos de idade. Começou jogando Mario para o Nintendo DS com o primo mais velho, e atualmente é um grande jogador de games de luta e de tiro, como Rainbow Six Siege e Dragon Ball FighterZ - inclusive, o menino está ansioso para o lançamento, que será em fevereiro de 2018.

Mas Overwatch foi amor à primeira vista.

"Quando lançou o Xbox One, eu e meu primos vimos na internet que estava saindo Overwatch, e exatamente quando lançou, a gente comprou", afirmou o estudante, que falou sobre seus heróis preferidos: Genji (é claro), McCree, D.Va, Sombra e Reaper.

Eduardo e a professora Luciana. Foto: Thaís Stagni/Versus
Eduardo e a professora Luciana. Foto: Thaís Stagni/Versus

Ao pensar no que queria ser quando crescesse, Eduardo pareceu indeciso: "eu fico entre ser advogado, policial ou YouTuber".

A escola, é claro, não só apoiou, como também usa a tecnologia a favor do ensino em suas aulas.

"Não dá mais para ser o professor do giz e lousa. A gente precisa evoluir na parte da educação", declarou Verônica Passos, coordenadora e responsável pela parte de TI do colégio. "Há 4 anos, nós adotamos a parte digital como carro-chefe dos conteúdos pedagógicos."

De acordo com Verônica, o Colégio Porto União - que usa iPads até na aula de educação física - pretende lançar um projeto para 2018 em que os alunos vão aprender sobre programação e outros tipos de desenvolvimento de material para o mundo digital. Será que os estudantes vão começar a ter aulas de eSports daqui a algum tempo também? Esperamos que sim!

Thaís Stagni é redatora do Versus. Siga-a no Twitter.

Tags Relacionadas
Overwatch
Mais notícias
Overwatch: Fila Aberta retorna ao modo competitivo
Overwatch

Overwatch: Fila Aberta retorna ao modo competitivo

Sem mais 2-2-2 obrigatório
Matheus Oliveira
Overwatch Contenders: A trajetória da campeã Dignity ao troféu
Overwatch

Overwatch Contenders: A trajetória da campeã Dignity ao troféu

Saiba mais sobre os segredos da campeã da primeira temporada sul-americana de 2020
Matheus Oliveira
Overwatch Contenders: Dignity é campeã da primeira temporada sobre a Warpigs
Overwatch

Overwatch Contenders: Dignity é campeã da primeira temporada sobre a Warpigs

Após passar pelos playoffs invicta, equipe leva US$ 14 mil
Matheus de Lucca